Página Inicial > artigos, diferentes sistemas, Master System, Mega Drive, Super Nes, versões > A Agonia (ou Tragédia) de Doha e o Super Formation Soccer’94

A Agonia (ou Tragédia) de Doha e o Super Formation Soccer’94

Eliminatórias Asiáticas para a Copa de 1994

Antes da última rodada, classificavam dois times e quem liderava era o Japão com 5 pontos e 3 gols de saldo e em segundo lugar, Arábia Saudita, com a mesma quantidade de pontos. Atrás, na sequência, todos com 4 pontos: Coreia do Sul, Iraque e Irã. Em último lugar, a Coreia do Norte com 2 pontos. Essa última fase foi toda disputada em Doha, no Catar. Na época, a vitória valia 2 pontos e não 3, como atualmente.

A última rodada teria os seguintes jogos para o dia 28 de Outubro de 1993. Todos disputados simultaneamente, no mesmo horário:
Coreia do Sul x Coreia do Norte no Qatar SC Stadium em Doha
Arábia Saudita x Irã no Khalifa International Stadium em Doha
Iraque x Japão no Al-Ahly Stadium em Doha.

Jogadores japoneses caem aos prantos

Seriam jogos fáceis para a Coreia do Sul, Arábia Saudita e Japão, não? É o que veremos. A seguir os gols, conforme a ordem que ocorreram, levando em conta a simultaneidade:

Aos 5′ do primeiro tempo, o Japão sai na frente com o gol do jogador japonês que jogou no Santos, Kazu Miura. Esse resultado deixaria o Japão bem classificado em primeiro. [JAP 1-0 IRQ]

Um tempo depois, a Arábia Saudita marca dois gols em seguida: Al Jaber aos 21′ e Mehalel aos 27′, o que também a garantia na Copa. [ARS 2-0 IRA]. O Irã ainda diminui no final do primeiro tempo com um gol de Fonounizadeh aos 43′ do primeiro tempo. [ARS 2-1 IRA]

Termina o primeiro tempo nos jogos: ARS 2-1 IRA, JAP 1-0 IRQ e CRN 0-0 CRS. Isso garantia tanto o Japão em primeiro lugar quanto a Arábia Saudita em segundo lugares. Seria a primeira copa dos japoneses.

Mas, enfim, chegaria o segundo tempo nos jogos.

E logo no início a Arábia Saudita marca mais um gol com Al Mousa, aos 2′ do 2º tempo [ARS 3-1 IRA] e logo depois, a Coreia do Sul marca o primeiro gol com Ko Jeong-Woon, aos 4′ e mais um aos 8′ com Hwang Seon-Hong [CRS 2-0 CRN]. E aos 7′, o Irã diminui com outro gol de Fonounizadeh [ARS 3-2 IRA].

Aos 9 minutos, o Iraque empata com gol de Shnaished [IRQ 1-1 JAP]. Com os resultados que temos, o Japão estaria eliminado, ainda que tivesse a mesma pontuação da Coreia do Sul.

Um tempo de silêncio nos gols e o próximo só ocorre aos 29′, Fatah aumenta denovo para a Arábia Saudita [ARS 4-2 IRA] e a Coreia do Sul aumenta denovo! Gol de Ha Seok-Ju! [CRS 3-0 CRN]

Mas, logo o Japão estaria classificado! Gol de Nakayama aos 35′ [JAP 2-1 IRQ]. Chegamos aos 45′ do segundo tempo e o Irã diminui! Manafi marca e fecha o placar! [ARS 4-3 IRA] e no finalzinho do jogo, Salman marca mais um para o Iraque [IRQ 2-2 JAP]. O Japão que começou em primeiro lugar, acabou em terceiro e está eliminado! Tristeza para os japoneses que estavam em Doha!

Acompanhe os momentos finais do jogo do Japão, da alegria de se estar classificado até a tristeza da derrota:

Mas, o que tem a ver isso com um blog de videogame?

Isso tem muito a ver com um jogo: Super Formation Soccer’94 é o terceiro jogo da série Super Formation Soccer, sendo que o primeiro é Super Formation Soccer (lançado no ocidente como Super Soccer) e um ano depois saiu Super Formation Soccer II.

Nesse jogo, os times são os mesmos que disputariam a Copa do Mundo de 1994, mas devido a tudo que foi relatado aí em cima, eles preferiram eliminar a Coreia do Sul e colocar o Japão no lugar. Pois é, alteraram assim, só para colocar o Japão no lugar. A Coreia do Sul está sim disponível, mas através de um truque.

Os times “escondidos”, além da Coreia do Sul, que se classificou, mas eles eliminaram, são alguns importantes que não conseguiram classificação para a Copa:
Inglaterra (ficou em terceiro no grupo atrás de Noruega e Holanda), País de Gales (ficou em quarto lugar no grupo atrás de Romênia e Bélgica -classificadas- e República Tcheca), Uruguai (ficou em terceiro no grupo B perdendo a vaga para o Brasil e para a Bolívia), Dinamarca (ficou em terceiro no grupo atrás da Espanha e da República da Irlanda) e França (ficou em terceiro no grupo atrás da Suécia e da Bulgária).

Além disso, o jogo também conta com as eliminatórias da Ásia para a Copa do Mundo de 1994, mas você joga só com o Japão. São duas fases de grupos: Na primeira fase você enfrenta Emirados Árabes Unidos, Tailândia, Sri Lanka e Bangladesh. Na fase final, o Japão enfrenta Arábia Saudita, Coreia do Sul, Iraque, Irã e Coreia do Norte (sim, os mesmos times das Eliminatórias para a Copa de 94 reais) e o objetivo é, lógico, classificar para a Copa entre os dois primeiros!

Enquanto o Super Formation Soccer’94 foi lançado perto da Copa, em 17/06/94. Depois da Copa, a Human lançou o Super Formation Soccer’94: World Cup Final Data, em 22/09/94. Essa edição só tem uma única atualização: Ela habilita a dica de jogar com os times adicionais, somando no total 30 times. Enquanto isso é legal, por trazer de volta a Coreia do Sul, os grupos são sorteados randonomicamente. É preciso de muita sorte para jogar com os grupos originais da Copa. Ah, e as eliminatórias continuam iguais.

Curiosamente, o jogo oficial da Copa World Cup USA’94 também conta com times extras, o que permite que o jogador monte seus grupos para a Copa do Mundo à vontade. E eles são: Inglaterra, Escócia (ficou em quarto lugar no grupo atrás de Itália e Suiça -classificadas- e Portugal), Dinamarca, França, Japão, Portugal (veja a Escócia nesse parágrafo), País de Gales e Austrália (ganhou do Canadá na repescagem, mas perdeu para a Argentina). Muitos times semelhantes com o Super Formation Soccer’94, com alguns adendos.

Sou professor de História, que também joga improvisionado em Geografia. Gosto muito de games alternativos, jogos que muitas vezes seguem o fora do padrão, assim como os piratas.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. Eduardo Casola Filho
    7, março, 2012 em 00:39 | #1

    Alguns traumas esportivos motivam a mexer bastante na formação de alguns jogos.

    A situação do Japão foi tensa mesmo e foi um jeitinho mesmo para colocar os japas na Copa de 1994;

    Aliás os jogos de futebol dos 16 bits são uma caixinha de surpresas. Por exemplo, posso citar uma premonição que os jogos da série FIFA tiveram com a cor de uniforme de times brasileiros. (Corinthians Roxo e Vasco Azul, por exemplo)

    • Talude
      11, março, 2012 em 16:11 | #2

      Você me deu uma boa ideia de post. Mas, fica para o futuro 🙂

    • 14, março, 2012 em 02:15 | #3

      Muito provavelmente, a alteração nas cores dos times brasileiros tem a ver com questões de licenciamento. Vou explicar: os direitos sobre os usos dos nomes dos jogadores são adquiridos junto a FIFPro, que é Federação Internacional dos Profissionais do Futebol.

      No entanto, o mesmo não vale para os clubes. Na Europa, o contato é simples: licencia-se junto às ligas. Porém, no Brasil, não existe uma administração central. É necessário ir clube a clube para negociar direitos.

      Em 1996, a EA não tinha sequer um escritório no país. E o futebol brasileiro não justificava o esforço. Por conta disso, devem ter alterado as cores dos times para que não pudessem enfrentar problemas com "tá usando o nome e o uniforme do Corinthians sem pagar".

      Sem contar o fato de que eles se baseavam em olhômetros sobre as revistas Placar da época para criar as escalações. Isso se torna claro ao vermos as escalações bizarras de Vasco e Botafogo. Cujos nomes de jogadores clássicos coincidem com uma lista dos 10 maiores artilheiros de cada clube publicadas numa edição da Placar.

      Assim como as seleções estranhas de times que eram baseadas na ideia de que o Campeonato Carioca era o mais importante do pais. Por isso, equipes medíocres como o Barreira e o Olaria entravam enquanto clubes importantes como Grêmio, Cruzeiro, Goiás, Sport e afins ficavam de fora.

      • Talude
        15, março, 2012 em 21:45 | #4

        Rafael, esse problema com os licenciamentos começa de verdade após os anos 2000, é muito mais recente. Antes, não havia tanto problemas de licenciamento, as empresas buscavam mais os plágios e usos indevidos das suas próprias marcas.

        Acredito que o problema das cores (no FIFA 95 as cores dos times brasileiros estão mais próximas do correto, nos 96, 97 e 98 não) é mais simples: eles não fizeram as pesquisa, nem no próprio arquivo deles, nem na realidade (a internet tal qual é hoje era algo novo, de 1995, antes disso somente para universitários e o governo).

        Por quê isso? Por quê em cada uma dessas versões eles preferiram ter outras atribuições a pesquisar ao invés das cores do time.

        No 96, a pesquisa foi para os nomes dos jogadores reais (incluindo a liga da Malásia). Além disso, foi a primeira conversão para o 3D.

        No 97, a pesquisa foi feita em casa (no Canadá e nos EUA) para o futebol indoor, além da atualização dos nomes.

        E no 98, a pesquisa foi enorme, a de abranger as seleções das Eliminatórias (e ainda esqueceram algumas, como a Coreia do Norte). Então, eles se dedicaram muito pouco nos times. Além disso, o FIFA 97 já enfrentava uma concorrência forte com vários jogos como o Actua Soccer, por isso eles se dedicaram ao extremo nas versões 3D do FIFA 98, mas pode notar, as versões do FIFA 96, 97 e 98 são iguais, com controles ruins e gráficos parecidos.

  2. 7, março, 2012 em 16:52 | #5

    Muito legal a matéria Talude, outra daquelas "histórica-investigativa".

    Você já deve ter percebido que o Super Formation Soccer 94 é um de meus games de futebol prediletos de todos os tempos, eu já disse isso no Twitter se não me engano. Eu nem sonhava que esse contexto histórico influenciou tanto assim no conceito final do jogo.

    Os criadores do game não devem ter ficado nada felizes com a eliminação repentina do Japão e com a idéia de ter o time apenas como time secreto ou algo do tipo. Sobrou pra Coréia do Sul, obviamente.

    PS.: a data lá é 1994 e não 1997, não?

    • Talude
      8, março, 2012 em 00:43 | #6

      Corrigido!
      Eu acredito que a ideia era colocar o Japão, que estava indo bem nas eliminatórias, desde o início. Maaaaaaaaas… a tragédia aconteceu e foi a solução encontrada.

      Imagino que os coreanos que compraram o jogo devem ter ficados tão alegres…

  3. PROFETA
    9, março, 2012 em 17:11 | #7

    golaçooooo, campeonato brasileño "arriverone" auahuaHUAhaU bons tempos

  4. PROFETA
    12, março, 2012 em 15:09 | #8

    consegui achar o nome do game de luta pra Mega Drive que e fez parte da minha infância, Fighting Maters, éipico, se puderem façam um review dele o

  5. 12, março, 2012 em 16:20 | #9

    Eu gosto pra caramba de Fighting Masters. Até fiz um vídeo TAS dele, dá uma conferida:

    • 13, março, 2012 em 01:28 | #10

      Eu gosto bastante do Fighting Masters tb. Os personagens não parecem, mas são muito carismáticos.

      • 17, março, 2012 em 08:32 | #11

        Numa época em que Street Fighter 2 reinava e o Mega não tinha uma versão do jogo, Fighting Masters era o que mais se "aproximava" dele e, neste cenário, parecia uma obra-prima.

  6. 14, março, 2012 em 02:23 | #12

    O trauma ficou de tal maneira que o primeiro episódio de Super Campeões reflete a mesmíssima partida entre Japão e Iraque.
    http://youtu.be/FBIkZ_t84PU?t=1m20s

    "E a bola fica suspensa no ar. Será que teremos aqui uma repetição do que houve em Qatar?"

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: