Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Arcade’

5 jogos de wrestling até os 16 bits que você vai gostar de conhecer

underyokoEssa semana nós temos a Wrestlemania que é o maior evento do Pro Wrestling mundial. Para celebrar, vamos falar de 10 jogos de wrestling até os 16 bits que valem bastante a pena jogar. Os jogos de wrestling começaram a ficar melhores nos 32 bits com os jogos da WWF (atual WWE) e os da WCW (que atualmente pertence a WWE) como os dois WWE Smackdown e o WCW vs the World, permitindo a criação de personagens, modo carreira e muitos modos divertidos.

Nos 16 bits, muitos jogos sofrem com cortes, inclusive com personagens muito iguais, como o pesadão Yokozuna e o grandão Undertaker (veja foto) como sendo da mesma altura e peso nos sprites. Isso só mudou com a entrada da Midway no combate e mesmo com a Capcom. Essas sugestões de jogos são para quem quer conhecer melhor o esporte. O básico da luta livre é simples: Faça um pin, ou seja, prenda o adversário no chão, de modo que na contagem do juiz, até três, encerre a disputa.

Os jogos aqui talvez não sejam os melhores, mas são jogos que valem a pena conhecer.

Leia mais…

Virtua Fighter [Arcade/Saturn/32X]: o antigo protagonista

Fighters_Megamix_H3

Siba no Fighters Megamix

Virtua Fighter, que foi o jogo de luta pioneiro 3D, era para ter um protagonista diferente. Atualmente, considera-se que o protagonista (e principal figura da série) seja o japonês Akira Yuki, mas bem antes disso, o protagonista não seria dessa nacionalidade.

Originalmente, seria chamado de Siba (??, Shiba) era um lutador árabe usando turbante, camiseta branca aberta no peito (ao estilo de galã de filme dos anos 80), cinto azul e calça verde, além de lutar descalço. Ele, por fim, voltaria a lutar no Fighter Megamix, que coloca personagens de Virtua Fighter contra os de Fighting Vipers, de Sega Saturn, muito mais como uma homenagem do que a volta do personagem para a série, que dessa vez não luta com mãos nuas, mas sim, munido de espada. Não achei razões para o motivo dele ser retirado, mas o site Hardcore Gaming 101 conta que ele não era muito popular durante a fase de playtest. Daichi Katagari, que era o coordenador do jogo, revelou ter uma “quedinha” pelo personagem, mas nunca mais foi utilizado. Veja abaixo várias imagens do beta:

Leia mais…

Categories: Arcade, beta, Saturn

MK3: Os sinos da The Bell Tower

Já tinha explorado cenários de Mortal Kombat em um post antigo, onde eu encontrava dois cameos de Pac-Man no MK1 e no MK3. Agora, vamos tentar encontrar um sino desaparecido! No Mortal Kombat 3 esse cenário às vezes aparecia com o nome de “Shao Kahn Tower” onde o adversário ia caindo andar por andar e virava uma tampa de saleiro. Conforme a tradução do nome deste cenário, ele se trata de uma torre do sino, até aí tudo bem, se o cenário não tivesse nenhum sino! É mesmo, olhe na vista geral do cenário abaixo!

Leia mais…

As fotos (quase) perdidas do making of de Street Fighter: The Movie (Arcade)

Cammy

Durante as minhas pesquisas sobre o filme de Street Fighter para a Maratona Game Movies do Passagem Secreta, no dia 12 de Novembro de 2010, me deparei com um blog simples mas especial. Pertencente a Alan Noon, ex-diretor da Incredible Technologies, criadora do infame game para Arcade Street Fighter: The Movie (1995) – baseado no ainda mais infame filme homônimo – o blog trazia fotos raríssimas, do arquivo pessoal de Noon, da produção do game.

Graças ao meu velho faro para raridades gamísticas, salvei cada uma das 20 fotos do blog para descobrir, poucos dias depois, que as mesmas haviam sido apagadas de seu servidor. Depois de muita pesquisa dos bastidores da produção do game, trago, finalmente, o post.

Leia mais…

Categories: Arcade, segredos

Sega Ages Online – Alex Kidd, Revenge of Shinobi e outros para XBox e PS3 com uma série de extras!

Apesar de andar mal das pernas no Ocidente, a Sega lá no Japão anda de vento em popa, investindo bastante em relançamentos de seus jogos mais clássicos para as plataformas digitais. Ainda bem. No último dia 29, a empresa anunciou o selo Sega Ages Online,  que pretende trazer os games de maior sucesso da época de ouro da empresa recheados de novos apetrechos que só a geração atual de consoles pode trazer. Mas calma: diferente dos relançamentos anteriores que a empresa já fez para o Xbox e PS3 (cuja produção foi terceirizada para a Backbone Entertaintment), aqui a coisa parece ser mais séria; afinal de contas, o nome “Sega Ages” não parece ter sido escolhido à toa, remetendo diretamente às coletâneas espetaculares lançadas para o Playstation 2 até o ano de 2008 – me refiro aos jogos do volume 15 em diante, e não aqueles remakes em 3D horrorosos que vieram antes. Leia mais…

Meme “O Que Joguei em 2011” – Parte 1: Video review de Rayforce

E, fazendo parte do meme organizado pelo Marvox Brasil e o Ighor do Videogame.etc, apresento a vocês mais um videocast do Passagem Secreta! Ao invés de elaborar um texto a respeito como a maioria dos outros blogs irá fazer, acabei arrumando uma desculpa para fazer mais um episódio de análises em vídeo, que tal? Até o final do ano, ainda apresentarei outros dois ou três jogos que joguei bastante em 2011, e na primeira parte dessa série, falo de um game que inevitavelmente ganharia um review por aqui: Rayforce, para Arcade e Sega Saturn! Também conhecido como Gunlock ou Layer Section ou ainda Galatic Attack, o jogo definitivamente me prendeu durante todo esse ano por uma série de fatores: trilha sonora estupenda (sim, eu peguei o jogo a princípio porque não parava de ouvir as músicas dele), dificuldade desafiante, gráficos retrô muito bons e uma experiência rápida digna de arcade que não me prenderia, já que este não foi um ano muito favorável para exercer minha jogatina. Enfim, vamos ao vídeo então. Caso tenha gostado,não deixe de curtir, favoritar, ou se inscrever no canal, para acompanhar os outros vídeos desta série!

Leia mais…

Categories: Arcade, Saturn, sistema, videocast

Fanfarronice: Takenobu Mitsuyoshi jogando Daytona USA

Qualquer fã da Sega conhece muito bem o Takenobu Mitsuyoshi, compositor de Game Music que não somente transitou pelas trilhas sonoras mais memoráveis da empresa nos anos 90 (de Virtua Racing até os principais temas de Shenmue) como também possui uma distinta porralouquice, sempre buscando uma oportunidade para cantar e executar suas estripulias. O cara é uma figura mesmo.

Além disso, ele também é o compositor/cantor/gritador de Daytona USA, que saiu recentemente  para a XBLA e PSN, “remasterizado em alta definição”. Dentre os destaques desta releitura, há o suporte a widescreen, jogo online até 8 jogadores e um modo Karaokê, que, como o leitor Christian bem apontou, consiste apenas na corrida normal com as músicas em versão instrumental acompanhadas das letras surgindo na tela, para que todos possam cantar. Meh.

De qualquer forma, é mais uma chance do showman da Sega brilhar. E, através deste vídeo, ele mostra a que veio. Ao som de “The King of Speed”, o músico tenta jogar, cantar e fazer palhaçadas em frente à câmera. O resultado é indescritível, é melhor vocês assistirem:

Leia mais…

Coincidência ou Plágio?

Todo mundo sabe que um jogo sem uma boa trilha sonora não é nada. Mas e quando a trilha te lembra (ou é) outra música famosa? Seria plágio? Seria uma homenagem? Só coincidência?

Sugiro que ouçam primeiro as músicas e tirem suas conclusões. Viajei nas comparações? São muito parecidas mesmo? É plágio?

Confira mais a seguir:

Leia mais…