Arquivo

Arquivo da Categoria ‘sistema’

Crazy Bus – Um dos piores jogos do Mega Drive

Um dos maiores baratos do Mega Drive é que ele continua vivo através da cena homebrew, que consiste na produção independente de jogos e aplicativos para o console. Vários jogos e projetos grandiosos – como o RPG Pier Solar – viram a luz do dia através do 16-bit, que continua sendo explorado pelos programadores retrôs pela sua facilidade em programar e  dispositivos de segurança mais frouxos. Assim, temos o lançamento de games que nunca exploraram o potencial completo do videogame durante sua vida útil, e esse é o caso de Crazy Bus, que consegue  ir tão fundo como nenhum jogo jamais foi! Prepare-se para chorar!

 

Leia mais…

Video Review – Streets of Rage Remake

Um dos projetos mais aclamados da Internet teve sua versão final lançada no último dia 3, para surpresa e alegria dos fãs retrogamers. Em relação aos jogos anteriores, o game não deve absolutamente nada, muito pelo contrário: é o mais próximo que se pode conseguir de uma versão definitiva da série, reunindo o melhor de cada jogo da franquia e adicionando novos elementos à jogabilidade que só aumentam a diversão e longevidade do remake. E o melhor de tudo: é gratuito!

Milhares de análises e comentários aclamando o game virão com o tempo, então nada melhor que apresentá-los na especialidade desta casa: através de uma vídeo-análise! Para aqueles que estão com preguiça de baixar (por causa dos “gigantescos” 200 MB de peso) ou de jogar de frente para o computador, assistam este vídeo e descubram porque esse game é um verdadeiro must-play!

Leia mais…

Conheça as programadoras de jogos

Mulheres, no mundo dos games sempre são vistas como minoria ainda que ultimamente tenha aumentado bastante a participação delas nos jogos. Mas desde o Atari 2600 há muitas programadoras que vêm trabalhando na linha de produção de jogos. Aqui há apenas algumas das mais conhecidas, assim como a primeira programadora do mundo. Além disso, preparei uma lista com os programadores que mudaram de sexo. A lista não têm todas que trabalharam com games, mas dá uma boa margem de algumas que já trabalharam com os jogos.

Leia mais…

As brincadeiras de 1º de Abril na EGM


Hoje é, como toda pessoa antenada sabe bem, o “dia da mentira”. Como o Passagem Secreta é um blog sério e não pretende criar notícias e factóides aproveitando-se da data (na verdade, houve falta de criatividade e cara-de-pau mesmo), que tal relembrar através deste post sobre todas as piadinhas que a EGM americana colocava em suas edições de abril? Algumas são geniais, outras são terríveis e cruéis e outras são… apenas “meh“. Então clique aí para ser direcionado à matéria – eu juro!

Leia mais…

Chrono Trigger e o Rickroll

Essa é uma curiosidade que as pessoas descobriram em meados de 2008, na época em que o meme do Rickroll (se você não conhece, vá se atualizar agora!) estava tomando conta da Internet como se fosse a peste bulbônica. Alguém que ouviu a trilha sonora do jogo de SNES notou a semelhança quase que absurda que existe entre o tema do Robo e a música Never Gonna Give You Up, do Rick Astley e que caracterizava esse fenômeno da rede.

Caso você não lembre da música, confira no vídeo e sofra um Rickroll:

Agora compare com a composição presente no game:

Leia mais…

In Memory of Mega Drive: Um tributo musical à altura do 16-bit da Sega

É bastante comum hoje em dia encontrar projetos de fãs que, com suas habilidades musicais, conseguem homenagear suas músicas favoritas dos jogos antigos, em diferentes estilos e gerando resultados diversos. Algumas das ideias desses projetos nascem de comunidades – como a OCRemix – ou são simplesmente empreitadas individuais, onde a única motivação que se pode encontrar está na simples paixão pela Game Music que serviu de trilha sonora em algum momento da vida.

E esse é o caso de Brian Davis. Através do lançamento de Cheat Codes, em 2003, o músico se tornou um dos precursores do conceito de homenagear suas trilhas favoritas com álbuns completos em mp3 na Internet. Após o lançamento de Last Level, em 2005, Davis anunciou que iniciaria um projeto homenageando o Mega Drive e suas músicas. Cá estamos em 2011, e a difusão da Game Music é bem maior do que naquela época. E finalmente o álbum saiu, lançando a pergunta: O que In Memory of The Mega Drive tem de especial em relação a outros lançamentos semelhantes?

Leia mais…

Categories: game music, Mega Drive

O que Golden Axe, Rambo e Conan têm em comum?

Nota: Se você chegou até aqui procurando pelo factóide espalhado por aí de que as vozes do jogo são gravações de prisioneiros americanos no corredor da morte, saiba que essa história é uma bela de uma lorota. Confira abaixo de onde foram retirados os sons de verdade.

Antes que você pense que esta é apenas uma loucura conspiratória, existem sim provas concretas de que os jogos da série e esses filmes possuem algo em comum. E, apesar de não ser nenhuma novidade – principalmente para os fãs dos jogos de Mega – é bom documentar minuciosamente aqui no Passagem Secreta esta pequena curiosidade. Calma: não é nada relacionando Stallone, Schwarzenegger, Ax Battler e Death Adder não! Ou o Gillius Thunderhead e Gandalf…

A conversão de Golden Axe para Mega Drive é praticamente perfeita, com apenas uma coisa ou outra retirada para caber nas limitações do console de 16-bit. Dos elementos que não entraram nas versões domésticas, podemos citar os variados gritos de dor dos inimigos assim que morrem. Na versão de Mega, há apenas um efeito de voz para a morte de todos os personagens normais; no Arcade, são variados sons de pânico e dor. Mas o mais interessante é que esses sons são os mesmos utilizados no filme Rambo: Programado Para Matar (First Blood), de 1982. Duvida? Olha a comparação:

 

Leia mais…

O “Segredo” da tela inicial de Goldeneye 007 para N64

Apesar das limitações tecnológicas, Goldeneye 007 permanece até hoje como um perfeito exemplar de adatapção filme-jogo. Além da história do filme ter sido contada e até mesmo expandida de forma infalível, há diversas homenagens no game que remetem às aventuras clássicas do agente secreto, através de acessórios e itens,  de personagens memoráveis (como Oddjob) e até da inclusão de fases secretas que utilizam o enredo dos filmes antigos. Inclusive, foi até cogitada a hipótese do jogo disponibilizar a troca do rosto de Pierce Brosnan pelo de cada ator que interpretou James Bond, através do cheat All Bonds – o que infelizmente não aconteceu na versão final do game. Mas o exemplo serve para ilustrar perfeitamente o esforço da Rare em assimilar a experiência de jogo com a cinematográfica.

O mais curioso é que essa similaridade filme-jogo pode ser percebida logo assim que o game inicia, na primeira tela. Como?

Leia mais…

Categories: artigos, curiosidades, N64, segredos