Arquivo

Arquivo da Categoria ‘sistema’

Passagem Pirata #1: Street Fighter EX Plus Alpha (SNES)

Street Fighter EX Plus Alpha na sua versão para Super NES foi  eleito com uma enorme vantagem em relação aos outros jogos. O resultado final detalhado está aqui embaixo. Logo após a análise do jogo e os cenários e dos personagens dele você poderá escolher o próximo jogo da jornada, agora com somente jogos de NES. Como Street Fighter ganhou esta, ele não aparece nesta enquete.

 

Leia mais…

Coincidência ou Plágio?

Todo mundo sabe que um jogo sem uma boa trilha sonora não é nada. Mas e quando a trilha te lembra (ou é) outra música famosa? Seria plágio? Seria uma homenagem? Só coincidência?

Sugiro que ouçam primeiro as músicas e tirem suas conclusões. Viajei nas comparações? São muito parecidas mesmo? É plágio?

Confira mais a seguir:

Leia mais…

O primeiro comercial do Sonic


Recentemente meu irmão me passou o vídeo abaixo que traz o primeiro comercial do Sonic the Hedgehog que possui algumas curiosidades bem interessantes as quais listo abaixo:

 

Leia mais…

O quê Resident Evil 3 e Hellraiser têm em comum?

Quem jogou Resident Evil 3 passou por maus bocados fugindo do Nemesis. A criatura, engedrada pela Umbrella com o único propósito de aniquilar todos os membros da S.T.A.R.S., perseguia a protagonista Jill Valentine durante todo o jogo, rendendo vários sustos e momentos de tensão aos mais afoitos. Não é a toa que a versão americana tem o subtítulo com o mesmo nome da ameaça; afinal de contas, se não fosse por ele, RE 3 seria bem menos interessante.

Mas interessante mesmo seria essa possível inspiração que rolou na criação do personagem: Nemesis se parece muitíssimo com o Chatterer, um dos Cenobites do clássico de terror Hellraiser – Renascido do Inferno, lançado em 1987 e que marcou a estreia de Clive Barker como diretor de um longa-metragem.

Eis uma imagem do maior pesadelo da Jill: Leia mais…

Categories: curiosidades, Playstation

Os personagens de Street Fighter I: Por onde andam?

Tá certo que o primeiro Street Fighter não fez lá muito sucesso, ainda que teve muitas versões lançadas na época (Arcade, Commodore 64 tanto europeia como americana, ZX Spectrum, Amstrad CPC, PC Engine CD, Atari ST, Amiga e DOS), isso levou a Capcom a abandonar o gênero por cinco anos. Mesmo assim, muitos dos personagens voltaram, principalmente na série Zero/Alpha.

 

Leia mais…

Categories: Arcade, artigos, curiosidades

Os muitos Friendships de Stryker

O Friendship de Stryker sofre modificações conforme o console e a versão que ele aparece. O básico é ele apitar e segurar uma placa de “Pare” tal qual um guarda de trânsito estadunidense. Mas curiosamente em cada versão há uma alteração, veja mais a seguir:

 

 

Leia mais…

Os piratas argentinos para Mega Drive

Volto a falar de um assunto que gosto demais: os piratas, hacks e assim por conseguinte. Na América do Sul houve produção de jogos tanto de forma legal quanto ilegal de games durante o período dos 16 bits tanto no Brasil, quanto na Argentina e no Peru. Na Argentina há de se considerar três jogos que foram emulados: dois hacks, um de futebol e um de corrida e um original, de truco! A propósito, antes que alguém comente, é possível que a origem do futebol argentino, brasileiro de SNES sejam peruanas, com a narração bizarra feita lá. Topdos os jogos citados aqui foram vendidos na Argentina e em outros países da América do Sul.

Leia mais…

Censura na abertura de Street Fighter II Special Champion Edition do Mega Drive

Isso não é algo novo, tanto é que sempre é citado nos fóruns e outros posts da vida relacionados a Street Fighter II e as conversões polêmicas para os consoles. Inclusive, se não me engano, foi citado na Old Gamer Nº 1, na extensa matéria sobre o game. No entanto, para quem não conhece ainda a história, há uma diferença na abertura da conversão de Street Fighter II Special Champion Edition para o 16-bit da Sega. Na abertura original de arcade, se analisarmos a cena da forma, er, social, um afro-descendente apanha de um caucasiano, o que foi mantido na versão japonesa do game para o Mega Drive.

Leia mais…

Categories: curiosidades, Mega Drive

Giygas (Mother 2/Earthbound, SNES), o chefe mais assustador de todos os tempos

Como pode-se ver pela foto, o post não é para os cardíacos, emotivos ou simplesmente medrosos. Mas de certa forma, eu sei que você tem pedido por isso, principalmente após acompanhar outras histórias cabulosas aqui no Passagem Secreta, como o mito de Lavender Town. Porém, diferente desse caso, o post a seguir é uma experiência de jogo real, sem subliminaridades ou contos fabricados: aqui, o negócio é pra valer mesmo! Por isso, caso ainda não conheça, venha conferir a história por trás de Giygas, o chefe final de Mother 2 (Earthbound) de SNES… Se tiver coragem!

Leia mais…

A publicidade nos games e os advergames

Há muito tempo as empresas descobriram que os jogos podem ser uma ótima forma de divulgar o seu produto, desde os anos 80. Recentemente vêm surgindo jogos com propagandas e, além disso, jogos que convocam o jogador a participar de instituições como o exército americano. A propaganda pode ser explícita na qual pode estar no nome do jogo, inclusive.

Leia mais…

Videocast – Sonic CD, o mais polêmico da franquia?


Não tinha como dar outra: Sonic CD ganhou a enquete realizada, com mais de 50% dos votos! Em 2º lugar, com apenas 13%, ficou o Knuckles Chaotix e, em último, Sonic R, de Saturn.

Confira o resultado do Vox populi

Por um momento, havia pensado que as pessoas estavam votando apenas para me sacanear, devido a um post recente em que me mostrava não muito favorável ao jogo. Mas depois percebi que o jogo merece ser querido, pois o joguei o suficiente para entendê-lo de outra forma, e me divertir bastante com ele.

Maaaaas Leia mais…

Tir et But: Um jogo desconhecido do GBA

Um dos raros jogos de GBA que não é em inglês e nem tem opções de línguas, sendo disponível But somente o francês e trata-se de um jogo difícil de encontrar, mesmo em sites que disponibilizam somente jogos para GBA. “Tir et but” termo que vem do francês “Chute e gol” e que tem o desprentisioso subtítulo “Edition Champions du Monde” (Edição campeões de mundo) que refere-se ao título da França, campeã em 1998 (em cima do Brasil, com aquele gol de Zidane, lembra-se?) ainda que o jogo tenha sido lançado em 2002, ano da Copa  do Mundo Japão-Coréia na qual o Brasil seria campeão (e a França eliminada na fase de grupos).

Leia mais…

Categories: Game Boy Advance, reviews