Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Mega Drive’

Dois cameos de Pac-Man no Mortal Kombat

Há um bom tempo atrás abordamos a presença do Pac-Man no Wolfenstein 3D. Não do próprio, mas sim dos fantasmas que fazem parte dele. Agora o Pac-Man aparece rondando os cenários do Mortal Kombat e em duas versões do jogo! É bom lembrar que os dois jogos foram produzidos pela mesma empresa: a Midway e também pela Williams.

Leia mais…

Sonic Boom: o tema de Sonic CD interpretado pela Crush 40

Na última semana, mais precisamente no dia 9 de junho, ocorreu o Sonic Boom, evento organizado pela Sega para comemorar os 20 anos de seu mascote e divulgar o Sonic Generations durante a E3. A atração, comandada pelo recém-promovido Aaron Webber, contou com um show de bizarrices agradáveis, como um mini-teatro musical, um concurso de cosplayers digno de… sei lá, e até mesmo a gravação da plateia gritando “Happy Birthday Sonic”, que entrará no próximo jogo. Além da presença dos figurões Yuji Naka, Naoto Oshima e Takashi Izuka o evento também contou com a participação de Jun Senoue e sua banda, a Crush 40, responsável pelos temas dos jogos mais recentes do ouriço, como “Open Your Heart”, de Sonic Adventure, “Sonic Heroes“, dentre outros. O repertório da apresentação do grupo se iniciou com um medley da primeira fase de Sonic 4, igualzinho ao que o músico tocou na Tokyo Game Show de 2010 – com a diferença de que ele errou bem menos dessa vez.

Leia mais…

Categories: game music, Mega Drive, vídeos

Videocast: Retrospectiva Road Rash

Mais de 10 horas e 100 GB de imagens brutas. Aproximadamente 15 horas de edição. 8 horas de upload. 5 minutos de gargarejo. Todo esse esforço árduo para proporcionar a vocês mais um Videocast para o Passagem Secreta!

Dessa vez, a ideia é analisar cada jogo dessa franquia que deixa saudades: Road Rash, um dos games de corrida mais alucinantes das gerações passadas. Por isso, o vídeo acabou sendo o mais longo até agora, com 20 minutos de duração – o que ainda assim é bem rapidinho, não é? Mas fiquem tranquilos, porque antes que o tédio caia sobre a montagem, trago uma piadinha para quebrar o gelo! Nem preciso falar do ritmo de montanha russa da edição, aliás!

Como o Youtube me deixou de castigo por 6 meses devido ao infame vídeo do Street Fighter, tive que dividir o Videocast em duas partes para caber na limitação de 15 minutos do site. Alternativamente, porém, upei a versão sem interrupções no Vimeo, para quem quiser assistir por lá.

Então foi:


Leia mais…

Isto é incrível: Campeonato de Crazy Bus

Depois do enorme sucesso que foi o post sobre Crazy Bus aqui no Passagem Secreta, resolvi brincar com os amigos da Comunidade do Mega Drive no Orkut. Como eles estavam organizando um Mega Encontro (Ha!) em São Paulo, com diversos campeonatos, prêmios, brincadeiras temáticas e até um show “private liveda banda Smash Bros (wow!), por que não sugerí-los um torneio deste game totalmente incompreendido? Dito e feito: eles acabaram organizando mesmo o negócio, e ainda disseram que era em nossa homenagem! Fico imaginando o que as pessoas que estavam lá e não conheciam o site ficaram pensando sobre o conteúdo do Passagem Secreta…

Mas entao, como foi o torneio? Simples: como o jogo não possui um modo Time Attack, o próprio Mestre (um dos organizadores do evento e parceiro do PS. Seu nome real é desconhecido) resolveu cronometrar o tempo que cada um levava para conduzir o ônibus de um lado a outro da tela. Engraçado é que os tempos variavam, e o vencedor ganhou valiosos brindes dos quais nunca esquecerá. Sem mais delongas, eis o vídeo, contando a história em mais detalhes:

Convém agradecer ao Mestre e ao Edwazah, por terem a ótima iniciativa em homenagear o site com algo tão… sublime.

Aliás, para quem quiser acompanhar a Comu do Mega, tem o Twitter, Blog, Orkut, Linkedin, LastFm, Myspace, Raptr, Steam, Youtube…

Categories: humor, Mega Drive, vídeos

Sonic CD e uma assustadora mensagem oculta

Sonic CD é um dos jogos mais controversos da série, porque não se chega a um consenso se de fato pode ser considerado como um game bom ou ruim. Tanta discordância de opiniões e o fato de não ter sido produzido pelo Yuji Naka apenas contribuíram para ser ofuscado pelos jogos do Mega Drive, mais populares e acessíveis – até hoje, quando a maravilha tecnológica da emulação possibilitou que muitos o considerassem o melhor da série clássica. Pessoalmente, não gosto do design de fases extremamente confuso e da trilha sonora da versão americana, que é horrenda e desprovida de qualquer inspiração. Mas o objetivo não é discutir sobre o jogo, mas sobre um segredo bem assustador que ele possui…

 

 

Leia mais…

Categories: Mega Drive, segredos

Sega se pronuncia a respeito de Streets of Rage Remake

Como todos bem sabem, na semana passada tivemos o lançamento de Streets of Rage Remake, um projeto elaborado por fãs que se tornou símbolo de homenagem a uma fraquia memorável e a melhor forma de mostrar a uma empresa como agradar seus consumidores leais. O problema é que essa empresa não entendeu muito bem a mensagem, exigindo a retirada do link de download do site oficial do projeto, que ficou lá por apenas oito dias. Leia mais…

Categories: Mega Drive, notícias

Crazy Bus – Um dos piores jogos do Mega Drive

Um dos maiores baratos do Mega Drive é que ele continua vivo através da cena homebrew, que consiste na produção independente de jogos e aplicativos para o console. Vários jogos e projetos grandiosos – como o RPG Pier Solar – viram a luz do dia através do 16-bit, que continua sendo explorado pelos programadores retrôs pela sua facilidade em programar e  dispositivos de segurança mais frouxos. Assim, temos o lançamento de games que nunca exploraram o potencial completo do videogame durante sua vida útil, e esse é o caso de Crazy Bus, que consegue  ir tão fundo como nenhum jogo jamais foi! Prepare-se para chorar!

 

Leia mais…

Video Review – Streets of Rage Remake

Um dos projetos mais aclamados da Internet teve sua versão final lançada no último dia 3, para surpresa e alegria dos fãs retrogamers. Em relação aos jogos anteriores, o game não deve absolutamente nada, muito pelo contrário: é o mais próximo que se pode conseguir de uma versão definitiva da série, reunindo o melhor de cada jogo da franquia e adicionando novos elementos à jogabilidade que só aumentam a diversão e longevidade do remake. E o melhor de tudo: é gratuito!

Milhares de análises e comentários aclamando o game virão com o tempo, então nada melhor que apresentá-los na especialidade desta casa: através de uma vídeo-análise! Para aqueles que estão com preguiça de baixar (por causa dos “gigantescos” 200 MB de peso) ou de jogar de frente para o computador, assistam este vídeo e descubram porque esse game é um verdadeiro must-play!

Leia mais…

Conheça as programadoras de jogos

Mulheres, no mundo dos games sempre são vistas como minoria ainda que ultimamente tenha aumentado bastante a participação delas nos jogos. Mas desde o Atari 2600 há muitas programadoras que vêm trabalhando na linha de produção de jogos. Aqui há apenas algumas das mais conhecidas, assim como a primeira programadora do mundo. Além disso, preparei uma lista com os programadores que mudaram de sexo. A lista não têm todas que trabalharam com games, mas dá uma boa margem de algumas que já trabalharam com os jogos.

Leia mais…

In Memory of Mega Drive: Um tributo musical à altura do 16-bit da Sega

É bastante comum hoje em dia encontrar projetos de fãs que, com suas habilidades musicais, conseguem homenagear suas músicas favoritas dos jogos antigos, em diferentes estilos e gerando resultados diversos. Algumas das ideias desses projetos nascem de comunidades – como a OCRemix – ou são simplesmente empreitadas individuais, onde a única motivação que se pode encontrar está na simples paixão pela Game Music que serviu de trilha sonora em algum momento da vida.

E esse é o caso de Brian Davis. Através do lançamento de Cheat Codes, em 2003, o músico se tornou um dos precursores do conceito de homenagear suas trilhas favoritas com álbuns completos em mp3 na Internet. Após o lançamento de Last Level, em 2005, Davis anunciou que iniciaria um projeto homenageando o Mega Drive e suas músicas. Cá estamos em 2011, e a difusão da Game Music é bem maior do que naquela época. E finalmente o álbum saiu, lançando a pergunta: O que In Memory of The Mega Drive tem de especial em relação a outros lançamentos semelhantes?

Leia mais…

Categories: game music, Mega Drive

O que Golden Axe, Rambo e Conan têm em comum?

Nota: Se você chegou até aqui procurando pelo factóide espalhado por aí de que as vozes do jogo são gravações de prisioneiros americanos no corredor da morte, saiba que essa história é uma bela de uma lorota. Confira abaixo de onde foram retirados os sons de verdade.

Antes que você pense que esta é apenas uma loucura conspiratória, existem sim provas concretas de que os jogos da série e esses filmes possuem algo em comum. E, apesar de não ser nenhuma novidade – principalmente para os fãs dos jogos de Mega – é bom documentar minuciosamente aqui no Passagem Secreta esta pequena curiosidade. Calma: não é nada relacionando Stallone, Schwarzenegger, Ax Battler e Death Adder não! Ou o Gillius Thunderhead e Gandalf…

A conversão de Golden Axe para Mega Drive é praticamente perfeita, com apenas uma coisa ou outra retirada para caber nas limitações do console de 16-bit. Dos elementos que não entraram nas versões domésticas, podemos citar os variados gritos de dor dos inimigos assim que morrem. Na versão de Mega, há apenas um efeito de voz para a morte de todos os personagens normais; no Arcade, são variados sons de pânico e dor. Mas o mais interessante é que esses sons são os mesmos utilizados no filme Rambo: Programado Para Matar (First Blood), de 1982. Duvida? Olha a comparação:

 

Leia mais…

As 5 dicas e truques (quase) impossíveis de fazer nos jogos antigos

 

Sonic - Debug Mode

Qualquer um que acompanhou o processo evolutivo dos games até os dias de hoje pode confirmar a afirmação: Não existem mais os cheat codes como antigamente. As infames sequências de botões, artimanhas, gambiarras, e qualquer outro tipo de procedimento que habilitava coisas mágicas nos games deu lugar, em sua maior parte, às palavras-chaves, ao destravamento de troféus, entre outras coisas não tão legais quanto decorar um punhado de setinhas e números. Até revistinhas “Só Dicas” existiam na época, e as pessoas compravam! Sem dúvida, não há nada mais recompensador do que a primeira vez que um jogador utilizava de uma sequência dessas para trapacear; é uma sensação que mistura a inflação do ego e o perigo de estar fazendo algo proibido.

Apesar de muitos desses códigos de botões serem fáceis de usar no jogo, e até mesmo de decorá-los a ponto de levar na nossa memória para o resto da vida (como o da foto que ilustra o post), alguns desses truques eram simples demonstrações sádicas de poder dos programadores sobre os gamers,  misturando o conceito de cheat com uma verdadeira façanha da vida real. Desde aqueles que demandam reflexos incrivelmente rápidos até aqueles que exigem queimar o seu videogame, selecionamos as dicas e truques mais difíceis de reproduzir nos jogos. Então, pegue o controle 2, vire de cabeça pra baixo, aperte todos os botões, retire e coloque o cartucho duas vezes, jogue o controle na parede e, no rebote, aperte Start ao mesmo tempo em que segura A no controle 1! E clique em “Continuar lendo”.

Leia mais…