Página Inicial > artigos, curiosidades, Mega Drive > Crazy Bus – Um dos piores jogos do Mega Drive

Crazy Bus – Um dos piores jogos do Mega Drive

Um dos maiores baratos do Mega Drive é que ele continua vivo através da cena homebrew, que consiste na produção independente de jogos e aplicativos para o console. Vários jogos e projetos grandiosos – como o RPG Pier Solar – viram a luz do dia através do 16-bit, que continua sendo explorado pelos programadores retrôs pela sua facilidade em programar e  dispositivos de segurança mais frouxos. Assim, temos o lançamento de games que nunca exploraram o potencial completo do videogame durante sua vida útil, e esse é o caso de Crazy Bus, que consegue  ir tão fundo como nenhum jogo jamais foi! Prepare-se para chorar!

 

O game é um simulador de ônibus desenvolvido pelo venezuelano Tom Maneiro e lançado em 2004. Para esse artigo, permita-me tomar um atalho: não vou discorrer sobre como o jogo funciona, ou seus gráficos, ou jogabilidade. Apenas peço que assistam a esse vídeo, divirtam-se com a música da tela principal (cuidado: estupro auditivo!) e… Analisem o gameplay. Se é que dá pra chamar assim.

Basicamente, o jogo é assim. Vá de um lado a outro com o ônibus, dando voltas infinitas em 2D, até cansar e apertar o C para voltar à tela-título e poder escolher um outro carro. Não tem como não ser melhor e mais divertido do que isso! A ruindade do negócio atingiu um status cult entre a comunidade, incentivando o criador do game a elaborar uma nova versão, que saiu no ano passado. Dentre as melhorias, há uma série de retoques nas fotos dos veículos, que agora parecem menos granulados. A música parece ter sido totalmente remasterizada, de alguma forma, trazendo ainda mais diversão. Acompanhe:

Falando em música, a trilha sonora é tão aclamada que já foi ripada e postada em diversos sites. A razão do sucesso pode estar explicada na forma como os sons se harmonizam, dispensando o uso do chip FM e utilizando apenas o PSG do console, o que é impressionante.

Alguns fãs se tornaram tão aficcionados pela composição que até a utilizam em seus jogos de ritmo, como no Audiosurf. Remixes também foram produzidos à exaustão, o que nos faz perguntar como seria se Yuzo Koshiro a tivesse feito. Ainda mais utilizando o programinha de composição automático de Streets of Rage 3:

Aliás, fica aí o convite para que o amigo Eric Fraga, do Cosmic Effect, também nos presenteie em breve com sua abordagem desse tema considerado clássico.

Falando sério agora, não consigo parar de rir dessa porcaria. Vale lembrar que esse não é um jogo sério: o próprio Tom Maneiro tem ideia da tosqueira que fez. Inclusive, ele pretende dar continuidade ao projeto implementando as seguintes características à continuação:

– Quantização ordenada de dither para as fotos
– Tile maps!
– Ônibus de dois andares, como uma forma de homenagem (já que eles foram proibidos na Venezuela devido a diversos acidentes que ocorreram por lá)
– Mais músicas, escritas por Satan, the Black Cat, e DJ Not-Tiesto:P
– Menos porcarias de debbug
– E, talvez, uma versão para o 32x!

Vamos aguardar por futuras versões! Caso queira conferir esta jóia por si próprio, taí o link para download no site do autor.

Crazy Bus versão 2.00


Jornalista de games, editor de vídeo e estudante de Audiovisual, escreve atualmente para a Revista OLD! Gamer. Além dos joguinhos, também dá pitacos sobre cinema, TV e tecnologia; sempre acreditando que a ironia é a melhor forma de sinceridade. Ouve Game Music e trilhas sonoras de filmes durante a maior parte do tempo, mas jura que é uma pessoa legal. Seguista, badernista e exorcista.

Twitter YouTube 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. 11, abril, 2011 em 05:39 | #1

    Essa música me emocionou profundamente. Preciso toca-la no piano.

    Quanto à jogabilidade… não tem nada mais divertido do que um ônibus deslizando pela tela.

  2. 11, abril, 2011 em 05:45 | #2

    @Patty K

    Sim, é uma música profunda e linda, tipicamente erudita e perfeita para você reproduzí-la no seu instrumento favorito.

    Acredito que a canção possa representar o máximo da significação da simplicidade, através de uma dialógica incrível estabelecida pela simples composição. É como se ela dissesse que, a partir de agora, "nós somos o ônibus"; o que aumenta o valor da jornada do herói, que é a de transportar estas pessoas cheias de vida, com seus próprios problemas e distúrbios, para seu destino. Destino esse que não fica claro: pode ser o céu, pode ser o inferno. Isso jamais saberemos.

    Quem sabe em alguma continuação o produtor resolva esclarecer essas questões que não foram resolvidas na versão 2.00. Para todos os fãs da série, só resta especular sobre todas as entrelinhas que este clássico nos apresenta.

  3. 11, abril, 2011 em 08:15 | #3

    @Rafael Fernandes

    …caramba, eu acho que você sofreu uma exposição muito grande a essa música! Que medo!

  4. 11, abril, 2011 em 09:11 | #4

    @Patty K

    Eu simplesmente comecei a enxergar mais graças a essa música… Claro que não, só estou sacaneando XD

  5. 11, abril, 2011 em 12:34 | #5

    Cara, essa música da tela-título é aterrorizante.

    E olha, esse negócio tem página na TvTropes:
    http://tvtropes.org/pmwiki/pmwiki.php/Main/CrazyB

    "Significant exposure to Crazy Bus' soundtrack can lead to cranial trauma, temporary loss of hearing, and complete insanity."

  6. 11, abril, 2011 em 12:39 | #6

    @Hyper Emerson

    De certa forma, ela é aterrorizante mesmo, de tão desafinada que é. Eu tenho medo de músicas assim. Chegou até a me lembrar daquela música horrível que toca no vídeo do Suicide Mouse!

  7. 11, abril, 2011 em 13:09 | #7

    PQP!!!!

    O "remix" no final do post é simplesmente HILÁRIO!!!! Não pude me conter ao gargalhar sozinho aqui na frente do monitor. Ainda bem que estou sozinho em casa, porque explicar pra alguém porquê isso é tão engraçado ia ser dose.

    Meu Deus, o remix não acabou…. peraí, que bumbo é esse?

    Epa…. entrou uns "trompetes", brilhante!!!!! O que mais pode acontecer… vou ouvindo e narrando aqui, tipo uma twitcam….. agora aumentei o volume…… AIIII! A "bateria" voltou horrenda 2x, tive de abaixar um pouco.

    Pra onde o remixer vai nos levar agora? Final…. glamoroso!! Até ficou bom, acaba repentinamente afinal.

    Rapaz….. muito o que filosofar sobre a trilha de Crazy Bus mais tarde… puutzzzz, não sei o que pensar ainda. O mais interessante é que o jogo acaba ofuscado pela música, vejam vocês que ironia. Ou não?

    Bom, acabou. Tudo vai ficar bem. Remix no Cosmic Effect em breve. Ok, câmbio.

  8. 11, abril, 2011 em 17:48 | #8

    Esse jogo eu tenho no dingoo. Muito bom.

  9. 11, abril, 2011 em 23:23 | #10

    O autor do jogo é um venezuelano como foi falado e nunca foi distribuido, só como PD.

    Se não me engano, as emrpesas citadas são de lá (ou versões de lá). Quem sabe um dia ele resolva terminar o jogo e faça um jogo tão legal quanto o Big Rigs 😛

  10. 12, abril, 2011 em 08:09 | #11

    CHÉSSUS!

    Que música shenchachional. Provavelmente, quem a compôs foi Nobuo Uematsu, os compositores das músicas do Castlevania, dentre outros grandes compositores.

    Ao menos, até o próprio autor reconhece o monstrinho que criou.

    😀

  11. 12, abril, 2011 em 09:20 | #12

    @Israel – Tio Goiabinha

    O site Games Radar até fez uma brincadeira de 1º de abril, atribuindo ao Uematsu a composição do tema, rs

    http://www.gamesradar.com/f/game-music-of-the-day

  12. 12, abril, 2011 em 09:31 | #13

    @Rafael Fernandes

    <blockquote cite="#commentbody-2800">

    Rafael Fernandes :

    Eu já joguei dentro do ônibus. Me senti o piloto, o herói, ajudando todas aquelas pessoas.

    Ei! Quando eu era pequeno, meu sonho era um ônibus que podia-se trocar o itinerário 😛

    Lembro que tinha vários lugares de São Paulo nele.

  13. 12, abril, 2011 em 09:46 | #14

    @Talude

    Eu acho que eu lembro desse ônibus também! Acho que o tive e quebrei em questão de segundos, kkkkk

  14. Starbearer
    12, abril, 2011 em 12:56 | #15

    essa música é uma tortura. nem música industrial raiz é tão suja assim!

  15. 12, abril, 2011 em 13:31 | #16

    Tirei a música na carteira da escola FUCK YEAH!

  16. 12, abril, 2011 em 14:43 | #17

    Oi Rafa, só passando p/ uma visita. Depois volto p/ comentar mais. Sucesso no blog e em tudo q fizer. Bjs

  17. 12, abril, 2011 em 15:28 | #18

    A falta de criatividade é tanta que pior é pouco.

  18. Izuky Yamaoka
    13, abril, 2011 em 14:51 | #19

    Nossa, Musica FODA!

    Amei essa musica, ela passa assim uma sensação de tranquilidade e profundidade IMPRESSIONANTE, Poucas pessoas conseguem entender o quanto essa musica é incrivel…A Remix não curti muito não, prefiro a original, é o tipo de musica que você coloca seus projetos de faculdade na mesa e começa faze-los. Musica Incrivel

  19. 13, abril, 2011 em 15:14 | #20

    @Izuky Yamaoka

    Sim, essa será a trilha sonora do meu projeto de conclusão de curso. Realmente foi até bom você ter falado nisso, pois de certa forma a composição possui esse lado relaxante, quase New Age.

  20. 13, abril, 2011 em 15:29 | #21

    cara éssa musica entra no sangue do selebro teve ter um subiliminar maldito pq é muito loke hahahahahahahahaha o melhor jogo que eu ja vi na vida vo presentera meu filho com esse jogo que coco!!!

  21. 19, abril, 2011 em 23:32 | #22

    Assustador!!! O.O

  22. ANTIDEUS
    13, outubro, 2012 em 19:48 | #23

    Aposto que os caras do vídeo abaixo são fãs do Crazy Bus.

  23. 11, janeiro, 2014 em 17:06 | #24

    Acho que esse jogo foi feito no prompt de comando do Windows 98

  24. Alessandro
    27, julho, 2015 em 19:13 | #25

    E o melhor, ele roda no everdrive, o que deixa o jogo ainda mais incrível!

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: