Página Inicial > Arcade, segredos > As fotos (quase) perdidas do making of de Street Fighter: The Movie (Arcade)

As fotos (quase) perdidas do making of de Street Fighter: The Movie (Arcade)

Cammy

Durante as minhas pesquisas sobre o filme de Street Fighter para a Maratona Game Movies do Passagem Secreta, no dia 12 de Novembro de 2010, me deparei com um blog simples mas especial. Pertencente a Alan Noon, ex-diretor da Incredible Technologies, criadora do infame game para Arcade Street Fighter: The Movie (1995) – baseado no ainda mais infame filme homônimo – o blog trazia fotos raríssimas, do arquivo pessoal de Noon, da produção do game.

Graças ao meu velho faro para raridades gamísticas, salvei cada uma das 20 fotos do blog para descobrir, poucos dias depois, que as mesmas haviam sido apagadas de seu servidor. Depois de muita pesquisa dos bastidores da produção do game, trago, finalmente, o post.

Alan Noon explica em seu blog que resolveu postar as fotos devido à grande repercussão de um tópico criado por ele no fórum Shoryuken.com, condensado depois no documento “SFTM Broke My Heart” (Street Fighter: The Movie Quebrou Meu Coração), tentando explicar o porquê do game de Arcade ter ficado aquela droga. Ambos os links já não existem.

Street Fighter: The Movie para Arcade não é um port do game de mesmo nome para Saturn e Playstation, mas uma produção independente e baseada na mesma premissa, criada pela desenvolvedora de Chicago e lançada pela CAPCOM.

 

Aliás, um game baseado no horroroso filme de Street Fighter 2, com imagens digitalizadas dos atores do mesmo (como Mortal Kombat), trazendo tudo o que havia de ruim no filme (história, personagens, etc.) e somando uma jogabilidade fraca, cenários feios e animações pobres, só poderia dar nisso, convenhamos.

No game, Akuma é um personagem regular e dois novos personagens são apresentados: Sawada (originário do filme) e Blade, membro das tropas de Bison. Arkane, Khyber e F7 são personagens secretos, todos sendo trocas da palheta de cores de Blade. Há ainda uma versão turbinada de Bison. Todos os personagens do game são representados pelos atores do filme, exceto Akuma, Blade (que usa um capacete) e M. Bison (Raul Julia só aparece em imagens externas e cut-scenes). Sawada seria originalmente Fei Long, mas mudou-se de idéia por razões desconhecidas (provavelmente por falta de tempo). Dhalsim, Blanka e T. Hawk acabaram sendo cortados da versão final do game.

.

Seguem as fotos das sessões de digitalização dos atores para o game, realizadas na Austrália:

.

Akuma (represeErnie Reye), personagem exclusivo do game, recebendo instruções

 

Raven (Benny the Jet) fazendo pose. Benny é um lutador muito famoso e foi instrutor de artes marciais do elenco de atores.

 

Blanka (no game é interpretado por Kim Repia) com cara de nervoso. Essa imagem já havia aparecido na matéria da Maratona (um Easter Egg desta matéria), lembra?

 

Blanka mostrando o seu “porte físico”. Acabou excluído do game

 

Emma Kearney (atriz Irlandesa, dublê de Kylie Minogue no filme) como Cammy, fazendo pose de vitória.

 

A famosa cantora australiana Kylie Minogue usando o maiô de Cammy…

 

Akuma, representado pelo lutador profissional Ernie Reyes, dando um chute alto

 

Portal das instalações da Warner Bros. na Austrália.

 

E-Honda (Peter Tuiasosopo – ator e jogador de Futebol Americano havaiano) recebendo um retoque na maquiagem

 

Emma, acertando a pose para o seu Cannon Spike

 

Van Damme executando um arremesso. Sua seção de captura foi ótima, segundo Alan Noon

 

Guile-Van Damme num movimento de rolagem

 

Damian Chapa – ator, escritor e diretor – no papel de Ken

 

Quem interpreta M. Bison no game é o dublê de Raul Julia, Darko Tuscan

 

Byron Mann como Ryu, fazendo sua pose de vitória

 

O experiente ator Wes Studi (Sagat) observa sua atuação no computador

 

Kenya Sawada observando a execução de um Flying Punch, um dos vários golpes baseados em Fei Long

 

Visão externa do set de Street Fighter: The Movie

 

Vega, representado por Jay Tavare, acertando sua posição

 

Ator, fisiculturista e praticante de Yoga, o ator Andrew Bryniarski faz a pose de luta de Zangief

 

Curiosidades da criação do game, por Alan Non, em seu relato “SFTM Broke My Heart”:

.

– A ideia da CAPCOM de se criar um Street Fighter com linhas de Mortal Kombat deveu-se ao fato de, na época, Mortal Kombat 2 estraçalhar Super Street Fighter 2 nos arcades, chegando a faturar mil dólares por semana.

– A CAPCOM precisava de alguém que dominava a técnica de gráficos digitalizados e acabou contratando a pequena Incredible Technologies devido à sua capacidade técnica: enquanto Mortal Kombat exibia 64 cores por personagem, o hardware da IT conseguia gerar 256 cores .

– O game originalmente deveria se chamar Street Fighter 3. Ainda bem que o nome mudou, isso poderia representar um grande golpe à continuidade da série.

– Acredite: os criadores do game não sabiam ao certo se Sheng Long era realmente um personagem ou um erro de tradução! E mais: não sabiam a relação exata entreSheng Long, Gouki, Gouken, Akuma e Goutetsu.

– Outro set de captura de imagens foi construído num depósito em Chicago para a captura de três personagens: Chun-li, um Ken alternativo e Sheng Long. Infelizmente, até o momento, não existem fotos das sessões de digitalização deste set publicadas.

– Sheng Long realmente foi criado para este jogo, tendo até mesmo sido digitalizado como os outros personagens. Ele possuía um kimono preto e faixa da mesma cor, calças verdes e um cabelo longo e trançado nas costas. Seu braço seria a representação de um dragão (Sheng Long = Dragon Punch), verde, com escamas, chifres e com garras no lugar dos dedos. E mais: Sheng Long lutaria vendado!  O motivo seria que Akuma, ao tentar matar Sheng Long, falhou, mas teria deixado este cego.

– O artista que representou Sheng Long acabou indo para a Midway, onde trabalhou na criação dos personagens de Mortal Kombat.

 – No set havia uma máquina de Super Street Fighter II Turbo, usada como demonstração do jogo para os atores.

– Alan Noon resolveu criar Akuma depois que um membro da CAPCOM japonesa que estava no set usou o código para liberá-lo, durante uma disputa entre eles no arcade de Super Street Fighter II Turbo.

– O diretor desconfia que o personagem Sawada tenha sido parte de um planejamento da CAPCOM para ter um braço cinematográfico e uma estrela (Sawada) protagonizando os seus próprios filmes. Isso faz muito sentido.

– Noon conta que Sawada, que não falava Inglês, teve a sua voz dublada no filme e que riu histericamente quando este falou pela primeira vez no mesmo.

– Foram feitas duas sessões de digitalização com Sawada: uma como Cap. Sawada e outra como Fei Long.

– Por um momento foi cogitado criar uma personagem secreta baseada na digitalização da dublê de Kylie Minogue, Emma Kearney.

– A captura de Ken (Damian) não agradou e um segundo Ken, lutador de artes marciais, foi digitalizado no set de Chicago. A CAPCOM não autorizou a mudança e o Ken alternativo também ficou perdido em algum CD da IE.

Raven foi um personagem criado pela equipe do game, fã do famoso lutador Benny “The Jet” Urquidez. Ele teria a habilidade de mudar seu estilo de luta e teve sua digitalização completa. Devido ao tempo, foi cortado da versão final do game. Coinciência ou não, a série teria mais tarde um personagem com a mesma habilidade de Raven, “Gen”, em Street Fighter Zero/Alpha 2.

 – Dee Jay foi outro personagem digitalizado e que não teve tempo de ser incluído no game. A roupa usada não foi o uniforme do filme, mas sim a roupa original do game.

– Trapalhadas: enquanto T.Hawk (Gregg Rainwater) “fugiu” das sessões de digitalização, Dhalsim (Roshan Seth) não conseguiu executá-las, além do que o diretor achou que ele poderia ficar estranho: “iria parecer um passarinho” (risos).

– Foi sugerida pela empresa a criação de um ninja, Geki de Street Fighter I, mas em versão feminina. A CAPCOM recusou (talvez ela não se interessasse em outra Poison…). Alan diz que a personagem tem várias semelhanças com Ibuki, de Street Fighter III.

– Três outros personagens também foram sugeridos, um deles “Eagle”, de Street Fighter I, mas também foram descartados. O diretor revela que Mike Haggar não estava entre estes personagens. Segundo ele, todos os games que trazem o personagem como destaque, fracassam.

– Alan Noon diz que há um Easter Egg com as iniciais dele, no cenário de M. Bison, numa das luminárias, “talvez a superior esquerda, a mais alta do cenário”, segundo ele.

– Durante o desenvolvimento do game, Virtua Fighter estava começando a despontar em cena. Um dos programadores conseguiu criar uma engine 3D que usava cenários em 3D com sprites em escala. Noon diz que, após testar um Zangief vs Cammy, o resultado ficou impressionante para a época, mas que, infelizmente, era tarde demais para adotá-lo no projeto.

– O diretor descreve como as discussões sobre a jogabilidade, confusa entre os padrões Street Fighter e Mortal Kombat, minaram o desenvolvimento do game. No final, o game ficou com um excesso de combos que levantam o oponente (“Pop-Up”) e combos no ar em sequência (“Juggle”) – fora o desequilíbrio dos personagens.

– Para Alan Noon, Street Fighter The Movie deixou todo um legado à serie: reinvenção de personagens antigos (Gen, Eagle), crossovers (Mega Man teria sido proposto), troca de estilos de luta (Raven > Gen), super personagens (Super Bison > Evil/Shin Ryu/Akuma), possessões (Sheng Long > O Hadou), diferenças entre Ryu e Ken, ninja feminina (Geki > Ibuki) e os combos aéreos.

.

Além do famoso relato de Alan Noon, há ainda um segundo relato, de um dos figurantes do game, Hugues Johnson, chamado Street Fighter: The Movie Made My Afternoon. Ele conta como foi aparecer na platéia do cenário de Vega.

E aí? Quem se habilita a encontrar no game (ou perdidas em algum arquivo pessoal de fotos) as supostas imagens de Sheng Long, do Ken alternativo, Raven, Fei Long e Dee Jay?

.

Referências: Alan Noon, Street Fighter Wiki, Street Fighter Brasil, Neo Gamer, Wikipedia, Game Hall

Idealizador e criador do Passagem Secreta, vencedor do prêmio Top Blog, cientista da computação, pós-graduado em Educação, professor e, nas horas vagas, gamer.

Facebook Twitter Google+ YouTube Skype 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: Arcade, segredos
  1. Talude
    29, abril, 2012 em 15:10 | #1

    Kylie Minogue ♥

  2. Rock me ON
    29, abril, 2012 em 15:31 | #2

    Pena que não cheguei a ver este game. Parecia interessante apesar de feio.

  3. 29, abril, 2012 em 15:44 | #3

    Muito legal saber de todas essas curiosidades, dá vontade mesmo de sair procurando esses sprites perdidos. Ainda bem que esse jogo não levou o nome de Street Fighter 3, ia sujar o nome da série e dificilmente ela iria recuperar a sua credibilidade.

    É bem interessante também o fato de muitas coisas aparecerem nos futuros jogos da série. Creio que se esse jogo fosse feito for uma equipe que conhece bastante do jogo e os personagens fossem desenhados, como em SF2, ele teria alguma chance de ter credibilidade entre os fãs.

    Ótimo post, MCS!

  4. 29, abril, 2012 em 16:17 | #4

    Kylie Minogue ♥ [3]

  5. 29, abril, 2012 em 16:18 | #5

    Eu nunca tinha ouvido falar nada sobre o desenvolvimento desse jogo e fica realmente claro como eles estavam experimentando técnologias diferentes das que eram usadas na época (tirando, claro, a captura de golpes que já vinha desde o primeiro MK.

    Só ficou uma dúvida no ar pra mim: essa sessão de capturas foi a mesma usada para as versões caseiras do PlayStation e Saturn?

  6. 29, abril, 2012 em 17:19 | #6

    Kylie Minogue ♥ [156432446652]

  7. Talude
    29, abril, 2012 em 17:33 | #7

    As versões caseiras tem melhor jogabilidade que a de arcade. Olha, vale muito a pena jogá-las!

  8. 29, abril, 2012 em 21:23 | #8

    Cara, você realmente desenterrou esse troço sei lá de onde. kkkk. O jogo é realmente um lixo, mas até deu vontade de jogar novamente. Muito bom o review.

  9. Gamer Caduco
    1, maio, 2012 em 00:47 | #9

    Que belo achado!
    O jogo é realmente uma grande porcaria. Pelo menos a versão de Playstation (a que joguei) me deu até raiva quando tentei jogar, é péssimo.
    Mas eu não sabia que o MK2 teve tanto sucesso mais que SSF2, achei que eram meio que equivalentes. Pudera, MK2 talvez seja a versão que mais agrade o público no geral (sem contar a última lançada para as plataformas atuais). Será que viajei?
    Mas o que mais me impressionou é que quase transformaram uma lenda em algo concreto: Sheng Long! O que será que teria acontecido se ele fosse incluído no game? E se este se chamasse Street Fighter 3?
    Cara, várias curiosidades… o texto ficou ótimo! Parabéns!
    Abraço

  10. 1, maio, 2012 em 11:16 | #10

    Kylie Minogue ♥ [134953~2]

    Excelente matéria!

    Eu nunca tinha ouvido falar desse Street Fighter, ele até parece mais um Mortal Kombat do que o próprio Street Fighter, hehe.

  11. Talude
    2, maio, 2012 em 00:29 | #11

    A Kylie Minogue (e a Emma Kearney) na foto acima está com um óleo no corpo, que é muito usado em vídeos pornôs (Ex: http://hegre-art.com/films#search=oil) o que a deixa mais sexy ainda! (Detalhe: todos estão!) Será que ajuda na captura?
    Para mim, isso aumenta o brilho, o que pode incomodar mais a gravação, mas, pelo visto, não.

  12. 3, maio, 2012 em 17:38 | #12

    bacana as fotos.

  13. Flavio Master
    4, maio, 2012 em 23:04 | #13

    Kylie Minogue ao óleo? Sonho de muito marmanjo…

    Se esse game fosse um pouco mais novo, imaginaria que o trio Arkane/Khyber/F7 objetivava imitar Cyrax/Sektor/Smoke.

  14. MestreRyu84
    13, maio, 2012 em 01:22 | #14

    Olá, MCS, administradores e visitantes do Passagem Secreta.

    Aproveitando também queria deixar o link da matéria atualizada por mim ano passado em comemoração aos 20 anos de Street Fighter II (a mesma que foi postada com as imagens e a tradução no fórum Street Fighter Web Site e que influenciou muitas matérias posteriormente como esta em questão e a do post com os atores do Mortal Kombat, vistas aqui pelo nosso afiliado, o Passagem Secreta): http://santuariodomestreryu.blogspot.com.br/searc

    O conteúdo faz parte da série Atores Digitalizados Volume 2 e foi dividido em 3 partes.
    Obrigado pelo espaço e um abraço a todos.

    Atenciosamente
    Mestre Ryu
    Santuário do Mestre Ryu

  15. 27, junho, 2012 em 23:28 | #15

    Esse Blanka parece a Cássia Eller!

  16. 28, outubro, 2012 em 22:05 | #16

    O que mais acho interessante deste jogo é que as versões caseiras ficaram muito melhores por claramente usar a engine do Super Street Fighter II Turbo. Tanto que os cortes de frames são iguais (e até mesmo vozes) apenas trocando os sprites dos lutadores e cenários pelas versões digitalizadas.

    Eu sinto falta de jogos assim, adoraria ver um jogo digitalizado com a tecnologia HD que temos hoje em dia.

  17. leonardosoler
    30, março, 2013 em 00:21 | #17

    Nuossa! Loko issae!

    Cammy deusa AsjIJSAASHUash

    Na boa, único jogo de luta que foi baseado num filme que é baseado em um jogo de luta HASUSHUAs é Double Dragon do Arcade! Jogo de luta de muito bom e bem feito! Esse Street Kombat não é bom nem aqui e nem na Korea ASHasuh

  18. pedro
    15, novembro, 2013 em 14:36 | #18

    Lembro de jogar uma versao para playstation, nao a do video, nela tinha o blanka e o dee jay

  19. helisonbsb
    26, fevereiro, 2014 em 15:48 | #19

    curiosidades e afins,,,,lembro da época do cinema e o jogo do saturn,,,,bons tempos,,,o jogo poderia ter sido melhor,,,recomendo assitir o filme,,,vc ganha mais,,,

  20. pmasterBR
    3, junho, 2014 em 17:07 | #20

    Joguei o do psx em locadora com o meu irmão, assim que o playstation saiu, o filme estava nos cinemas ainda na época, bons tempos. Interessante que o sistema de se utilizar 2 boto?s de soco ou de chute para executar um golpe mais forte no Street fighter foi inventado nele. pouca gente sabe disso.

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: