Página Inicial > artigos, game music > Músicas excepcionais para jogos horrendos – Haunted Castle

Músicas excepcionais para jogos horrendos – Haunted Castle

É incrível como existem jogos onde o departamento musical se esforçava ao máximo para sonorizar uma bela de uma porcaria. É o caso dos games que pretendemos abordar nessa série esporádica, que teve sua primeira parte em Rastan Saga II, e que agora continua com Haunted Castle, um arcade da Konami lançado em 1988 que, a princípio, é um jogo da série Castlevania. Por que ele é tão esquecido e rejeitado, e como a trilha sonora sobreviveu durante todo esse tempo?

A premissa de Haunted Castle, na época de lançamento, era de contar novamente a história do primeiro game utilizando o poderio da placa de arcade da Konami, que permitia gráficos e sons bem melhores do que os dos consoles NES e MSX, que abrigaram os jogos anteriores. Assim, pode-se dizer que este é um remake do Castlevania original de Nintendinho, com a diferença de que agora Dracula sequestra a esposa do protagonista: uma pequena (e datada) cena no início do jogo mostra Simon e Serena saindo recém-casados da Igreja, até que o vampiro aparece e leva a mulher.

É aqui que a diversão começa…

A partir daí, somos colocados no controle de Simon, com o objetivo de buscar Serena e derrotar Dracula. O problema é que esse controle não é tão bom assim. O jogo se comporta igualzinho ao Rastan Saga II: Um sprite gigantesco e desengonçado na tela sendo alvejado por uma série de inimigos que vêm de todos os lados em um padrão aleatório. E numa dificuldade absurda. O diferencial de Haunted Castle e que torna as coisas mais difíceis é que o personagem só tem uma vida, medida por uma barra de energia que não dá muitas esperanças. Isso torna as coisas ainda mais frustrantes e, para o jogador normal, é bem impossível de passar da primeira fase. Ghosts and Goublins é fichinha perto desse negócio aí.

Por essas e outras, o jogo acabou morto e enterrado, sendo desconsiderado pela maioria das pessoas que acompanha a série Castlevania. Mas o mesmo não aconteceu com sua trilha sonora.

Composta por Kenichi Masubara da Konami Kukeiha Club (nome dado ao departamento sonoro da empresa, ou seja, os “pratas da casa”), a trilha sonora possui algumas composições bem legais e a reciclagem de alguns temas de Castlevania II, também produzida por ele. E diferente, do som limitado dos consoles, o arcade possui um chip sonoro Yamaha, responsável pela síntese de sons FM, e dois chips customizados pela Konami,  que permitiam o uso de instrumentos pré-gravados na memória da ROM. Assim, a trilha sonora possui uma instrumentação muito mais rica, apesar do som mono.

Nota: Por alguma razão, o player do 4shared corta o fim das faixas. Para fazer o download delas e ouvir na íntegra, basta clicar no nome das músicas.

Cross Your Heart (Graveyard BGM)

Logo após a introdução do game ao som da marcha nupcial, temos esse excelente tema, que ilustra a primeira fase do jogo. Esse tema foi recentemente reusado em Castlevania: Portrait of Ruin, por isso ela também possui o nome Crucifix Held Close :

Além disso, existem outras versões feitas para essa composição, lançadas em álbuns aonde a trilha sonora de Haunted Castle estava presente. Um dos mais conhecidos é este, feito para um compacto que acompanhava a publicação japonesa Beep! Magazine:

Akumajo Dracula (Arrange) – Devil.Weeding~Blood Graveyard

Revival of the Demon (Boss BGM)

Se o jogador conseguisse de alguma forma chegar ao chefe da primeira fase, poderia ouvir esta composição que ilustra a batalha contra esse e os chefões subsequentes. É um tema inconstante, com diversas mudanças de ritmo e frases durante a música; provavelmente com a intenção de ilustrar algo imprevisível, e ao mesmo tempo aterrador.

 

 

Bloody Tears (Inside the Castle (1F) BGM)

O tema clássico inaugurado em Castlevania 2 tem sua versão aqui, que serve como música de fundo para a terceira fase. E, comparando com sua contraparte no NES, a diferença desta versão comparando está (obviamente) na instrumentação mais elaborada. É apenas lamentável que seja tão curto quanto o original, efetuando o seu primeiro loop em apenas 30 segundos! Uma pena que não foi tirado proveito das capacidades de memória da placa de arcade para efetuar alguns improvisos e liberdades sobre a composição original, o que foi feito nos jogos subsequentes aonde o tema foi reciclado.

Can’t Wait Till the Night (Bridge Stage BGM)

A última fase do jogo (e a mais ridiculamente frustrante em termos de dificuldade) não poderia possuir tema mais adequado: com uma introdução utilizando o baixo e conjunto de sopros sintetizado, a composição logo se revela algo épico, ilustrando de forma perfeita o momento derradeiro antes de encontrar o Drácula. Mais uma vez, infelizmente a música é boa demais para ser tão curta.

 

The Final Battle (Final Boss Second Half)

Assim como o tema de chefes, a música aqui toma um rumo mais baseado em alterações constantes de ritmo e acordes, o que relembra mais as trilhas incidentais do cinema de ação, baseadas mais no ritmo do que na melodia. O tema serve para ilustrar a batalha final entre Simon e a última forma de Drácula.

 

Infelizmente o final do jogo não possui uma composição que valha a pena comentar, lembrando mais um jingle do que um tema propriamente dito. Porém, o jogo guarda uma grata surpresa na música que mostra o ranking dos jogadores que fizeram maior pontuação no arcade. O tema de pouco mais de um minuto poderia facilmente ser integrado a uma das fase do jogo – e até mesmo substituir algumas das BGMs que entraram no jogo.

A Lullaby Sent to the Demons (Ranking)

Conclusão

A trilha sonora de Haunted Castle é um belo de um desperdício, infelizmente. Apesar de curtas, as músicas são ótimas, mas todo o resto do game (com exceção, talvez, dos gráficos) não segue esse padrão. A instrumentação é muito mais interessante que o normalmente encontrado nos chips de som do Nintendinho e do MSX; destaco aí o uso da bateria, que praticamente brada aos quatro cantos “eu sou dos anos 80!”, e que é muito bem usada nas músicas. É uma pena que todo esse potencial se perdeu na mediocridade do game, mas ainda bem que os músicos dos jogos seguintes da série perceberam o potencial dessas composições, reaproveitando o material que Kenichi Masubara havia produzido para esta bomba. Mas, por via das dúvidas, caso esbarrei por aí com esse game, não jogue: apenas ouça 🙂

A trilha sonora pode ser encontrada nos lançamentos oficials da Konami, como o Konami Game Music Collection Vol. 1, e no 1º Disco da coletânea Akumajo Dracula Best Music Collections Box, lançado no ano passado. Gamerips também existem aos montes; caso queira baixar apenas uma faixa específica, basta apenas pegar nesse endereço.

Haunted Castle OST (Download)

Jornalista de games, editor de vídeo e estudante de Audiovisual, escreve atualmente para a Revista OLD! Gamer. Além dos joguinhos, também dá pitacos sobre cinema, TV e tecnologia; sempre acreditando que a ironia é a melhor forma de sinceridade. Ouve Game Music e trilhas sonoras de filmes durante a maior parte do tempo, mas jura que é uma pessoa legal. Seguista, badernista e exorcista.

Twitter YouTube 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: artigos, game music
  1. 20, março, 2011 em 21:09 | #1

    Bicho, como eu tinha te contado no twitter, só foram melhorar a jogabilidade de Haunted Castle no port pra ps2 (2006), aonde Simon continua se movendo com a agilidade de um sujeito de calça jeans debaixo d'água, mas é mais semelhante ao de nes/msx e dá pra passar da primeira fase sem muitas dificuldades, e simon não tem a saúde de um canário com tuberculose.

    Off topic: Também queria perguntar se rola uma parceria pra troca de links… e então?

  2. 20, março, 2011 em 22:00 | #2

    @Kyo

    Ainda assim, acho que essa melhorada não deve ter sido suficiente pra melhorar o jogo. Sabe aquela coisa feia que só nascendo de novo pra consertar? Então…

  3. 20, março, 2011 em 22:25 | #3

    @Rafael Fernandes

    O pior é que melhorou, de uma nota 3 por exemplo que você daria pro jogo de arcade, a conversão de PS2 recebeiria de 6,5 a 7 (7.5 se vc estiver de bom humor), é mais ou menos como o jogo deveria ter sido, só a movimentação mesmo que é a de um tijolo, mas dá pra sobreviver.

    Off:

    E vou confessar uma coisa, fora a trilha sonora refeita, não achei muita diferença entre as versões Arrange e Original do Castlevania Chronicles de PS1, e aqueles efeitos do remake achei meio furrecas. Mas só deixei esse off de ensejo porque o tema castlevania foi levantado.

  4. 21, março, 2011 em 05:43 | #4

    Muito bom, belo achado, Rafael. Ouvi todas, chorei no update sonoro da bloody tears! Putz, tudo bem que tem versões arranged/remix/etc aos montes por aí, mas com a bateria do Yamaha DX7/PSRs (esses samples de bateria, garantidamente a snare drum, são de lá – curiosidade inútil aí 🙂 ficou demais.

    Esse haunted castle usa a engine de Rastan é? rs

    A primeira e a última músicas (cross your heart e lullaby sent to demons) do post merecem entrar em qualquer playlist de fã de game music (estou baixando a OST que colocou aí, rs). Realmente essa música do high score merecia ser promovida ao BG de uma bela de uma fase. O estilo 'música da konami de castlevania' está por todos os lados nesse jogo, que tem cara de bomba mesmo, mas que dá uma vontade danada de experimentar.

  5. 21, março, 2011 em 06:00 | #5

    @Kyo

    Huum, será que vale a pena? Vou aproveitar que tenho umas mídias sobrando aqui e vou pegar…

  6. 21, março, 2011 em 06:52 | #6

    Caramba, não tinha reparado como que as músicas desse jogo eram boas!

    Eu ficava tão puto com o jogo em si que a música acabou passando despercebida…hahah

    Essa música do ranking (A Lullaby Sent to the Demons) é excelente mesmo, ela toca no Castlevania Rebirth de Wii por sinal (http://www.youtube.com/watch?v=tViz7huwhJA)

    Belo post, parabéns!

  7. 21, março, 2011 em 06:54 | #7

    @Cosmonal

    Eu curto muito esses sons de Snare Drum que parece que o cara tá usando um chicote ao invés da baqueta, é bem típico dos anos 80. Não sabia que isso podia ser obtido no DX7, vou dar uma fuçada nele quando puder para conseguir esses sons 😀

    A Cross Your Heart é muito boa mesmo, mas dou preferência a Can’t Wait Till the Night, da última fase. Ela e épica!

  8. 21, março, 2011 em 07:06 | #8

    @Luizzz

    Gostei dessa releitura da música, usa a mesma bateria e tudo!

  9. 21, março, 2011 em 08:51 | #9

    – Se alguém pode impedir este casamento, fale agora ou cale-se para sempre.

    Dracula aparece vindo de lugar nenhum e leva a noiva embora.

    WTF?

    Adorei a ideia dessa série de posts! Jogo horrendo com música boa sempre me lembra Cheetahmen. Não que a música seja um primor também, mas… é engraçadinha, os remixes sim são legais, e perto da jogabilidade é uma obra-prima. http://nocmoon.com/2011/01/cheetahmen-theme-remix

    Quanto a esse Haunted Castle… Nem sabia que o jogo existe. Mas se é um Castlevania, e a trilha foi feita pelo Kukeiha Club, não é de espantar que seja boa! Nenhum castlevania que eu joguei me desapontou nesse quesito.

  10. 21, março, 2011 em 10:41 | #10

    Cheetamen clássico! Tem muito jogo do NES que tem música muito boa e jogo horrendo. Tipo Silver Surfer. #dica

    • Lucas Cantino
      11, janeiro, 2015 em 15:22 | #11

      silver surfer tem uma trilha espetacular mesmo,mas é bom jogo rss , o problema é que é impossivel ,procure por quarteto fantastico de ps1 ai sim tu vera um jogo medonho com otima trilha

  11. 21, março, 2011 em 14:35 | #12

    Queria ter oportunidade de jogar este game, ainda que ele seja ruim [/fangirldasérie]

    Anyway, a trilha é muito boa mesmo. Inclusive algumas músicas foram até tocadas no Castlevania The Concert, pra vocês verem como é boa mesmo.

  12. 21, março, 2011 em 17:48 | #13

    Putz, me deu até raiva de que um jogo com as músicas bacanas seja tão ruim. Isso que dá entregar poder demais na mão dos programadores, eles ficam preocupados em demonstrar poderil gráfico e esquecem de fazer o jogo mesmo.

    A animação do Simon parece que ele é um trombadinha escondendo uma arma e mandando passar a carteira e o relógio, aquela cena da parede que te "ataca" ficou ridícula e o idiota que teve aquela idéia devia ser preso.

    Realmente é uma pena que uma trilha tão boa seja desperdiçada com um jogo tão capenga. Pelo menos ao longo dos tempos algumas músicas sobreviveram sendo usadas em jogos de melhor qualidade (apesar de que achei Portrait of Ruin uma entrada fraca da série). Fiquei até curioso de procurar onde mais as músicas foram usadas, será que alguma delas está no Lord of Shadows? Eu sei que Vampire Killer tem.

  13. 21, março, 2011 em 17:49 | #14

    @Kurt

    Silver Surfer tem realmente uma das melhores músicas de NES. O jogo nem achava ruim na época (chegue a terminar) mas o nível de frustração arremessa muitos controles na parede.

  14. 21, março, 2011 em 20:43 | #15

    @Jejé

    Olha, assim… Sabe aquele jogo que a gente idealiza apenas ouvindo as músicas dele? Então, continue assim, porque no caso de Haunted Castle, é melhor ficar apenas no pensamento, porque na hora de jogar… Haja decepção!

    Castlevania in Concert? hum, vou ter que ver isso aí! Sou um pouco novato em relação a trilhas de Castlevania, então ouvir isso aí seria uma boa oportunidade de ser apresentado a temas menos famosões da saga.

    @Dancovich

    Não reconheci na trilha de LoS nenhum desses temas não… Se bem que nunca joguei o game, apenas ouvi os temas compostos pelo espanhol que esqueci o nome agora!

    Trombadinha escondendo uma arma? huahuahueuahua!

  15. 21, março, 2011 em 21:48 | #16

    Surpreendente a escolha deste segundo “Músicas excepcionais para jogos horrendos”. Esperava por algo da Sega, não da Konami.

    Sempre via o Haunted Castle perdido no Akumajo Dracula Best Music Collections Box. Nunca me dei ao trabalho para conferir exatamente como era o jogo até que olho os vídeos… que entulho! Ao menos foi minha primeira impressão. A abertura e flyer também não ajudam muito.

    Agora uma dúvida: as músicas espalhadas no post acabam assim abruptamente, sem fade nem nada? Digo… estão todas assim nos lançamentos oficiais ou você subiu as faixas de algum rip?

  16. 22, março, 2011 em 05:10 | #17

    @Alexei Barros

    Poooxa, sou tão previsível assim? É bom dar uma esquecida da Sega às vezes, né? rs

    Quanto ao corte: Não, esse é um erro do player do 4shared mesmo, que corta as músicas por algum motivo imbecil. Não consegui upar as músicas no Soundcloud porque a Konami não deixa por lá, deletando tudo por motivo de direitos autorais. Mas se tu clicar nas faixas e abrir para ouvir no 4shared, elas estão na íntegra, com fade. Loucura, né?

    Vou testar o Goear pra ver se funciona agora….

  17. 22, março, 2011 em 09:35 | #18

    Poderia ter sido específico: pensei naquele jogo que começa com S… e termina com word of Vermilion. =p Se bem que ainda queria jogar mais do que me basear na opinião dos outros.

    Ah, tá explicado o corte. Não sabia dessa restrição da Konami no Soundcloud. No Goear, pelo menos comigo, as músicas jamais foram apagadas sem o meu consentimento.

  18. 22, novembro, 2011 em 22:57 | #19

    Poxaaa como não havia visto esse post antes. Bem antes tarde do que nunca, devo comentar aqui.

    Rafa você esqueceu de comentar que Can’t Wait Till the Night tem partes como o inicio vindas da música Heart of Fire do Castlevania original de NES/MSX. Mas não só isso… A mesma retorna sofrendo um mashup com a própria Heart of Fire em: Castlevania Aria of Sorrow, como tema de batalha contra Julius Belmont.

    Aliás muitas músicas (como a série toda gosta de fazer) são reaproveitadas em remixes mais fenomenais ainda. Muitas dessas músicas retornam por exemplo em jogos como Castlevania Arcade (Castlevania de Arcade mais atual, on-rails, mas com uma OST de arrepiar), e o fantástico Castlevania HD (esse é must buy com certeza).

    Vale lembrar que o mencionado Castlevania Portrait of Ruin (Michiru Yamane e Yuzo Koshiro) é um castle que retorna com músicas mais velhas que a serra… Na segunda parte do jogo, cada quadro (área) tem uma ost de algum jogo antigo (alguns bem Undergrounds mesmo) da Konami. Temos o retorno de trilhas de jogos como Castlevania Bloodilines (Mega Drive), Castlevania Rondo of Blood (PC Engine) e até de Kimgdom Valley 2 (MSX, no segundo quadro do deserto), além do Cross Your Heart do Haunted Castle.

    • 23, novembro, 2011 em 21:26 | #20

      Fala, Fox! Não se acanhe em comentar posts tardios, mah oe!

      Então, eu confesso que, como são muitos jogos, eu realmente desconheço um pouco sobre as trilhas de toda a série Castlevania. Por isso, fiz o post baseado nos jogos e trilhas que conheci, e nas informacões que tinha. Ainda bem que tem gente como você e a Jejé pra acrescentar as informações.

      Quanto às músicas retornarem em jogos posteriores, eu até citei isso no post, mas realmente, se for pra parar para pegar cada tema, eu não iria ter postado naquela data, e sim muito depois, rs. Mais uma vez, valeu pelas complementações. Inclusive, ainda não ouvi a trilha do Portrait of Ruin, que pecado!

  19. Lucas Cantino
    10, janeiro, 2015 em 12:58 | #21

    fantastic four de ps1 , nota 1 na ign e um som funk fanstastico

  20. brambilla27
    7, fevereiro, 2015 em 07:24 | #22

    Pois é, a jogabilidade parece horrivel mesmo hahaha, mas esse jogo ai não é dificil, ele chega a ser injusto mesmo.

  21. Lucas Cantino
    7, março, 2015 em 00:01 | #23

    acho que todos os jogos da LJN entram facil , embora amar essa empresa <3

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: