Página Inicial > Mega Drive, reviews > Night Trap – Parte 1 (Review)

Night Trap – Parte 1 (Review)

Existem games que são  tão marcantes que acabam definindo o ciclo de vida inteiro de um console, trazendo uma associação imediata entre um e outro. Esses jogos podem representar perfeitamente o quanto a plataforma sucedeu em divertir seu público, ou então, de tão ruins que são, podem representar como o console falhou nessa tarefa. Esse é o caso de Night Trap.  O jogo, lançado em 1992, representou o “ápice” do estilo de jogo FMV (Full Motion Video) , gênero caracterizado pelo uso de vídeos digitalizados como forma de jogabilidade. Lançado primeiramente para o Sega CD, o jogo não serve apenas como uma lembrança de como o Add-on para o Mega Drive foi um mico, mas também como todo um conceito de revolução foi por água abaixo com games/filmes de qualidade duvidosa, e que custaram caro demais.

Neste especial de duas partes, falaremos do jogo e da polêmica em que esteve envolvido.

Confira o review de Night Trap!

Jornalista de games, editor de vídeo e estudante de Audiovisual, escreve atualmente para a Revista OLD! Gamer. Além dos joguinhos, também dá pitacos sobre cinema, TV e tecnologia; sempre acreditando que a ironia é a melhor forma de sinceridade. Ouve Game Music e trilhas sonoras de filmes durante a maior parte do tempo, mas jura que é uma pessoa legal. Seguista, badernista e exorcista.

Twitter YouTube 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: Mega Drive, reviews
  1. 10, abril, 2010 em 12:55 | #1

    Cara, eu amo meu SEGA-CD e só de ouvir a musiquinha da rom dele já me vem aquela sensação nostálgica de reencontrar um velho amigo.
    Mas sinceramente eu não curtia os jogos FMV. Tenho Night Trap original e nunca joguei mais do que alguns minutos. Mas vou tentar novamente pra poder fazer um comentario mais decente por aqui

  2. kenny wesley
    16, fevereiro, 2011 em 11:12 | #2

    eu nunca joguei esse jogo mais fiquei sabendo pela propria internet que dana plato atriz que fez a série "Minha Família É uma Bagunça"(nome americano: Diff'rent Strokes)e no brasil batizado pela sbt como arnold conhecida como "Kimberly Drummond" kem ja jogo esse jogo poste aki queria sabe das criticas desse jogo

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: