Página Inicial > reviews > You Have to Burn the Rope

You Have to Burn the Rope

Esse é um dos maiores exemplos de como um joguinho em Flash consegue ser tão simples e, ao mesmo tempo, tão cativante e satírico.

O artigo a seguir contém alguns spoilers, então, caso prefira jogar o game antes, vá em frente! Mas não esqueça de voltar aqui.

You Have to Burn The Hope é um game de plataforma, criado pelo estudante Kian Bashiri, com o objetivo de parodiar os jogos e seus clichês, aliado à baixa dificuldade que grande parte deles apresenta atualmente. E ele acertou na mosca: O jogador é colocado no controle de Hero, um personagem simples que pode saltar e lançar martelos.

Como se o nome do game já não fosse suficiente para dizer ao jogador o que ele deve fazer para concluí-lo, existem várias dicas colocadas na fase conforme o personagem se aproxima de seu confronto final com o Grining Colossus, um chefe de proporções gigantescas que não pode ser derrotado por ataques normais, apenas pelo método que o jogo lhe descreve.

E aí, assim que Colossus é derrotado, o jogo termina, dando início aos créditos finais, cuja canção lembra muito Still Alive, de Portal – guardadas as devidas proporções . E, assim como a música de Jonathan Coulton, You´re a Hero brinca com o jogador de uma forma muito legal, “quebrando a barreira”. Saca só a música e a letra:

Com uma sequência de créditos finais basicamente mais longa do que todo o resto, YHBR é praticamente um anti-jogo – e que, até nessa questão, satiriza os games mais modernos, se pensar bem. Vários jogadores entraram na onda e postaram seus Walktrhoughs detalhados e Speedruns; até  uma criança de 4 anos fez um review em vídeo!

You Have to Burn The Rope foi lançado em 2008, e competiu no ano seguinte ao prêmio de melhor jogo no Festival dos Games Independentes. De fato, é um belo de um tapa na cara de grande parte da indústria gamer – e, por tabela, da crítica que a avalia, que se aproveitou da situação para parodiar os reviews que analisam cada aspecto de um game de forma quase filosófica. É mais do que provado que, para ser um bom jogo, não é necessário gráficos de última geração, uma história profunda, ou nem mesmo um bom som. Só precisa queimar a corda.

Para jogar You Have to Burn The Rope

Trilha sonora

Agradecimentos ao amigo Thiago Lopes, pela dica!

Fonte: 1Up, Wikipedia

Ex-colaborador do Passagem Secreta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Gostou do post? Então compartilhe!
Categories: reviews
  1. 15, novembro, 2010 em 10:49 | #1

    Curto, igual ao jogo: DEMAIS!

  2. Azureus
    15, novembro, 2010 em 11:38 | #2

    Tá ai um dos "clássicos" dos games indies.

  3. 15, novembro, 2010 em 12:34 | #3

    Bem legal, um "metajogo" de crítica a alguns dos games atuais.

    Deveriam lançar versões específicas para FPS, MMORPG, Social Games (credo) e outros.

    Olha o manual do game: http://www.mazapan.se/YouHaveToBurnTheRopeManual/ , acho que irão precisar. 😀

  4. Starbearer
    16, novembro, 2010 em 12:09 | #4

    vai ter sequencia?

  5. 16, novembro, 2010 em 12:30 | #5

    Acho que não. Mas uma boa sequência seria: You must hit the head.

  6. 17, novembro, 2010 em 10:23 | #6

    Eles deviam fazer um jogo maior. Com mais montros e mais cordas para você queimar. Mas esse jogo é tão viciante! *-* Vem um "You must use the ax for something"

    • Rafael '00Agent
      17, novembro, 2010 em 14:03 | #7

      Haha, acho que devia ter cutscenes também, antes de enfrentar o monstro! E físicas melhores!

  7. Michel
    17, novembro, 2010 em 13:16 | #8

    A música dos créditos é ótima!

  8. 18, novembro, 2010 em 07:01 | #9

    Será que algum ner de plantão entende de tecnologia o suficiente para criar um cartucho para um NES da vida com esse jogo? Se os contrabandistas fazem um, por que não?

  1. Nenhum trackback ainda.

%d blogueiros gostam disto: