Videocast: Retrospectiva Road Rash

Mais de 10 horas e 100 GB de imagens brutas. Aproximadamente 15 horas de edição. 8 horas de upload. 5 minutos de gargarejo. Todo esse esforço árduo para proporcionar a vocês mais um Videocast para o Passagem Secreta!

Dessa vez, a ideia é analisar cada jogo dessa franquia que deixa saudades: Road Rash, um dos games de corrida mais alucinantes das gerações passadas. Por isso, o vídeo acabou sendo o mais longo até agora, com 20 minutos de duração – o que ainda assim é bem rapidinho, não é? Mas fiquem tranquilos, porque antes que o tédio caia sobre a montagem, trago uma piadinha para quebrar o gelo! Nem preciso falar do ritmo de montanha russa da edição, aliás!

Como o Youtube me deixou de castigo por 6 meses devido ao infame vídeo do Street Fighter, tive que dividir o Videocast em duas partes para caber na limitação de 15 minutos do site. Alternativamente, porém, upei a versão sem interrupções no Vimeo, para quem quiser assistir por lá.

Então foi:



Para conferir a versão completa no Vimeo:

Lembrando que o seus comentários são muito importantes; fiquem à vontade para me trollar. Eu gaguejo em uma parte do vídeo, então podem sacanear! Ou então podem comentar sobre sua experiência com Road Rash, ou se discordam das análises… Afinal de contas, estamos aqui pra isso!

 

 

Jornalista de games, editor de vídeo e estudante de Audiovisual, escreve atualmente para a Revista OLD! Gamer. Além dos joguinhos, também dá pitacos sobre cinema, TV e tecnologia; sempre acreditando que a ironia é a melhor forma de sinceridade. Ouve Game Music e trilhas sonoras de filmes durante a maior parte do tempo, mas jura que é uma pessoa legal. Seguista, badernista e exorcista.

Twitter YouTube 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. 27, maio, 2011 em 21:31 | #1

    Porra cara, muita mesada gastei jogando Road Rash com meu irmão numa locadora de uma cidadezinha onde morava, lá por 92/93. Demais!!!

    xxx

  2. 27, maio, 2011 em 21:44 | #2

    @Marcos Kontze

    Putz cara, nem me fala! Eu alugava todo mês o Road Rash III, e depois sempre pegava o de Nintendo 64 quando rolava as promoções de feriadão. Nunca enjoei desses jogos, nunca, é incrível.

  3. 27, maio, 2011 em 21:45 | #3

    Muito bom o review da série, sem dúvida um trabalho de qualidade profissional.

  4. 27, maio, 2011 em 21:58 | #4

    Sou suspeito pra falar, mas ficou excelente! A cada edição do Videocast do Passagem Secreta (todos criados pelo Rafael), a qualidade visivelmente melhora.

    Amanhã vou comentar especificamente sobre a análise dos jogos, sempre fui fã desta série e tenho muita coisa a ser dita.

  5. 27, maio, 2011 em 22:10 | #5

    Lembro-me de um certo domingo de manhã um amigo me visitando em casa trazendo o Road Rash 1 alugado pra jogar no Mega Drive em meados de 1995. Fiquei impressionado de cara. Tempos depois eu comprei o Road Rash III e me viciei. Ótimo!!

  6. 27, maio, 2011 em 22:16 | #6

    Parabéns pelo vídeocast. Está excelente e o jogo escolhido é um que traz bastante nostalgia a qualquer retrogamer do mundo.

    Perdi incontáveis finais de semana jogando a segunda e terceira versão destes jogos no Mega Drive além da versão do Sega Saturn. É uma pena que a Electronic Arts tenha desistido da série depois das versões do Playstation, tenho certeza que se ela criasse um novo jogo com suporte a partidas online esta faria bastante sucesso pelo caos que aconteceria nas partidas.

    Imagino o trabalho que tenha dado para fazer estes videos, de fato é algo que também gostaria de fazer mas que dará trabalho, além é claro do meu problema de ouvir a própria voz, não sei como conseguiu abstrair deste sério problema rs.

    Abraços e parabéns pelo excelente trabalho !

  7. 28, maio, 2011 em 04:44 | #7

    @Nobody_joe

    Valeu, a ideia era essa mesmo, rs

    @mcs

    Vai ser bom se você discordar de mim em relação aos jogos de Playstation e GBA, dos quais meti o malho!

    @Mestre Ryu Kanzuki

    É incrível não se viciar nesse jogo, qualquer um do Mega Drive tinha um potencial incrível pra isso. E valeu por assistir essa budega 😛

    @Felipe Silva

    Mas é isso que todo mundo quer… A galera sempre pede por Road Rash (lembro até que na EA do ano passado saiu um factóide dizendo que Road Rash HD seria um dos títulos anunciados na feira) mas a Eletronic Arts não dá a mínima. Talvez seja difícil mesmo reproduzir em ambiente 3D todo aquele "feeling" do Mega Drive… Mas acho que seria ideal se eles aprimorassem em cima da versão de Nintendo 64. Aquela sim!

    Quanto ao trabalho pra fazer o vídeo, dá trabalho pra cacete, o PC não aguenta algumas coisas, exige paciência… Mas acabo gostando de fazer isso, fazer o quê, né? Tá virando uma cachaça já! O problema é ouvir a própria voz, mas eu a ignoro enquanto vou editando!

    Abraço e valeu por assistir!

  8. 28, maio, 2011 em 10:21 | #8

    Fantástico o vídeo, conteúdo informativo absurdamente alto por minuto e, de quebra, a escolha de uma das melhores séries da EA dentre tudo de bom que essa empresa já fez.

    Eu era só mais um louco pelo primeiro Road Rash, quando vi no gameplay o jogador roubando o cacetete do outro motoqueiro, putz, voltei no tempo mesmo aqui. Adorava a música meio caricata de certos jogos da EA, tinham muita personalidade com aqueles timbres de bateria que só existiam nos jogos dela – uma assinatura mesmo da Electronic Arts. Alguns nem eram muito "bonitos" não, mas eram a cara da EA. E Rob Hubbard – putz, vibrei aqui quando você falou dele! Sou louco pelas músicas de Starflight e de PGA Tour Golf, que também são dele – e Road Rash deve muito de sua persona à trilha composta pelo cara.

    Um trecho curtinho da música de Starflight pra quem quiser conhecer/escutar, do mesmo Rob Hubbard, onde ele faz malabarismos com o chip FM do Mega gerando timbres sci-fi únicos (observe o início): http://www.4shared.com/audio/CCSsS2mI/Starflight_

    Você já tinha enfatizado o Road Rash 64 como provavelmente o melhor da franquia, e ficou bem claro mesmo no vídeo – os momentos de porrada com muitos motoqueiros, tive a certeza que essa é a versão defintiva de Road Rash mesmo! Já estou atrás do cartucho 🙂

    Eu vinha esperando você soltar o Burnout Paradise, jogo esse jogo no Steam frequentemente justamente por encará-lo como uma espécie de Road Rash – mas Burnout tem menos depht do que RR, com certeza!

    E um dos motoqueiros da versão do GBA parece o Ben do Full Throttle, que apesar de ser um adventure, até tem seu 'momento Road Rash' numa das 'quests' onde você deve derrubar outros motoqueiros.

    E quem "desligou a TV" quando o review do Rafael termina, perdeu um dos melhores momentos mais hilários da retrosfera ultimamente…

    "ôô lôco meu! olha o que 'aconticeu'!"

    "obstáculo na pista, fica olhando pras meninas não! ummmm!!"

    "olhaí, pro osmar santos, pro sério matara, andréia filgueiras…"

    Vai logo se acostumando em ouvir sua própria voz, porque a gente quer é mais vídeos viu! 🙂

    Parabéns total pelo ritmo frenético e, ao mesmo tempo e não menos importante, informativo que você conseguiu com a edição e o texto!

  9. 28, maio, 2011 em 10:45 | #9

    @Cosmonal

    Esse é o Cosmonal, essa fera aí que tanto no profissional quanto no pessoal, ô louco bicho, brincadeira!

    Pura doideira essa música do Starflight, ela praticamente grita "sou FM e ninguém me atinge!"

    Valeu pelo apoio, e pelo comentário no negócio! Vamo ver se você vai curtir as presepadas do próximo vídeo, heh

  10. 28, maio, 2011 em 11:55 | #10

    @Rafael Fernandes

    Rapaz, o mais legal de você associar Fausto Silva com retrogaming é que lembra de um dos melhores programas que a TV brasileira já apresentou… e não estou me referindo ao Domingão e sim ao… Perdidos na Noite! 🙂 uma vez até comentamos sobre ele no twitter, se não me engano.

    Esperava pela laughter track, e veio Faustão… o que será no próximo vídeo? TUM!

  11. 28, maio, 2011 em 21:13 | #11

    "Aproximadamente 15 horas de edição." Caramba. Eu vejo meus videos três ou quatro vezes e já tenho vontade de me dar um tiro.

    Aaaah, Road Rash! Nostalgia pura! O II foi um dos games que eu mais joguei no meu mega! Nada como sair surrando as pessoas sobre duas rodas! Minha única frustração foi não ter chegado ao final. Meu cartucho sempre travava no final do último level (acho). Meu irmão disse que o jogo não tinha final, mas eu acho que ele tava viajando. Tem final, né? Meu cartucho que era bichado?

    Depois eu joguei o III em emulador. E perdi o contato com a série. Não fazia a menor ideia das outras versões! Como você pode dizer que a do 64 é a melhor?! Olhando o vídeo eu senti um desgosto tão grande! Mas assumo que eu tenho uma grande implicância gratuita com os gráficos do 64. Pra mim são todos feios. Só joguei os pokemons (snap e stadium), mesmo assim achando tudo quadrado demais. A propósito, eu acho tão engraçada a mania da Nintendo de botar um 64 em todos os títulos.

    Mas então… eu ri muito do Miyamoto aparecendo ali embaixo! (aimeudeus, é o Miyamoto, né? Espero não estar dando um fora aqui!) E os momentos finais do video… PQP! Não, sério… De onde saiu essa ideia?! Onde você foi achar o Faustão falando?! Sério mesmo, WHAT THE FUCK.

    Enfim, videocast muito bom!! Vale cada minuto de vídeo.

    • felipe
      5, junho, 2012 em 17:51 | #12

      eu joguei muito esse jogo quando era pequeno o meu tio toda vez me falava felipe vai comprar o road rash jail break caraio ai eu falei ah nao deve ser chato mas nao era quando eu olhei o meu tio jogando eu gostei muito eu so nao joguei o road rash 1 e 2 porque esse é o tres ne. outro jogo que eu jogava era o mortal kombat 3 e o criaturas 2 nigtware mas agora eu to com o ps3 eo mortal kombat 9 é muito loko entao é isso ai se vcs nao tem o road rash jail break comprem que é loko se quiserem deixar recado eu fico no pc o dia inteiro valeu galera

  12. Eduardo Shiroma
    28, maio, 2011 em 23:20 | #13

    Deu trabalho mas ficou totalmente excelente!

    Bem, vou confessar: pouco conheço Road Rash. Devo ter jogado uns cinco minutos da versão do 3DO, uma meia hora da do Mega Drive (a primeira, se não me engano) e por fim o Road Rash: Jailbreak no PlayStation, que aí sim, joguei até não poder mais, vencendo o jogo em todos os modos possíveis.

    Achava divertidíssima a versão do PlayStation, mas talvez não a achasse tanto, já que não tive o efeito comparativo que observamos aqui. Fiquei curioso com essa versão do Nintendo 64 e aquela aglomeração doida de motoqueiros. Pelo visto a corrida fica totalmente em segundo plano no meio daquela multidão…

    E esse final… Ô loco, bicho! Hahahahaha! Ficou perfeito, adequou-se magistralmente.

  13. 29, maio, 2011 em 06:04 | #14

    @Cosmonal

    Infelizmente o "Perdidos na Noite" nem é da minha época, viu, mas pelas imagens no Youtube e pelo que meu pai falava, era sensacional, cheio de transgressões! Pena que a Globo plastificou o Faustão, infelizmente. Mas na verdade, eu faço é parte de uma geração de brasileiros que desconhece a TV no domingo sem o combo futebol+Domingão do Faustão… Brincadeira, bicho! Nem sei porque tô falando isso, meu, brincadeira!

    @Patty K

    Aaaaaah valeu 😀 Tinha até comentado com o Cosmonal, tava achando que o vídeo tinha ficado meio arrastado. Neurose é soda mesmo.

    Eu lembro que eu joguei bastante o Road Rash II, mas nunca passei do Level 4, que a coisa ficava absurda a partir daí. Eu também achava que o jogo não tinha final, como comentava com um amigo na época… Mas era porque nós éramos incapazes de chegar até lá, não porque o cartucho era ruim XD

    Quanto ao Road Rash 64, os gráficos são horrorosos mesmo. Tudo muito embaçado (nem o cartucho de expansão salvava), poucos detalhes na pista, enfim, aquilo que te deu desgosto mesmo no vídeo. Mas a vantagem é que isso é mesmo pra manter uma taxa de frames decente, com uma porrada de gente na tela. E dá pra conviver com isso, aliás 🙂

    Agora, se você tem implicância com os gráficos do 64, que dirá dos jogos de Playstation… Aqueles eu não conseguia aturar, mesmo! Aliás, se um dia quiser conferir gráficos que prestem no console da Nintendo, pegue os jogos da Rare, como Banjo Kazooie/Tooie, Conker's Bad Fur Day e… Ah, esqueci o resto! Mas esses por si só já são sensacionais.

    E o Faustão, bicho? Olha, era dia de semana e ele deu um pulo aqui em casa pra comer uma pizza, aí tivemos a ideia e gravamos a esquete. Inclusive em breve pretendo postar o making of… #NOT

    Valeu por ter assistido, é bom saber que gostou pra seguir um padrão nos próximos =P

    @Eduardo Shiroma

    O Jailbreak é muito melhor que o Road Rash 3D, com certeza, só acho que o problema dele estava no framerate e nos gráficos pouco definidos, que chegam até a atrapalhar. Mesmo assim, era um bom jogo, e não sei porquê a crítica só deu notas medíocres para ele. Na verdade, o mesmo aconteceu com a versão de Nintendo 64 na época. Esse pessoal, viu…

  14. 30, maio, 2011 em 11:01 | #15

    @Rafael Fernandes

    "…cheio de transgressões! Pena que a Globo plastificou o Faustão"

    Na mosca. Pelo menos, o estilão do Perdidos ele até conseguiu manter, o difícil é encarar a plastificação global que você falou pra assistir o programa de domingo – se não fosse ela, seria muito legal mesmo ver o Fausto Silva ao vivo. "Brincadêra, bicho!"

  15. Arrout
    30, maio, 2011 em 18:11 | #16

    Obrigado por mostrar-me essa série,eu nunca fui muito fã de corridas,só das perseguisões policiais do GTA,gostei muito da série e estou jogando o de N64 aqui no meu emulador

    😀

  16. 30, maio, 2011 em 19:25 | #17

    @Arrout

    Boa jogatina então, espero que esteja gostando e rindo bagarai do jogo, principalmente das videocassetadas!

  17. Flávio Master
    30, maio, 2011 em 20:09 | #18

    Sensacional, como de praxe.

    Devo ser o único mané que acho a versão 3DO/PS1 a melhor de todas, mesmo sendo tosquíssima e com os problemas que o 00Agent já citou. Independente de tudo isso, os videozinhos geralmente são bem divertidos, as caricaturas e personagens são estereótipos engraçados, as músicas são iradas e o game, embora bem mais difícil no final, garante disputas das boas. Vou tentar achar um emulador de N64 pra jogar esta versão, já tinha ouvido falar muito bem dela mas nunca experimentei.

  18. 31, maio, 2011 em 12:33 | #19

    Sensacional o vídeo.

    Sempre fui Nintendista, mas não era radical, nem mesmo na época de ouro da briga SEGA X Nintendo. Tanto é que, apesar de ter um SNES na época, sempre ia na casa de um grnade amigo meu para jogarmos no Mega Drive dele (e vice-versa). E Road Rash (especialmente o II) era um dos mais jogados.

    O vídeo é bem explicativo e cobre muito bem a trajetória da série, além de não ser cansativo (pelo menos não foi para mim). E as vídeocassetadas no final foi a cereja no bolo, bem no espírito do jogo.

  19. 31, maio, 2011 em 14:09 | #20

    @Cosmonal

    E o Faustão ainda tem seus lampejos, ele alopra ao vivo. Mas, como o rafael, eu tbm não pude ver na época. Mas eram outros tempos…

    Eu gosto dos gráficos do PSX. Claro que Conker's Bad Fur Day é ESPETACULARMENTE espetacular. E olha q eu joguei no emulador e no emu os gráficos são ruins. Mas aí é questão de eu ter jogado Mega Drive e passado direto pro PSX.

    E preciso assistir o vídeo, merda q no meu trampo não pega youtube nem vimeo 🙁

  20. 31, maio, 2011 em 15:49 | #21

    @Adney Luis

    Valeu pelo comentário, garoto! Realmente Road Rash por um tempo era aquele tipo de jogo para se esfregar na cara de um Nintendista… E poxa, você não achou cansativo? Ler isso foi sensacional, porque estava preocupado com o ritmo do vídeo!

    Pode ficar tranquilo que os próximos Videocasts terão o dobro da duração! Vamos testar os limites da pacïência humana =P

    @Kurt

    O emulador de N64 é uma bosta com alguns jogos, mas tem um plugin mais recente que reproduz os gráficos do Bad Fur Day sem erros. Até o efeito matrix e as telas de pause são exibidos corretamente.

    E pô, assiste logo isso aí, cacete!

    @Flávio Master

    Eu gostei também da versão PC/3DO/PS/Saturn/Whatever, mas elas não chegaram a me divertir tanto quanto o de Mega Drive. Ficou faltando algo ali. E, enquanto estava gravando as imagens, vi essa porção de glitches e quedas meio sem sentido que acabou influenciando na minha avaliação do jogo. Talvez na época ele tenha sido mal acabado, ou não dominavam o hardware novo. Sei lá

  21. 31, maio, 2011 em 17:14 | #22

    @Rafael Fernandes

    Opa! Vamos lá comentar sobre o vídeo em si primeiro:

    Uma hora vc aumentou demais o volume do som em relação a sua voz. Tranquilo.

    Maneira nos "né?", peguei alguns aí, sendo que um veio numa frase seguinte a outra.

    Eu me perguntei se vc que tinha colocado as musicas na parte do 3DO, aí vc fala q tinham músicas licenciadas! Eu não sabia disso!

    E PQP QUE LINDA a edição com o Faustão. MUITO boa.

    Seus reviews em vídeo me lembram do Cybergame!

    Pronto, chega!

  22. 31, maio, 2011 em 17:15 | #23

    E eu não sei se dava pra diminuir o tempo do vídeo com o tanto de informação que vc trouxe. Mas enfim.

  23. 31, maio, 2011 em 19:06 | #24

    @Kurt

    É em relação ao áudio isso foi um problema mesmo… Essas músicas de metal são um esporro pra juntar com a minha voz linda, maravilhosa e calma. Havia até testado no fone de ouvido e na caixinha de som do notebook pra ver se ficava audível, e aqui tinha ficado legal. Mas parece que falhei miseravelmente, me desculpe! E eu até que usei pouco né…

    Poxa, não sabia das músicas licenciadas? Aliás, muita gente até dar a entender de forma errônea que o jogo possui as músicas licenciadas durante o jogo, o que não é verdade. A iniciativa da EA na época era novíssima, mas se restringiu as menus apenas.

    E quanto ao tempo… Eu espremi o vídeo no limite, não teve como ser mais que isso. Mas a ideia dos próximos vídeos e de ser mais curto mesmo, até porque é uma chatice ter que dividir em duas partes pra caber no limite do Youtube.

    Valeu pelas críticas, garoto!

  24. 1, junho, 2011 em 06:47 | #25

    @Rafael Fernandes

    Não não! Falhou nada. A sua voz com a faixa no fundo ficou ótima, o que eu dou uma reclamada é quando [sobe BG]. Quando vc aumenta o BG ficou muito mais alto que quando vc fala. E isso acho q só eu reclamei, acho q eu sou chato com essas coisas hahaha

  25. 1, junho, 2011 em 07:05 | #26

    @Kurt

    Ah, saquei! Pior que tentei dar uma equilibrada nisso, mas deveria ter abaixado mais… rs Até havia mandado vídeo com antecedência para uma pessoa, mas ela não viu esse problema com o áudio, ou me falou a respeito (/indireta #trollface) Na próxima dou um ajuste melhor, até porque sou cricri com essas coisas!

  26. 2, junho, 2011 em 19:00 | #27

    Nada de relevante a comentar, visto o meu – para variar – desconhecimento da série. Talvez por não ter jogado, não vi problema na duração de 20 minutos do vídeo. O tempo foi muito bem aproveitado e o suficiente para você destrinchar os jogos e permitir que eu tivesse uma ideia geral de cada um.

    De uns tempos para cá, coisa de 3 ou 4 anos, comenta-se que a filosofia da Electronic Arts é privilegiar as franquias internas e abdicar dos jogos licenciados, como fez ao desistir de James Bond e outros que não me recordo e não consegui confirmar. Uma saída seria a EA retomar as franquias abandonadas, a exemplo de Road Rash e daquelas outras que o Gagá comemorou a venda no GOG.com.
    http://www.gagagames.com.br/?p=27238

  27. 3, junho, 2011 em 17:21 | #28

    @Alexei Barros

    Rapaz, eu li isso em algum lugar também, não me lembro aonde. Em relação ao Road Rash de GOG, seria interessante mesmo o relançamento, mas acredito que esse jogo tenha envelhecido mal. Ia ser legal mesmo se eles oferecessem modos multiplayer por rede… Pelo que me lembre, o original tinha, mas só usava aqueles protocolos horrorosos antigos, tipo IPX. Talvez eles enfrentem problemas com a trilha sonora licenciada, aliás… Mas isso dá pra trocar facilmente por outras músicas.

  28. 3, junho, 2011 em 22:53 | #29

    Não estávamos loucos, veja só uma declaração do Frank Gibeau, presidente da EA, publicada no Kotaku:

    “Desistimos dessa licença porque sentimos que precisávamos de mais propriedade intelectual, e não gostamos nada dos limites criativos impostos pela licença de James Bond. Os royalties que você tem de pagar aos licenciadores saem muito caro para as produtoras de jogos, e nós ficamos cada vez mais limitados pelas restrições impostas às licensas que compramos. E, para piorar tudo, a indústria de jogos baseados em filmes está caindo aos pedaços.”

    Quando citei o GOG.com na verdade pensei mais no abandono daquelas séries que passaram a ser vendidas online, não na possibilidade de venda do Road Rash no serviço. Mas você deu uma boa ideia: mesmo que o jogo esteja encarquilhado, a base de fãs justificaria o relançamento creio eu.

    Também acho que a substituição da trilha é o menor dos problemas. Aliás, não fizeram isso com o Crazy Taxi em uma dessas coletâneas?

  29. 4, junho, 2011 em 06:00 | #30

    @Alexei Barros

    É verdade! No caso do Crazy Taxi, acabou meio que matando o jogo, devido à ausência de uma das músicas do Offspring que era muito legal. Mas com Road Rash, é só trocar as músicas e acrescentá-las durante a jogatina (não se restringindo aos menus, e substituindo as horrorosas MIDIs que tocam durante a corrida), e ia ficar sensacional mesmo.

  30. Acid
    9, junho, 2011 em 21:10 | #31

    Muito bom o bonus do final!! Perfeita sincronia!

    Quanto a Road Rash, pra mim nenhum supera os dois primeiros. Nao joguei todos, mas deu pra ver pelo video que a fisica de todos os outros é fraquissima. Pra fazer uma versão decente basta botar graficos HD na física do segundo com a IA do primeiro e pronto! Nunca vi oponentes tão fascinantes quantos os de RR1. Tinham personalidade MESMO! Até me apaixonei pela Natasha… a bichinha evitava me bater quando eu tava competindo com ela.

  31. 9, junho, 2011 em 21:19 | #32

    @Acid

    Olha, até que a física do RR 64 é engraçada… É exageradíssima, mas é divertida também. Mas, para os outros de Playstation, nem dá mesmo, ficaram devendo bastante nesse sentido. Engraçado como a evolução de hardware não significa necessariamente um jogo melhor e mais acabado; acho que Road Rash foi uma das primeiras franquias a provar isso (junto com as outras que passaram do 2D para o 3D com o tempo)

    Eu era muito descerebrado nos jogos de Mega Drive, então eu saía metendo a porrada nas outras motos sem perceber quem era quem. Mas, quando fui jogar o primeiro novamente para fazer as imagens do vídeo, eu vi que realmente a Natasha era uma companheira, quase nunca me batia… Achei isso genial também!

    E valeu por ter assistido até o fim (e ter sido recompensado com aquele "troço")!

  32. Richard
    16, junho, 2011 em 23:34 | #33

    Sensacional! Joguei incansavelmente todos eles,os de Mega Drive,PSX e N64 sendo que a versão do N64 foi a que eu mais joguei,por ter muitos modos.Era divertido correr nos esgotos hauhahuahuhauh Parabéns pelo vídeo,ficou show!

    Site nos favoritos! :p abraço

  33. 17, junho, 2011 em 05:10 | #34

    @Richard

    Opa, valeu por ter assistido e favoritado o site. Apesar de curtir muito a de N64 e ter alugado bastante o cartucho, acho que o que mais joguei disparado foi o III de Mega 😀

    Abraço!

  34. 19, junho, 2011 em 17:57 | #35

    Hahahahaha

    Adorei o final, muito legal o Videocast, Rafael!

    A locadora a qual eu alugava tinha o 1 e depois de um tempo teve o 3, o 2 nunca apareceu nela, mas consegui jogar. Eu joguei muito o 1, mas o jogava de forma casual, não me importando em que posição chegava.

    O de GBA tem o mesmo problema do Altered Beast: Guardians of Realms do mesmo console: as pistas são grandes demais, muito exageradas! Isso cansa demais!

  35. 19, junho, 2011 em 18:03 | #36

    <blockquote cite="#commentbody-3552">

    Rafael Fernandes :

    @Acid

    Eu era muito descerebrado nos jogos de Mega Drive, então eu saía metendo a porrada nas outras motos sem perceber quem era quem. Mas, quando fui jogar o primeiro novamente para fazer as imagens do vídeo, eu vi que realmente a Natasha era uma companheira, quase nunca me batia… Achei isso genial também!

    Taí algo que eu não sabia até agora.

  36. 19, junho, 2011 em 21:15 | #37

    @Talude

    Pois é, outra coisa que não gostei na versão de GBA é no fato de que só tem quatro corredores na pista… Uma miséria! E o som também é super distorcido, bem fraco mesmo o jogo.

  37. Sczar
    20, junho, 2011 em 07:01 | #38

    Só não concordo que o RR64 seja um dos melhores, pois é o que mais enjoa fácil fácil, o RR64 não tem personalidade, parecedendo que é uma versão inacabada, todos são divertidos, mas os piores pra mim são o RR64 e o RRAdvanced, mas o videocast tá 100porcento legal!

  38. 20, junho, 2011 em 07:04 | #39

    @Sczar

    Haha, bom saber que a minha opinião não fez com que você achasse o vídeo uma porcaria! Eu gosto bastante do RR64, não tem jeito! Os gráficos são um lixo, mas esse jogo me divertiu muito, foi o que mais aproveitei de todos.

  39. 30, julho, 2011 em 16:16 | #40

    Era legal demais este jogo.

    O melhor foi associar os acidente com as cassetadas do Faustão.

  40. 30, julho, 2011 em 17:48 | #41

    @Eduardo Casola Filho

    Valeu! Modéstia à parte, acho que eu tava inspirado nesse dia que fiz essa parte ^^

  41. Théo
    24, novembro, 2011 em 13:38 | #42

    Certo dia (já se vão anos) quando pensei em escolher o melhor jogo que já havia jogado, imediatamente elegi o Road Rash do Mega. E olha que jogo desde o telejogo (1979) =)

    Gostei do game no instante que vi as imagens na caixa do cartucho em uma locadora. A locadora era em outro bairro, e tinha que pegar ônibus para chegar até lá. Somente na terceira tentativa consegui alugar o game que não parava na prateleira.

    Daí em diante só dava Road Rash no meu Mega. Quando comprei o 3DO imediatamente adquiri o Road Rash desta plataforma, muito bom, mas não se comparava com o amor que sinto pelo primeiro jogo da série do Mega.

    Bons tempos, ótimas lembraças, excelente trabalho Rafael.

    Abraços.

    • 24, novembro, 2011 em 21:28 | #43

      Poxa, legal essa sua história hein! E olha que você é um jogador experiente… Eleger Road Rash como o melhor de todos é uma afirmação com autoridade!

      Valeu por ter assistido e gostado! Abraço!

    • 25, novembro, 2011 em 15:10 | #44

      Ótima escolha. Acho o Road Rash 1 de Mega o melhor de todos. Além de ter as melhores músicas não-licenciadas , o jogo humor não era tão escrachado como se viu depois.

  42. Henrique
    12, março, 2012 em 19:14 | #45

    Nossa! Road Rash é imortal! HAHA
    Meu falecido Mega Drive fumegava de tanto que eu jogava esse jogo. Na época que peguei, acho que eu tinha uns 8, 9 anos. Revezava Road Rash, Sonic, Altered Beast, MK e Street of Rage. Ótima época!
    Me diverti muito com Road Rash!
    Até comprei a versão do PsOne que também é muito boa, com vídeos a cara corrida, etc.
    Mas a versão de Mega Drive é inesquecível!

    • 13, março, 2012 em 12:09 | #46

      Na minha época de Mega Drive, não podia faltar Road Rash mesmo. Era muito viciante. O único que nunca joguei direito foi o primeiro, mas o 2 e o 3 foram zerados mais de… Sei lá quantas vezes! rs

  43. 31, dezembro, 2012 em 00:33 | #47

    Ficou excelente o vídeo, amigo. Embora eu discorde quanto as opiniões dos games do PSO. O 3D, em minha humilde opinião, só perde pro RR2.

  44. Marcus Vinícius
    7, maio, 2016 em 17:00 | #49

    A Trilogia do Mega foi a melhor. Depois disso só veio coisa fuleira.

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: