Página Inicial > creepypasta > Centralia, a macabra cidade que inspirou Silent Hill

Centralia, a macabra cidade que inspirou Silent Hill

centralia-capa

Silent Hill é uma das maiores séries de jogos de terror (ou Survival Horror, como preferirem) de todos os tempos e, se isso já não bastasse, também foi base para uma das melhores adaptações de games para filmes que se tem notícia. Toda essa fama fez com que Silent Hill possuísse uma legião de fãs espalhada pelo mundo, incluindo este que vos escreve.

O que poucos sabem, porém, é que a Silent Hill retratada no filme “Terror em Silent Hill” (2006) foi baseada, segundo o roteirista do filme, Roger Avary, numa cidade real chamada Centralia, Pensilvânia, no nordeste dos Estados Unidos. Não só o filme, mas também os jogos possuem muitas coincidências em relação a esta cidade, como veremos.

Centralia, além de estar repleta de histórias macabras, foi palco de uma grande tragédia, responsável por destruir a cidade. Hoje, além de ser uma das cidades fantasmas mais assustadoras e perigosas do mundo, não consta na grande maioria dos mapas existentes.

Nesta matéria, trago para o nosso leitor todas as informações sobre essa “Silent Hill real”, daquela maneira que vocês já estão acostumados: juntando relatos de antigos moradores da cidade, publicações antigas, pesquisas, livros e jornais; tudo para descobrir o que aconteceu no local e trazer a melhor informação possível. Preparado para uma viagem? Continue lendo.

.

Fundação

Centralia localiza-se ao leste do estado norte-americano da Pensilvânia, no condado de Columbia. A pequena vila, criada em 1841, era conhecida como “Centreville” até 1865, quando ganhou seu nome atual. A partir de 1866 estabeleceu-se, de fato, como uma cidade, embora hoje se reconheça que a mesma foi fundada por Jony Mustava em 24 de Agosto de 1875. Cidade que tinha um perfil industrial, já que se instalou num local rico em carvão mineral, fazendo com que a extração deste material por minas subterrâneas fosse sua principal fonte de renda.

A antiga Centralia

.

Assassinatos

Mesmo em sua mais tenra história, Centralia já mostrava algumas ocorrências bizarras e misteriosas.  Uma delas refere-se às atividades criminosas de uma ordem secreta de mineradores conhecida como “Molly Maguires” entre as décadas de 1860 e 1870. Talvez a mais icônica delas seja o assassinato do fundador da vila, o engenheiro responsável por iniciar as atividades de mineração de Centralia – Alexander Rea – nos arredores do município, em 17 de Outubro de 1868. Três indivíduos foram condenados pelo crime e enforcados na sede do condado de Bloomsburg, em 25 de março de 1878. Vários outros assassinatos, sabotagens e incêndios criminosos também ocorreram durante este período.

.

O grande incêndio de 1908

Um terrível incêndio atingiu área comercial de Centralia nas primeiras horas da manhã de sexta-feira, em 4 de dezembro de 1908. Ele transformou um bloco de edifícios num monte fumegante de cinzas. Estimativas atualizadas estimam perdas de propriedade equivalente a pelo menos US $ 900.000.

O heroísmo dos moradores de Centralia ao apagar o enorme incêndio, com poucos recursos disponíveis, é destaque na mídia daquela época. A origem do incêndio permanece um mistério. Uma teoria é a de incêndio criminoso, que teria seu início num armazém desocupado do Sr. Fetterman, já que o mesmo diz que não havia usado fogo no local por vários dias. Outra teoria aborda a fiação elétrica imperfeita.

O grande incêndio de 1908

.

A tragédia de Centralia

A partir daqui é que a história de Centralia ganha ares de filme de terror. A cidade cresceu até chegar a quase 3000 habitantes e continuou com as atividades de mineração até a década de 60, quando um acidente nas minas ocorreu.

Em maio de 1962 o conselho da vila contratou cinco membros voluntários da companhia de bombeiros local para limpar o aterro da cidade, localizado em um antigo poço das minas, ao lado do Cemitério Odd Fellows, no sudeste da cidade. Nos anos anteriores, isso sempre era feito perto do “Memorial Day” (um marco para homenagear os mortos em combates, quase toda cidade dos EUA tem um desses), quando o aterro estava numa locação diferente.

No fatídico 27 de Maio de 1962, porém, os bombeiros deixaram o fogo queimar os entulhos mas, ao contrário dos anos anteriores, o fogo não foi apagado corretamente. Uma abertura não selada do poço permitiu que ele espalhasse por todo o labirinto de túneis da mina, continuando a queimar debaixo do solo. Um grande incêndio subterrâneo, dificílimo de se apagar, espalhara-se por Centralia e seus arredores. Casas e edifícios eram consumidos, a vegetação definhava, nuvens de gás quente e venenoso eram vistas por todo o local e o chão tornou-se instável, com grandes rachaduras se abrindo.

Incêndio subterrâneo

Joan Quigley, em seu livro de 2007, “The Day the Earth Caved In” (O Dia em que a Terra Cedeu), corrobora com essa versão dos fatos. Ela observou que, em 04 de junho de 1962, haviam dois incêndios no lixão, e que cinco bombeiros haviam apresentado projetos de lei para “combater o incêndio na área do aterro”. O município, por lei, teve que se responsabilizar pela instalação de uma barreira de argila, resistente ao fogo, entre cada camada, mas a obra atrasou-se, deixando a barreira incompleta. Isso permitiu que as brasas penetrassem nos veios de carvão debaixo da cova e acender o fogo subterrâneo. Além das atas do Conselho, Quigley cita “entrevistas com bombeiros voluntários, o chefe dos bombeiros, funcionários do antigo bairro, e várias testemunhas”, como suas fontes para essa explicação dos eventos.

A instalação de tubos para vazão dos gases venenosos e tentativas de apagar o incêndio subterrâneo foram todas em vão e durante as décadas de 60 e 70 o chão continuava a arder.

Vapores venenosos

David DeKok, então reporter do The News-Item de Shamokin, Pensilvânia e estudioso do assunto, entre o final de 1976 e 1986 escreveu cerca de 500 reportagens sobre a mina em chamas. Ele assim descreveu a cidade em 1986, no seu livro “Unseen Danger: A Tragedy of People, Government, and the Centralia Mine Fire” (Perigo Invisível: Uma Tragédia de Pessoas, Governo, e o Fogo da Mina de Centralia):

“Aquilo era um lugar onde nenhum ser humano poderia viver, mais quente do que o planeta Mercúrio, a sua atmosfera tão venenosa como a de Saturno. No meio do fogo, as temperaturas facilmente ultrapassam 540 graus Celsius. Nuvens letais de monóxido de carbono e outros gases saem das câmaras de pedra “.

.

A escalada do problema

Em 1979, os moradores se conscientizaram da gravidade do problema quando John Coddington – dono de um posto de gasolina e, na ocasião, prefeito de Centralia – mediu a temperatura de um tanque subterrâneo e os resultados foram assombrosos 77,8º C!

A partir de 1980, vários problemas de saúde foram reportados pela população, devido aos subprodutos do fogo, como monóxido de carbono, dióxido de carbono e uma insuficiência de níveis saudáveis de oxigênio.

O problema de Centralia começou a ganhar fama por todo o Estado quando em 1981 o garoto de 12 anos Todd Domboski quase caiu em um buraco de 46 metros de profundidade por 1,2 m de largura que abriu-se sob seus pés, no quintal de sua casa, sendo salvo por seu primo de 14 anos, Eric Wolfgang. O vapor que saía do buraco foi analisado e continha um nível letal de monóxido de carbono. O garoto disse em depoimento se sentir como se estivesse caindo no inferno.

Todd Domboski

Todd Domboski e o buraco que se abriu no quintal de sua casa. Foto tirada poucas horas após o fato.

.

O fim de Centralia

Em 1984, após anos de tentativas frustradas de se apagar o fogo, o governo do Estado da Pensilvânia gastou 42 milhões de dólares para evacuar a população da cidade.  Apesar da diáspora em Centralia, algumas poucas famílias decidiram ficar na cidade, mesmo com os avisos das autoridades da Pensilvânia.

O governador Bob Casey, em 1992, alegou perigo eminente em todas as propriedades no município, condenando todos os seus edifícios. Um subsequente processo dos moradores para ter essa ação revogada, falhou.

No ano de 2002 os Correios dos EUA revogaram seu código postal, 17927, e em 2009, o governador Ed Rendell começou o despejo formal dos poucos residentes de Centralia. Era o fim formal da próspera cidade de mineradores.

Centralia - aviso

Estas placas estão, ainda hoje, espalhadas por Centralia

.

Conspiração

Centralia vive agora uma polêmica: apesar de muitos moradores não acreditarem que o fogo seja uma ameaça imediata, o governo insiste que a ameaça existe. Os poucos que ficaram e desafiaram uma determinação judicial, alegam que o incêndio nunca se espalhou pelos subterrâneos e o verdadeiro motivo por trás da determinação do governo são as terras para mineração: eles acreditam que tudo não passaria de uma conspiração para o governo obter acesso aos milhões de dólares em carvão mineral que existem no subsolo.  Após uma tentativa frustrada em 1992, em maio de 2009 foi criada uma ação na justiça, pelos moradores remanescentes de Centralia, para reverter a decisão de 1992, mas foi rejeitada em março de 2011.

De certo modo, faz sentido. De acordo com uma lei estadual, quando o município não pode mais formar um governo municipal, isto é, quando não há mais moradores, a cidade deixa de existir legalmente. Assim, os direitos sobre os minerais, que são de propriedade do Município de Centralia, seriam revertidos como propriedade do Estado da Pensilvânia.

We love Centralia

.

Curiosidade: filme

Centralia foi o local de filmagem para a seqüência de abertura do filme de 1987 “Made in U.S.A.” (Viajantes Sem Rumo). A destruição da cidade é capturada de forma brilhante. Filmada durante o pico do incêndio nas minas, a cidade aguardava a sua demolição pelo governo. O filme retrata, sem nenhum efeito especial, Centralia durante sua morte.

Pelo que pude apurar, não há DVD disponível. No entanto, é possível encontrá-lo na Netflix norte-americana. Assista a toda introdução do filme, mostrando Centralia prestes a ser demolida. Há também este link com várias imagens do mesmo.

Uma última curiosidade: recomendo aos leitores do Passagem Secreta a buscarem informações sobre o que ficou conhecido como a “Porta do Inferno”, um enorme buraco incandescente em Darvaza, Turcomenistão, que lembra o problema de Centralia.

Filme Made in U.S.A.

Centralia no filme Filme “Made in U.S.A.”: portas e janelas reforçadas com madeira.

.

Centralia, hoje

Atualmente, muitas poucas casas permanecem de pé em Centralia. A maioria dos edifícios abandonados foram demolidos por humanos ou pela natureza.  A impressão que se tem é a de que estradas foram pavimentadas sobre um campo vazio. Algumas áreas da cidade foram tomadas por uma floresta recente. Vários avisos de fogo subterrâneo, chão instável e monóxido de carbono permanecem presentes. Fumaça e vapor podem ser vistos saindo da porção abandonada da Rota 61. A estrada foi reparada inúmeras vezes, até finalmente ser fechada, em 1993.  O desvio que torneava o trecho danificado da Rota 61 é, hoje, o atual trecho da rodovia.

O fogo das minas de Centralia se estendeu até a cidade de Byrnesville, também causando a fuga de seus moradores. O chão ardente também pode alcançar Ashland, a cidade mais próxima a Centralia, também com minas subterrâneas.

Centralia - Rota 61

Durante a maior parte da história da cidade, ela teve pouco mais de 2000 habitantes. Centralia possuiu:

– Duas ferrovias que funcionaram até 1966;

– Várias escolas fundamentais e um colégio;

– Duas escolas paroquiais católicas;

– Sete igrejas, cinco hotéis, 27 bares, dois teatros, um banco, uma agência dos correios e 14 lojas.

Hoje, Centralia tem uma quantidade de casas que dá para se contar nos dedos, uma igreja e quatro cemitérios, os quais contêm mais túmulos do que a população local. A única igreja ainda funciona nos domingos à noite e não foi demolida por estar afastada da cidade.

Vídeos: visita a Centraliavista aérea da cidade

Os cemitérios de Centralia são uma das únicas construções ainda em perfeito estado de conservação, exceto pela igreja do Cemitério Santo Inácio.O Cemitério Santo Inácio tinha uma igreja grande, muito bonita, que foi derrubada em 1997 por causa do fogo nas minas. A última missa de domingo em Santo Inácio foi em 25 de junho de 1995. A missa final foi no dia seguinte, segunda-feira 26 de junho de 1995, para um funeral.

Em 1980, Centralia tinha 1.012 residentes. Outras 500 a 600 pessoas viviam nas imediações da cidade. O censo de 2000 acusou que ainda havia 21 moradores, 10 casas e sete famílias em Centralia. Já o de 2004 registrou apenas 18 pessoas e nove casas presentes na macabra cidade. Em 2007, apenas nove moradores foram encontrados.

Centralia antiga e atual

50 anos se passaram e a cidade continua a queimar. A previsão é de que ela continue em chamas por pelo menos mais de 250 anos. Muitos dizem que o tempo necessário para que seu fogo se apague é muito maior: algo em torno de 500 anos!

Espera-se que em 2016 muitos ex-moradores de Centralia retornem para um evento especial: a abertura do que eles chamam de “cápsula do tempo” – um objeto que representa o centenário da cidade (1866-1966) – e que se encontra num local soterrado, próximo ao memorial dos veteranos, desde 1966. Seu conteúdo permanece um mistério e o objeto tem instruções explícitas para ser aberto apenas no ano de 2016.

Para terminar, clique na galeria abaixo para ver algumas fotos dessa cidade macabra:

.

Outras imagens: fotos antigas, anos 80, Ryan-Warner, várias galerias.

Idealizador e criador do Passagem Secreta, vencedor do prêmio Top Blog, cientista da computação, pós-graduado em Educação, professor e, nas horas vagas, gamer.

Facebook Twitter Google+ YouTube Skype 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: creepypasta
  1. Talude
    16, fevereiro, 2013 em 23:21 | #1

    Vendo o mapa, me lembra as cidades pequenas de GTA San Andreas como Angel Pine ou Doherty https://maps.google.com/maps?q=40.803333,-76.3416

    • 16, fevereiro, 2013 em 23:35 | #2

      Cara, agora que vi que o post deveria ter um link para o Google Maps que eu havia separado aqui mas, devido à enorme quantidade de links, acabei esquecendo. Já arrumei, só muda a visão, que é mais longe:
      https://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&clie

      Será que há algum mod em algum game simulando Centralia? Seria interessante.

      • Talude
        17, fevereiro, 2013 em 02:28 | #3

        Parece que tem mod de Centralia para Half Life 2.

        • 17, fevereiro, 2013 em 15:33 | #4

          Gostei muito do mod! Pena que ele é curto, mas o level design e a condução do jogador a rápidos momentos de susto parecem quebrar a monotonia típica de alguns mods.

          Tomara que continuem o projeto, essa parte das minas ficou muito bem feita, mas eu gostaria de ver mais estágios na superfície, principalmente com névoa.

      • Flavio Master
        26, fevereiro, 2013 em 15:29 | #5

        Olhando do alto a cidade parece apenas vazia, não tão devastada como imaginei.

    • Dactar
      16, fevereiro, 2013 em 23:35 | #6

      Tem razão.Pode ser que exista algum padrão de engenharia urbana para municipios por lá,e por isso o "desenho" fica parecido.Talvez seja isso.

  2. Dactar
    16, fevereiro, 2013 em 23:40 | #7

    Caraca que história tensa essa!O pior foi a parte do garoto….

    "…Todd Domboski quase caiu em um buraco de 46 metros de profundidade por 1,2 m de largura que abriu-se sob seus pés,…"
    Neste ponto parei, e reli 3x, o parágrafo,he he he.
    A cidade está literalmente pegando fogo no subsolo,pqp,muito tenso.Nunca tinha ouvido falar em Centralia.

    • 16, fevereiro, 2013 em 23:47 | #8

      E o pior é que a cidade virou alvo de "turistas radicais", tipo esse pessoal que gosta de visitar lugares "agradáveis" como Chernobyl, por exemplo.

      E olha que me deu uma vontade enorme de um dia visitar Centralia depois de pesquisar tanto sobre ela.

      • Dactar
        16, fevereiro, 2013 em 23:41 | #9

        E o pior é que a cidade fica numa região "nobre",eu pensei que fosse mais no "fundão da América" kkk mas não,é bem ali na região do início da colonização e cheio de Estados importantes por perto,como New York e New Jersey.

        • 16, fevereiro, 2013 em 23:58 | #10

          Pois é, eu também notei a proximidade com o estado de New York e a localização no nordeste dos EUA, região bem desenvolvida. Se bobear, não é tão difícil chegar lá.

      • AVPF
        15, dezembro, 2015 em 14:58 | #11

        Sera que é possível visitar essa cidade? Deve ser algo incrível!

  3. tiagomagnus666
    17, fevereiro, 2013 em 02:18 | #13

    Uma amiga minha havia me contado sobre essa cidade a uns bons anos…ela era superfã de Silent Hill ( assim como eu… ). Álias…um fato muito bizarro da minha vida é que Silent Hill já me ajudou a me aproximar de duas garotas…essa foi uma delas…a outra foi minha esposa que hoje mora aqui comigo. E não…elas não são maníacas loucas depressivas e feiosas…ambas são lindas ( bom essa antiga não sei se ainda é…peri contato ). E pra piorar essa situação ela sempre me dizia que um dia queria visitar essa cidade comigo hahaha. Eu tenho essa admiração por locais assim…gostaria de poder viajar o mundo conhecendo cidades fantasmas, casas e locais mal assombrados e etc. Sempre curti bastante o sobrenatural.
    Mas caceta, eu sabia sobre Centralia mas não havia lido esses relatos ai…o muleque lá foi tenso. ótima matéria cara, qualquer matéria que fale sobre Silent Hill merece meus elogios x)

    • 17, fevereiro, 2013 em 14:38 | #14

      Heheh, você deve ter mais sorte nessa relação entre garotas e videogames do que muita gente, pelo visto. Se eu falasse a alguma namorada minha que quero visitar Centralia, não sei se iria cair bem.

      Que bom que gostou, Tiago. Abraço!

  4. 17, fevereiro, 2013 em 11:14 | #15

    quem diria que a cidade existe mesmo? pombas!!

  5. Maxwel_Gamer
    19, fevereiro, 2013 em 09:25 | #17

    Tenso…

  6. Flavio Master
    26, fevereiro, 2013 em 15:28 | #20

    Isso foi bizarro, Silent Hill existe e é a tampa do inferno!

    • 2, março, 2013 em 15:02 | #21

      Existe sim!

      Só uma curiosidade: no novo filme da série, Silent Hill Revelations (muito bom, aliás!), há uma parte em que é possível ver uma página de jornal noticiando sobre uma cidade que pegou fogo devido a um incêndio subterrâneo nas minas. Postei no Twitter e no Facebook recentemente.

  7. 5, março, 2013 em 14:02 | #22

    Para morar nessa cidade o cabra tem de ser muito macho viu! Eu já fiquei chocado com a história do game e saber que na vida real é um pouco pior! Lidar com o sobrenatural não é nada perto de cair em um buraco com mais de 46m. FUJAAAA!

    Excelente artigo Marcos ^^

    • 7, março, 2013 em 10:59 | #23

      Grande Cyber Woo!

      Cara, essa história do buraco, com foto e tudo (aliás, tenso foi achar essa foto) foi tensa.

      Valeu Cyber!

  8. deleted5971170
    10, março, 2013 em 04:23 | #24

    Muito legal, nunca tinha ouvido falar sobre essa cidade. Realmente é uma inspiração e tanta para jogos de horror! Podia rolar uma excursão de fãs de SH para Centralia, ia ser interessante, rsrsrs…

    • 10, março, 2013 em 11:54 | #25

      Em 2016 vai ter aquele evento que cito na matéria, espero que possamos ler sobre o assunto nos noticiários e sites.

      Qualquer coisa poderíamos organizar uma excursão pra lá, será que o pessoal topa? rsrs

      • 10, março, 2013 em 14:42 | #26

        Ia ser legal demais se fizessem uma excursão pra lá em 2016! Alguém precisa filmar esse evento, a curiosidade dos fãs vai ser demais. XD

      • Flavio Master
        10, março, 2013 em 18:15 | #27

        Valeu o convite, mas não vou nem f*dendo!

      • Talude
        10, março, 2013 em 23:48 | #29

        Eu não vou, mas confio na coragem do Marcos.

        • 12, março, 2013 em 08:12 | #30

          Ahã… muita coragem…

        • Milton
          24, março, 2013 em 21:58 | #31

          Centralia é muito mais seguro do que os grandes centros brasileiros. Vou além… lá deve ser um paraiso! 😉

          Ahh… parabéns pela matéria Marcos. Show de bola!

          • 25, março, 2013 em 12:26 | #32

            Valeu Milton!

            Se gostou da matéria, dê um curtir, um joinha, um compartilhar, um favoritar, e divulgue para todos os seus amigos, familiares, papagaio… Brincadeira, conteúdo bom divulga-se por si próprio, não precisa irritar os visitantes com tanta propaganda.

            Adorei escrever esta matéria, pena que meu tempo livre como professor é ridículo e raramente sobra algum para planejar e escrever uma matéria dessas.

            Abraço!

  9. 26, maio, 2013 em 22:04 | #34

    VC AUTOR NÃO ANUNCIOU O ENVOLVIMENTO DESTA CIDADE NO JOGO, O MOTIVO TERIA SIDO QUE QUANDO UM DOS DIRETORES DA KONAMI FICOU SABENDO DA CIDADE, ENVIOU 2 PESSOAS DA EMPRESA PARA SE APROFUNDAR EM ASSUNTOS SOBRE A CIDADE, OS QUAIS ACABARAM POR COMPRAR UMA AGENDA DE UM EX-MORADOR QUE CONTINHA INSTRUÇÕES DE COISAS BIZARRAS QUE OCORRERÁ ANTES, E DURANTE O PROCESSO DE QUEIMA DE MODO QUE VINHA O AUTOR MENCIONAR ATOS DE BRUXARIA PESADA NA CIDADE ENVOLVENDO TODA A CAMADA DE PODERES COMO POLICIA, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ETC… DAI O FATO DE SE TORNAR ALVO DO CRIADOR DO JOGO, INCLUINDO NO MESMO OS RELATOS DESTE SUPOSTO LIVRO QUE JÁ FORA ATÉ PUBLICADO. NA KONAMI, SE É PROIBIDO FALAR NO ASSUNTO.B)

    • 26, maio, 2013 em 22:38 | #35

      Fontes?

      • Kirk Patrick
        3, junho, 2013 em 00:03 | #36

        Cai por acaso neste site contando sobre a história dessa cidade. Muito sinistro. Fui procurar no Google e dei de cara com esse site, sobre o diário encontrado.
        http://leituracreepy.blogspot.com.br/2012/08/a-re

        Se é verdade ou não. Ninguém sabe. Mas não posso negar que gera um misto de curiosidade.

        Abraço

        • 3, junho, 2013 em 16:13 | #37

          Tudo certo Kirk? Aproveitando pra responder ao William também.

          Cara, eu pesquisei muitas fontes sobre Centralia, muita coisa mesmo. Passei mais de 30 dias fazendo isso. E nunca li nada que comprovasse ou indicasse a existência desse suposto diário.

          Mesmo que tivesse achado, talvez eu não o incluiria nesta matéria, já que, apesar da mesma estar na categoria "Creepypasta" por conveniência, só tem fato verídico nela. É tudo absolutamente real.

          Um ponto: os acontecimentos do link se passam entre 1960 e 1961. O acidente em Centralia ocorreu apenas em 1962, o que é no mínimo estranho. As datas não batem.

          Uma última colocação: na matéria eu relaciono as semelhanças de Silent Hill com Centralia, mas em nenhum momento digo que a Silent Hill do jogo foi criada baseada em Centralia. Os filmes de SH são sim abertamente baseados em Centralia, e pelo menos o jogo mais recente da série também, Silent Hill Downpour. Eliás, descobri essa ligação deste jogo com o filme depois de publicar a matéria. Pode ser que no futuro eu volte a abordar o tema com as novas descobertas e, se for o caso, abordar essa creepypasta.

          Abraço!

          • Kirk Patrick
            3, junho, 2013 em 16:48 | #38

            Oi Marcos!

            Para mim a questão do diário deve ser pura jogada de marketing ou conversa fiada. Eu não mexeria nisso também não. Mas que essa cidade é, no mínimo, um grande azarão, isso é.

            Abraço

  10. Chaccall
    20, agosto, 2013 em 14:08 | #39

    Muito bom! Parabéns pelo ótimo trabalho de pesquisa e pelo ótimo texto.

  11. Pablo
    2, março, 2014 em 18:32 | #41

    Caraca, post excelente. Parabéns!

  12. 15, maio, 2014 em 08:20 | #43

    Sensacional Marcos… Realmente algo sinistro e tudo haver com o Silent Hill, pelo menos em partes… hahaha.

    Você deu tantas informações que já descolei o filme, fiz uma visita pelo Google Maps e ainda vi centenas de fotos e uns documentários de pessoas que vão na cidade ver o estado deplorável dela.

    • 15, maio, 2014 em 12:50 | #44

      Eu preciso assistir esse filme pra ver como era a cidade na época em que ele foi filmado. Assiste aí depois conta pra gente, Celso!

      Tem coisa pra caramba sobre Centralia, né? Depois de escrever essa matéria, descobri algumas informações novas – até mesmo nos jogos da série. Talvez saia no futuro uma continuação dessa matéria.

      Abraço!

  13. pedro henrique
    2, setembro, 2014 em 13:41 | #45

    500 anos e muito pq n conseguiram apagar

    • 7, setembro, 2014 em 15:59 | #46

      Porquê o fogo é subterrâneo. Acho que o dinheiro que seria gasto não compensaria o trabalho (Centralia não é uma NY).

      Eu fui um tanto conservador na matéria: tem gente que prega que o fogo pode durar por até mil anos!

  14. Antonio
    15, dezembro, 2015 em 15:09 | #47

    Isso é realmente incrível, pretendo conhece-la… Otimo post Marcos, muito bem desenvolvido, ahh vai ai meu like.

    • 16, dezembro, 2015 em 19:32 | #48

      Valeu Antonio!

      Ainda bem que gostou, foram algumas boas semanas de pesquisa de sites e documentos pra dar base à matéria.

      Abraço!

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: