Página Inicial > curiosidades > A viagem do Sonic Team às ruínas Incas e Maias

A viagem do Sonic Team às ruínas Incas e Maias

Ano de 1996. O Sonic Team estava buscando inspiração para o desenvolvimento de um jogo que seria uma reviravolta na franquia do ouriço, o seu primeiro game completamente em 3D: Sonic Adventure (Dreamcast). O grupo resolve executar uma ideia recente: uma viagem às ruínas Incas (Peru) e Maias (México), a qual serviria de base para a criação de vários estágios do game. Trago nesta matéria algumas das fotos raras desta viagem, o seu roteiro completo e o momento histórico da franquia que motivou esta aventura.

.


.

Com o desenvolvimento de Sonic & Knuckles completo, a maior parte do grupo corresponsável pelo game, o Sega Technical Institute (STI), incluindo Yuji Naka, decidiu voltar ao Japão, deixando a franquia Sonic nas mãos de outros times, em outros países. Uma vez no Japão, Naka reencontra o co-criador de Sonic, Naoto Oshima, ressuscitando o famoso grupo conhecido como Sonic Team.

Com o desenvolvimento do Saturn bem encaminhado, o Sonic Team planeja lançar uma nova franquia e resolve pôr em prática uma idéia que Yuji Naka teve ao término de desenvolvimento de Sonic the Hedgehog 2: NiGHTS Into Dreams.

Aos membros remanescentes da STI ficou a missão de desenvolver o novo game de Sonic para o novo sistema Saturn: Sonic X-treme. O game, que seria a primeira incursão da série ao ambiente 3D, já nasceu morto. Naka inclusive, quando viu as primeiras ideias conceituais do game, balançou a cabeça e apenas desejou “boa sorte”, profetizando a sorte que o jogo teria. Depois de várias mudanças no projeto e na direção, o game acabou cancelado, deixando um buraco histórico no sistema. Buraco este que tentou ser sanado, sem sucesso, com o lançamento de Sonic 3D (Saturn, Mega Drive) e Chaotix (32X). Ficou claro que, nesta nova geração, Sonic deveria voltar às mãos de seus criadores: o Sonic Team.

 

.

A idéia inicial de Takashi Iizuka, Game Designer Sênior de Sonic 3 e Sonic & Knuckles e diretor de Sonic Adventure, era a criação de um “Sonic RPG”. Por fim, decidiu-se que o game não seria mais um RPG, mas sim uma aventura com uma ênfase na história. O game foi projetado inicialmente para o Sega Saturn, mas teve que ser replanejado para o próximo sistema da Sega, o projeto Katana (futuro Dreamcast), assim que a mesma percebeu que a vida útil do Saturn seria dramaticamente menor que a de seu antecessor, o Mega Drive.

Enquanto Yuji Naka estava envolvido com a criação do hardware do Dreamcast, o projeto de Sonic Adventure para o Saturn foi transformado no mundo principal de Sonic Jam, uma compilação dos quatro games de Sonic do Mega Drive para o sistema. Além de testar o funcionamento de Sonic num mundo 3D, o game foi usado para medir a recepção do público a este novo ambiente.

 

.

Com a imensa capacidade gráfica que o Dreamcast proporcionaria, dando margem à criação de mundos mais realistas, o núcleo do Sonic Team, incluindo Naka, Oshima e Iizuka tomou uma decisão radical que ajudaria a criar o novo game: realizar um roteiro turístico às ruínas Maias (América do Norte) e Incas (América do Sul). O grupo de seis pessoas queria “ver com os seus próprios olhos” ambientes que dariam ideias que moldariam os estágios de Sonic Adventure, ao invés de se basear apenas em livros e filmes. O grupo lembra que a própria Casino Night Zone, de Sonic 2, cheia de truques de pinball e caça-níqueis, foi criada com base nas experiências do mesmo na cidade de Las Vegas (EUA).

Mantendo o foco profissional da viagem, o Sonic Team fez inúmeros registros fotográficos e em vídeo, os quais foram usados na criação de fases como Emerald Coast, Lost World e Mystic Ruins, não só como inspiração mas, muitas vezes, literalmente. Muitas das texturas do jogo foram criadas a partir das fotos da viagem. Além disso, uma ideia que não estava nos planos originais para o jogo surgiu enquanto a equipe estava no Peru, observando as pessoas “surfando” em dunas. O Sonic Team traduziu este inusitado evento no estágio Sand Hill da versão Miles “Tails” Prower do game, segundo o diretor Takashi Iizuka. Divulgamos alguns dos registros fotográficos feitos pelo grupo logo abaixo.

 

.

Novembro de 1996. O roteiro da aventura viagem do Sonic Team, que duraria duas semanas, começa na Península de Yucatan, no México, e passaria por Chichen Itza, Cancun, Tulum, e Tikal. O próximo destino seria a América do Sul, Peru, aonde o grupo visitaria Cuzco, Machu Picchu e Ica. Longe de ser um passeio tranquilo, entre outros entraves, o grupo teve que enfrentar aranhas gigantes, serpentes, além de, em determinado momento, Yuji Naka ficar doente.

.

 

 

 

 

 

 

.

.

Sonic Team em Tulum (E) e Yuji Naka em Machu Picchu (D)

.

 

 

 

 

 

 

.

.

Sonic tirando um cochilo em Tikal (E) e jantar em Cancun (D)

.

 

 

 

 

 

.

.

.

Mar do Caribe (E) e passagens secretas (D)

.

nov-26 – Voo para Cancun (México), chegando no aeroporto de Narita via aeroporto de Dallas (EUA).

 

nov-27 – Primeiras ruínas visitadas: as de Chichen Itza, as maiores ruínas maias. A vista consistia na pirâmide do “Deus Serpente” e na vegetação que cresceu entre torres, pilares e passagens estreitas.

 

nov-28 – Seguiram para as Ruínas de Tulum, de frente ao Mar do Caribe, recheado de recifes de corais. A paisagem é composta de pequenos muros e casas de pedra, passando por um gramado bem cuidado.

 

nov-29 – Foram de barco às ruínas de San Gervasio, emCozumel. Qualquer semelhança com a passagem de Sonic 3 rumo às ilhas do sul é mera coincidência. Ou não.

.

 

 

 

 

 

 

.

.

A bordo de uma lhama (E) e Sonic Team (D)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Ocean View Hotel em Cancun (E) e Sonic matando a sede (D)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Tomando um ar em Chichen Itza (E) e veículo quebrado (D)

.

nov-30 – Vôo de avião à Guatemala, indo para as ruínas de Tikal (nome dado a uma personagem de Sonic Adventure), no meio da selva. Há uma pousada perto e um local para acampar. Na selva, um enorme rio delimita uma área repleta de ninhos de tarântulas, enquanto macacos são vistos nas árvores.

 

dez-01 – No dia seguinte, foram passando por pântanos até as ruínas das pirâmides de Washakuto.

 

dez-02 – Visita ao Templo de Tulum. Depois de uma quebra no veículo, o grupo parte em viagem com destino à Nazca (Lima, no Peru).

 

dez-03 – Continua a viagem à cidade de Lima.

 

dez-04 – Chegada à Lima, com destino às famosas linhas de Nazca. Se antes o mundo parecia estar coberto por florestas, agora era o contrário: deserto até aonde avista alcança. O grupo lembra que estes mesmos cenários de floresta e deserto vistos na viagem fizeram parte da trilogia original de Indiana Jones (Spielberg e George Lucas), segundo lhe disseram, e destaca a emoção da viagem às linhas de Nazca num pequeno avião Cessna com 6 pessoas a bordo.

.

 .

.

.

.

.

.

.

Macaco Raiva na selva (E) e população local (D)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Pose para a foto (E) e o Cessna (D)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

No céu (E) e Nazca (D)

.

dez-05 – Viagem à cidade alpina Cusco, a antiga capital do Império Inca. Pessoas ainda vivem lá, a 3400 metros acima do nível do mar.

 

dez-06 – Logo em seguida, o destino foi Machu Picchu, a incrível cidade-fortaleza escondida nas nuvens, aonde casas feitas de pedra aparecem e desaparecem num cenário de chuva intermitente. A cidade aérea na montanha Hazy lembra os lendários Jardins Suspensos da cidade de Laputa (Hayao Miyazaki).

 

dez-07 – O Templo de Pachakama, encontrado em altas montanhas e cercado pelo deserto de Mirumiru é o destino final. Passagens estreitas, verdadeiros labirintos, esperavam o grupo. A aventura ainda passaria pelas Ruínas de Ocre, situadas numa colina e marcadas por um vendaval feroz.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Oxigênio rarefeito (E) e bebendo um Chá de Coca (D)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Incrível! Machu Picchu realmente existe! (E) e vista da janela, em Cuzco (D)

.

Bônus

.

Ao término das duas semanas, o grupo, bastante cansado, pega um voo de 30 horas para retornar ao Japão. Estava encerrada a viagem que, planejada há 20 meses, foi a fonte inspiradora de Sonic Adventure.

.

Referências: Sonic Team, Sonic Retro.

Idealizador e criador do Passagem Secreta, vencedor do prêmio Top Blog, cientista da computação, pós-graduado em Educação, professor e, nas horas vagas, gamer.

Facebook Twitter Google+ YouTube Skype 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: curiosidades
  1. Maxwel_Gamer
    11, novembro, 2012 em 23:38 | #1

    Nossa, não sabia dessa curiosidade. Não joguei profundamente o Sonic Adventure DX (malditos problemas de programação, mal posso ver seus movimentos !!!!!), mas, vou dar uma olhada na net em alguns gameplays para ver as inspirações. Abraços

    Ps: Depois de um hiato bem grande, esse texto valeu a pena.

    • 11, novembro, 2012 em 23:43 | #2

      "A espera é passageira, a mediocridade é eterna" – já dizia o diretor de uma certa empresa de games.

      Valeu Maxwell_Gamer!

  2. 12, novembro, 2012 em 11:46 | #3

    De fato a ambientação de Sonic Adventure nas fases fora da cidade são muito bonitas, uma pena que o restante do jogo não acompanhou este nível de qualidade. Essa coisa de forçar uma super trama em um Sonic, a jogabilidade estranha e a câmera maldita mataram a minha experiência com esse jogo.

    • 12, novembro, 2012 em 15:43 | #4

      E a idéia inicial era criar um Sonic RPG! Se bem que, de toda forma, poderia não ser uma má ideia.

      • tchulanguero
        12, novembro, 2012 em 18:04 | #5

        Se fosse RPG pelo menos a trama que inventaram faria mais sentido, he he he.

      • Talude
        16, novembro, 2012 em 02:09 | #6

        E aí, quem manja de RPGMaker? hehe

    • Maxwel_Gamer
      12, novembro, 2012 em 22:22 | #8

      Tchulanguero
      De fato a ambientação de Sonic Adventure nas fases fora da cidade são muito bonitas, uma pena que o restante do jogo não acompanhou este nível de qualidade. Essa coisa de forçar uma super trama em um Sonic, a jogabilidade estranha e a câmera maldita mataram a minha experiência com esse jogo. [2]

  3. 12, novembro, 2012 em 13:57 | #9

    Muito legal conhecer um pouco da história deste jogo que acabou não tendo tanto reconhecimento como outros da série, mas mesmo assim não ficou totalmente esquecido pelos fãs. Achei super interessante a viagem deles.

    Parabéns pelo post!

    • 12, novembro, 2012 em 15:45 | #10

      Valeu Sora! Essa matéria foi complicada, a maior referência foi um site em Japonês e havia muitas informações pra se confirmar antes de se pensar em publicar por aqui.

      Que bom que gostou, abraço!

  4. Agent13
    13, novembro, 2012 em 18:53 | #11

    Matéria interessante!

    Espero que o site não caia de novo! Gosto de ver as matérias do site, pois são bem variadas!

    • 15, novembro, 2012 em 13:50 | #12

      Valeu Agent13 (por acaso você não é conhecido de outro Agent que eu conheço? Deixa pra lá. ^^)!

      Parece que os sites hospedados no mesmo servidor do PS não estão mais com problemas e agora poderemos continuar a fazer o que já estávamos perseguindo no 1º semestre do ano. Novidades virão.

      Abraço!

      • Agent13
        15, novembro, 2012 em 16:25 | #13

        Uma coisa te digo: não sou o Agentman, conhecido no Nes Archive.
        Eu postei algumas vezes aqui e no Gagá Games, como Agent13 mesmo.

      • Talude
        16, novembro, 2012 em 02:18 | #14

        Mas eu estou proibido de postar sobre GTA, né chefe? 😛

        • 16, novembro, 2012 em 11:25 | #15

          Eu proibir? Ainda preciso confirmar que os membros do Passagem Secreta postam o que querem, quando bem entenderem e sobre qualquer assunto relacionado a games?

          😀

  5. Dactar
    15, novembro, 2012 em 18:35 | #16

    Belo texto!
    Que bom que o -Passagem Secreta- está de volta.

  6. 16, novembro, 2012 em 11:32 | #18

    Só pra lembrar, esta é a matéria que eu havia prometido publicar caso nossa fan page no Facebook chegasse a 100 "Curtir".

    A idéia era apenas mostrar as fotos raras mas, como sempre acontece, resolvi aprofundar mais o texto e acabei escrevendo mais dois capítulos.

    Os nomes nas fotos e as respectivas legendas são baseadas no original em Japonês, quando o mesmo faz algum sentido.

  7. themetalhero
    22, novembro, 2012 em 14:08 | #19

    Bem legal. Algumas fotos lembram a primeira fase, e principalmente o hotel e aquela piscina estão muito parecidos com as do início do game.

    • 29, novembro, 2012 em 00:24 | #20

      É importante frizar, como eu destaquei no texto, que nem todas as fases foram baseadas na viagem, algumas mais, outras menos.

  8. Giulian Vaz
    26, novembro, 2012 em 21:07 | #21

    Antes do Adventure eu já achava as fases de ruínas, templos, etc dos Sonic anteriores bem construídas e imersivas. Essa curiosidade explica o salto nessas qualidades no Sonic Adventure, algo que é tão recorrente hoje em dia, de empresas buscarem ter essas experiências para fazer seus jogos é bom ver que já naquele tempo era feito isso, passa seriedade.
    Algum tempo atrás eu tinha lido bem pouco sobre isso mais não tinha certeza se era verdade, graças a essa matéria agora eu tenho.
    Muito bom ver o site de volta!

    • 29, novembro, 2012 em 00:22 | #22

      Pois é cara, é tão real que o Sonic Team tinha isso esquecido em algum canto do seu site em Japonês (claro) e por sorte acabei esbarrando por lá. Por tabela deu pra confirmar que a viagem do grupo a Las Vegas, que culminou na criação da Casino Night também é verídica.

      É isso aí, estamos de volta e eu estou escrevendo bastante, como nos velhos tempos.

      Abraço!

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: