Página Inicial > segredos, videocast > Videocast – Sonic e Blade Runner: as semelhanças (ou coincidências)

Videocast – Sonic e Blade Runner: as semelhanças (ou coincidências)

Vocês gostam de quatro? Porque esse é o número do mais novo episódio do Videocast do Passagem Secreta! Tá bom, eu sei que a piada foi horrível e muitos de vocês pararam de ler ali, mas vamos adiante.

Nesse vídeo, decidimos ampliar a polêmica referente ao post que comparava as semelhanças entre Sonic e Blade Runner, publicado no ano passado e que gerou uma certa controvérsia. Para dar os pitacos no que se refere à parte de teoria musical, convidamos ninguém mais que o Eric Fraga, do Cosmic Effect, para esclarecer todas as similaridades que a música da Scrap Brain Zone tem com o tema principal do filme, composto por Vangelis.

Espero que vocês curtam as piadinhas bobas, a atuação do Cosmonal, e a narração usual. Aliás, não deixe de comentar se você continua acreditando que isso tudo é uma grande baboseira, ou se você foi iluminado com a sabedoria e o conhecimento que só esse Videocast poderia lhe porporcionar!

Aliás, como sempre, queria agradecer ao próprio Eric Fraga, por ceder sua imagem e seu tempo para participar aqui. Espero que ele tenha gostado dessa “contribuição conjunta”.

.

.

E então? Acham mesmo que os tios Naka e Nakamura buscaram “homenagear” o filme? Não deixem de opinar (pelo amor de Deus!).

Jornalista de games, editor de vídeo e estudante de Audiovisual, escreve atualmente para a Revista OLD! Gamer. Além dos joguinhos, também dá pitacos sobre cinema, TV e tecnologia; sempre acreditando que a ironia é a melhor forma de sinceridade. Ouve Game Music e trilhas sonoras de filmes durante a maior parte do tempo, mas jura que é uma pessoa legal. Seguista, badernista e exorcista.

Twitter YouTube 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: segredos, videocast
  1. Bravehunter
    8, fevereiro, 2011 em 12:00 | #1

    Igual! Não tem como não notar. Mas vejo como uma homenagem e não como um plágio.

  2. Anônimo
    8, fevereiro, 2011 em 12:42 | #3

    Nada a Ver.

  3. 8, fevereiro, 2011 em 13:43 | #9

    Olha eu lá no início do vídeo! Que emoção! ^_^

    Se eu concordar com vocês, obviamente não vai ter graça, né? 🙂

    Sobre o cenário parecido: praticamente todos os jogos com alguma temática cyberpunk usam cenários desse tipo. Prédios iluminados, foguinho subindo… olha aí a abertura do Shadowrun de SNES que não me deixa mentir:

    Claro, todo mundo pode ter bebido da mesma fonte, mas é que a influência de Blade Runner no meio cyberpunk é que nem a influência de Shakespeare na literatura e no cinema: até quem não conhece o original é inspirado por ele e nem sabe. Está no ar, a gente respira e nem percebe.

    Sobre a música: o tímpano parece, claro. Mas por mais que meu ídolo baiano, Mr. Fraga, vizinho de Cláudia Leite, tente me convencer, eu continuo achando que não há relação direta. Indireta até vá lá, como eu já disse aí no parágrafo anterior, mas não acho que rolou um "vamos nos basear na música do Blade Runner". Não sou lá um músico muito bom, mas acho que esse lance de alterar a velocidade, mudar o tom e aceitar as notas extras no meio do caminho como meros desvios para mostrar que as músicas se parecem é meio como um "vamos encaixar a peça quadrada no orifício triangular" 😛

    Não estou dizendo que é tudo bullshit não… acho o argumento razoável, acho que merece sim uma investigação e acho até viável que tenha rolado uma influência, mas eu não apostaria o meu dindin nisso.

    E como eu sempre digo, eu sempre tenho razão 😛

    Adorei a ideia do vídeo, vocês são mesmo impagáveis!

    • 8, fevereiro, 2011 em 14:03 | #10

      Eu acho que o assunto do próximo Videocast será para encontrar as similaridades e coincidências que você tem com os velhos teimosos em geral 😀

      Pra mim, realmente houve alguma coisa ali inspirada, mesmo que indiretamente. A ideia do vídeo mesmo é abrir a cabeça das pessoas para a questão, e fazer com que elas concluam se realmente o Naka/Nakamura referenciaram Blade Runner. Tanto é que rola a perguntinha básica no final!

      É claro que o vídeo tem várias mensagens subliminares, tem a mistura das duas faixas no final, tudo para fazer com que o espectador concorde. Mas existem pessoas imunes a esses tipos de manipulações 😛

    • 8, fevereiro, 2011 em 15:10 | #11

      ehehehehe, achei que os tímpanos ficam estranhos naquele arranjo pop da música de Sonic, por isso que eles são quase certo terem vindo de "outro lugar" eheheheh. Mas só o Nakamura pra dizer com certeza 😉 porque não só parece, é EXATAMENTE o mesmo – só que musicalmente, diria eu novamente, fora de lugar naquela música de Sonic. Por isso dá pra chutar que ela pode ter vindo de Vangelis mesmo, que por sua vez usou o clássico arranjo de tímpano épico (tum tum tum tum tum tum tum tum) tímpanos numa música praticamente toda eletrônica (a End Titles) – que por si só, já garantiu um lugar especial na originalidade do arranjo da música como um todo. Como Naka veio depois… rs Como parece haver um acordo geral de que a imagem cyberpunk da cidade ao fundo com suas fumacinhas tenham vindo de Blade Runner, estão lá em Sonic também…… vai somando eheheheheh

      Olha, o lance do tom era pra informar que, caso alguém vá escutar em casa as duas músicas sequenciadas, por elas não estarem no mesmo tom isso não muda (realmente não) a questão da similaridade, certo? Porque qualquer música pode ser executada em qualquer tom – nesse caso não era a questão de forçar a explicação e sim de elucidar mesmo. Mudar o tom de uma música não tem influência musical, porque todas as frequências mudam proporcionalmente (tanto que isso nem é levado em conta em análises de plágio) – qualquer músico pode te garantir isso, aí não há discussões. Eu toquei as duas no mesmo tom apenas pra mostrá-las lado a lado sem a diferença de frequência de um outro tom atrapalhar o julgamento (sério, só faria atrapalhar, pro caso de se analisar similaridade musical).

      Agora, o resto é pra polemizar mesmo eheheheheh, afinal o vídeo foi dirigido pelo Rafael que não pedia "vamos lá Eric, mais garra!" e sim "vamos lá Eric, mais polêmica!!! Quero encher a cabeça dos retrogamers de dúvidas!!! Shlaaap!!!" eheheheheheh

      Quando ele me mostrou o zoom no Gagá, me acabei de rir, rs

      Agora sério, o mais legal foi no fim ver a similaridade que passaram despercebidas por tanto tempo em duas criações que TANTO gosto: Ridley Scott é meu diretor favorito, do meu filme favorito ever, Alien; a SEGA é minha empr… ops, gosto, da SEGA, acho que fez jogos legais 😉 então, foi realmente uma surpresa agradável mesmo.

      A maioria das vezes o negócio acontece indiretamente mesmo, mas disse o genial Lobão numa entrevista do multishow a um tempão, não tenho a fonte mas lembro bem da idéia: "numa mesma música, o compositor navega entre o momento mais introspectivo e íntimo para a mais pura e descarada cópia e o ouvinte nunca vai notar".

      • 8, fevereiro, 2011 em 16:25 | #12

        É, mas não foi só o tom que mudou: o ritmo mudou um pouquinho, tem umas notinhas a mais… não é algo tão óbvio quanto "o caso Vanila Ice vs Queen":

        Não é engraçado usar esses termos, "o caso Vanila Ice vs Queen"… faz a gente parecer importante, né? 🙂

        Eu continuo com a minha postura "Dana Scully", mas é como eu disse, o argumento é viável. Eu só acho que é coincidência, mas tem evidências suficientes para garantir uma investigação, e há uma chance razoável de eu estar errado — embora, por default, eu esteja sempre certo 😛

        Resumindo: o que vocês estão alegando certamente não está no mesmo nível de certas besteiras forçadíssimas que a gente lê pela internet de vez em quando.

      • 8, fevereiro, 2011 em 16:26 | #13

        E a propósito, diz à Cláudia Leite pra ela parar de me ligar. Fica chato, eu sou casado e tal 😛

        • 8, fevereiro, 2011 em 20:53 | #14

          Se estiver se referindo ao baixo, não tem notas a mais nem a menos, o ritmo é idêntico 100% igual, com notas no mesmo tempo; muda o arranjo (se fosse o mesmo arranjo aí matava de vez) – ou seja, as notas escolhidas:

          BR….. C C D D# C C D D#
          Sonic.. C C G G A# A# G G

          Isso se repete nos acordes seguintes, em ambas, Gag 🙂 Praticamente um arranjo é variante do outro, diria eu. Acontece isso por aí? Acontece. Muito? Não, pouco. E com a melodia igualmente similar por cima? Pouco, menos ainda. E tome lenha na fogueira ehehehehe

          Pode deixar, ela é vizinha aqui do prédio.

          "Claudinhaaaa, larga de ligar pro Gagá, eu menti pra você, ele é casado! E com Lady Gaga!

          O quê, de repente ficou mais interessante pra você?" Essas axezeiras, querem subir de na vida de qualquer jeito… 😀

  4. 8, fevereiro, 2011 em 13:52 | #15

    Ficou muito massa a música do Sonic no teclado dele (e o bônus de OutRun). Fica claro sim que foi uma homenagem, e não uma chupada da música. nakamura foi muito criativo em fazer algo diferente e ao mesmo tempo semelhante. obrigado, gente!

  5. 8, fevereiro, 2011 em 14:01 | #18

    Diante destas explicações do mago, fica difícil de dizer que é pura coincidência.

    • 8, fevereiro, 2011 em 16:11 | #19

      ehehehehe, valeu pelo mago, mister Sandro "ZX" Tandrilion, vou procurar uma barba branca à la Gandalf pro próximo convite do Passagem Secreta 🙂

  6. 8, fevereiro, 2011 em 14:08 | #20

    os comentários são moderados?

    • 8, fevereiro, 2011 em 15:24 | #21

      Só alguns deles. O seu acabou caindo na caixa de spam, por isso que não veio na hora!

    • 10, fevereiro, 2011 em 11:48 | #22

      A primeira vez que uma pessoa comenta no blog, seu comentário é moderado automaticamente.

      Depois de ter um comentário aprovado, não há mais moderação – a não ser quando a pessoa escreve palavrões, xingamentos, ou termos inadequados, como por exemplo "Sonic e Blade Runner: duvido!" 😀

  7. 8, fevereiro, 2011 em 14:36 | #23

    Adorei o Videocast! 😀

  8. Anônimo
    9, fevereiro, 2011 em 10:52 | #25

    Eu continuo dissendo: Nada a Ver.

  9. 9, fevereiro, 2011 em 15:39 | #31

    Excelente matéria e magnífica performance de teclado.
    Originalidade ao extremo.

  10. 10, fevereiro, 2011 em 07:11 | #34

    Já que o assunto são semelhanças sonoras, deixa eu dar mais uma aqui. Tem um post que fiz sobre Curiosidades sobre o Sonic (Oportunista mode on – http://bit.ly/fA75jH) onde comentei sobre a música Music to watch Girls By do Billy May ter servido de inspiração para o tema da Marble Zone do Sonic 1. A semelhança é mais forte que essa do Blade Runner, nas primeiras notas parece quase um chupin.

    No caso do Blade Runner, acho que a semelhança está que ambos os baixos serem tocados em crescendo, por isso acaba dando essa impressão de WTF.

    E fazer um comentário sobre o… comentário no final do vídeo, de as vezes por ser a última fase e não repararmos na música. Acho que vai do ouvido de cada um. O Sr. Rafael e Cosmonal há de concordar comigo que quando somos músicos isso é algo inevitável, podemos estar jogando um bullet hell, mas se no meio do jogo rolar alguma frase pirateada nós vamos pausar e falar um hey !

    • 10, fevereiro, 2011 em 09:26 | #35

      Acho que além disso, é algo bem sutil mesmo, de longe não pode chamar de plágio! Vou conferir essa música, se bobear vira assunto pra outro Videocast… mentira!

    • 10, fevereiro, 2011 em 10:02 | #36

      Lá vai o chato do Gagá atacar mais um, rs…

      Não é que não seja parecido também, mas eu acho que o problema é que MUITA música já foi feita nesses trocentos anos de história da humanidade. Acho praticamente impossível uma pessoa com um BOM conhecimento musical (tipo, não é qualquer zé mané que vai lembrar de "Music to watch Girls By") não encontrar semelhanças bastante razoáveis entre uma música e outra, como uma música de videogame. No caso do "Music to", acho até a progressão bastante comum, típica desse estilo de música, e deve ter um monte de outras parecidas.

      Mesmo assim, bacana a relação.

      • 10, fevereiro, 2011 em 10:06 | #37

        E com este comentário, o Gagá chega mais perto de conquistar a repulsa de metade da blogosfera, rs… esses tópicos investigativos do Passagem Secreta vão acabar com a minha popularidade! Aquele post sobre a música do Pokemon tá marcado aqui no ReadItLater, mas eu tô até com medo de ler e discordar de alguma coisa ^_^

        • 10, fevereiro, 2011 em 12:03 | #38

          Você deveria é ter medo de ouvir aquela musiquinha irrit… digo, macabra e sobreviver logo depois. 😛

          Nesse caso, quem faz o papel de Scully é o 00Agent, enquanto eu sou o Mulder. Pretendo no futuro fazer uma abordagem com a minha visão do tema, sobre alguns pontos que fogem um pouco da abordagem sonora que o Rafael tratou.

          Ps.: Tô rindo até agora do close no Gagá no começo do vídeo. 😀

          • 10, fevereiro, 2011 em 12:35 | #39

            "Nesse caso, quem faz o papel de Scully é o 00Agent, enquanto eu sou o Mulder. Pretendo no futuro fazer uma abordagem com a minha visão do tema, sobre alguns pontos que fogem um pouco da abordagem sonora que o Rafael tratou."

            TUM! Scully, eu? Tá me estranhando, rapaz?

      • 10, fevereiro, 2011 em 10:34 | #41

        É cara, com certeza que existem diversas músicas que faz com que a gente lembre de outras, e se fosse pra ficar procurando e analisando cada uma, qualquer um enlouqueceria. No fim das contas, qualquer constatação dessas fica como uma "curiosidade legal"

        A questão é que no caso dessa aqui (End Titles VS Scrap Brain), a semelhança não tá só no que a gente pode ouvir e achar que pode soar igual. Tá na própria explicação que o Eric deu, que fala da característica rítmica do baixo de ambas as músicas e de parte da melodia. O legal disso é que a parada ocorre entre um jogo e um filme que, a princípio, possuem temáticas totalmente divergentes, praticamente impossíveis de comparar. Se fosse uma comparação entre Blade Runner e Metroid (ou qualquer outro jogo sci-fi), por exemplo, ia ficar bastante óbvio e não ia ter a mesma graça.

        Agora, o post do Pokemon não tem nem do que discordar, a não ser que você tenha ouvido a música lá no post e morrido de verdade!

        • 10, fevereiro, 2011 em 13:06 | #42

          O lance do Pokemon é brincadeira, não li por falta de tempo mesmo, nem sei do que se trata direito mas parece interessante. Depois vou ler, tá na fila.

          • 10, fevereiro, 2011 em 13:22 | #43

            E você acha que eu tava falando sério? Leia, mas leia de noite, no escuro, e assista os vídeos com fones de ouvido.

      • mestrechronos
        10, fevereiro, 2011 em 12:38 | #44

        Po, ataque assim que é legal, faz bom para moral (aha, você que me leu também pensou na música medonha !)

        No caso do Sonic como disse, rolou um Crescendo na parada, um recurso que lógico que está ai pra ser usado por qualquer músico. Vou dar um copiar colar do que comentei la na Comunidade do Mega Drive.

        "Crescendo – seria como a palavra diz, notas tocadas em sucessão crescente para dar intensidade a música.

        O que é um excelente recurso musical para quando se quer criar suspense ou tensão – De um lado um filme cyberpunk, pesado, dark…do outro a última fase de um jogo, expectativa, vou finalmente dar um rodo no Robotick…don Don DOn DON…"

        Mas algo também é verdade, nem tudo se assemelha !

        Uso como exemplo aquela teoria do Michael Jackson ter feito as músicas do Sonic 3, aquilo é algo digno de dorgados e eu me prometi e ainda não cumpri, de fazer um vídeo do Sonic 3 provando que quem fez as músicas foi o Falcão ! Não tem notas, recurso ou "maneira de tocar" parecidos, os caras aceleraram a música pra uma bater em cima da outra.

        Por isso o meu lado nessa porradaria nos comentários é que sim, acredito que houve inspiração por parte da Scap Brain no Blade Runner.

        Para algo soar parecido, remeter, lembrar é preciso muito mais que coincidência. Pois os recursos musicais podem existir a séculos, porém não achamos a todo momento coincidências sonoras nos mundo dos games devido a isso.

  11. 10, fevereiro, 2011 em 12:34 | #45

    Caramba, ficou ótimo o Videocast! E olha o Eric dando mais uma palhinha do seu talento musical além das fronteiras do seu site, o Cosmic Effect.

    Como ando trabalhando que nem camelo no deserto, só agora posso comentar.

    Desde a criação do blog (e mesmo antes, na comunidade do Orkut Segredos e Rumores dos Games, que tem a mesma proposta deste) a intenção não é criar rumores e soltar no ventilador, mas sim analisar quando alguns se mostram mais instigantes ou dignos de investigação.

    Não sou músico (apesar de tocar alguns instrumentos por som de ouvido) nem tenho conhecimentos técnicos na área, mas pra mim a semelhança existe. A questão aqui é botar as cartas na mesa, já que dificilmente alguém aqui conseguiria uma confirmação ou negativa oficial da Sega, de alguém ligado à produção musical da mesma ou, com mais sorte, o Nakamura (se alguém puder contactá-lo pra gente… cadê o Edu Shiroma? :D).

    Gostei muito das explicações do Eric, a edição ficou ótima, show de bola.

    Lembro que não só essa música de Sonic tem esse lance de inspiração a uma música famosa. Além da Scrap Brain, já li rumores parecidos da Marble Zone, da Spring Yard Zone e de outra. Daria até uma série de matérias, mas essa de Blade Runner é sem dúvida a mais interessante.

    • 11, fevereiro, 2011 em 07:47 | #46

      Valeu Marcos, bom que gostou da "palhinha" eheheheh

      Coitado de Rafael e de mim, não fala que tem mais rumores em outras músicas não, rs

      Opa, Rafael na linha: "Eric, vai tirando Marble Zone e Spring Yard Zone aê no teclado que lá vem mais bomba" eheheheheheh

      • 11, fevereiro, 2011 em 15:15 | #47

        Ou Michael Jackson no Sonic 3 😛

        • 11, fevereiro, 2011 em 19:32 | #48

          Na comunidade Segredos e Rumores dos Games eu escrevi sobre esse assunto. Futuramente vou ser obrigado a fazer um post. Talvez o Rafael também resolva fazer algo também, em outra matéria.

      • 11, fevereiro, 2011 em 20:53 | #49

        Heheh, pode deixar, no máximo acho que daria um outro post com essas coincidências, já que não há o pano de fundo de um hit cyberpunk como Blade Runner por trás (literalmente, no caso dos cenários de Sonic 1 :D).

  12. 3, março, 2011 em 19:21 | #50

    Rapaz, nunca tinha reparado no fundo da última fase! Como o Rafael falou, o lance de estarmos perto do final do jogo, faz com que isto passe desapercebido mesmo. Quanto a música, eu só sinto mesmo o começo que tem alguma semelhança. Lembro que o MCS colocou no twitter a apresentação de Shadownrun do SNES que também usa como inspiração, tomadas do filme para a tela de fundo (aquela tomada logo no começo do filme). Curti pra caramba o vídeo por saber que o jogo e o filme que eu adoro, tem alguma semelhança ^_^

    Ótimo trabalho galera! Estão de parabéns!
    O Eric também detonou!

    Um grande abraço!

    • 4, março, 2011 em 06:12 | #51

      Heh, pelo menos você concorda, mesmo que apenas em parte! Blade Runner é uma coisa que influenciou muitos jogos e filmes posteriores, mas encontrar uma semelhança em um game que a princípio não tem nada a ver (como Sonic) é um achado interessante!

      E valeu por ter assistido e gostado! Um dia o próximo Videocast sai! Abraço

  13. 15, novembro, 2011 em 01:07 | #52

    Vcs sabem, ando estudando bastante o desenvolvimento das músicas de Sonic 1 e 2 nas últimas semanas.

    Achei algumas possíveis evidências dessa relação, na entrevista ao moribundo site Sonic City (link abaixo). Vou destacar dois pontos interessantes do que Nakamura disse:

    1 – Para a inspiração das músicas do game, a equipe de desenvolvimento do game mostrou os principais aspectos de cada fase. Uma delas foi definida assim: "algo como um mundo num futuro próximo" (it's sort of a near-future world).

    2 – Ele diz que quis dar um aspecto cinemático às músicas do jogo: música dramática no chefe, música de "missão cumprida" no final e ambientação nas fases de acordo com a sua temática. E cita que, para isso, assistiu a alguns filmes (Blade Runner?).

    Pode ser coincidência, mas ligando os pontos, faz sentido com a teoria Sonic/Blade Runner.

    Ah sim, o link da entrevista:
    http://www.randomsonicnet.org/srz/index.php?page=

  14. 5, abril, 2012 em 04:19 | #53

    olha eu de coveiro novamente, realmente tem bastante semelhança, a progressão dos acordes é diferente mas o tempo é praticamente igual. e blade runner é blade runner, exatamente como falou um brother aí em cima, difícil não influenciar quem veio depois.

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: