Página Inicial > O Que Estamos Jogando > O Que Estamos Jogando #01

O Que Estamos Jogando #01


Bem amigos do Passagem Secreta! Hoje estamos inaugurando uma nova seção fixa no blog com a pretensão de ser regularmente periódica: O Que Estamos Jogando é o nome da dita cuja. A ideia é a de mostrar o que cada colaborador do site está apreciando no momento, através de uma leve descrição subjetiva que pode servir também como recomendação (ou não) para vocês que nos acompanham – lembrou do Reader Roundtable, do excelente Sega-16? Então, é mais ou menos por aí. Além disso, é uma ótima forma de conhecer melhor essa galera do barulho que pinta o sete em cada um dos artigos do blog, assim como debater as experiências de jogo, que como a gente sabe bem, podem variar de acordo com cada um.

Sem mais delongas, vamos seguir em frente, começando com

 

Plants VS Zombies – PC

Por Flávio Master

Ando um gamer bastante casual devido à falta de tempo causada pelas coisas chatas da vida de adulto. É numa dessas que um game como Plants vs Zombies cai como uma luva. É um game de estratégia tipo Tower Defense onde você defende seus miolos de zumbis famintos usando as plantas do seu jardim e a ajuda de um vizinho não muito normal. Justamente por ser tão absurdamente improvável que o game acabou chamando minha atenção… e me fazendo ter uma absurda perda de produtividade no trabalho, a curto prazo!

Descobri um monte de cheats toscos em conversas com Crazy Dave (o vizinho doidão) e com o cultivo da minha Árvore da Virtude, que já é um baita cedro . Dá pra colocar todos os zumbis de bigode ou com óculos 3D. Também já apareceram outros tipos de zumbi, inclusive um tal Yeti, que eu não entendi pitomba nenhuma o que ele faz, já que ele só aparece na tela e some em seguida, e só nas fases à noite. Existem alguns outros modos de jogo tipo “puzzle”, muito divertidos, embora um seja muito desgraçado de difícil, o Bobsled Bonanza, levei semanas pra conseguir vencer essa. Atualmente estou tentando bater meu recorde nos modos Endless, que são o Zombie Attack e o Vase Breaker. Tenho a impresão que ainda tem mais coisas escondidas aqui, logo, mesmo depois de chegar ao final duas vezes, vou continuar jogando para tentar catar mais uns segredos. Como o game é excelente, não é nenhum sacrifício. Só de produtividade…

Fifa 98 – Road to The World Cup – PC

Por Talude

Lá por 97 eu era um ávido comprador de revistas de games ainda que não tinha nenhum deles que estavam em destaque na época. Quando eu vi que no FIFA 98 dava para jogar com todas as seleções das eliminatórias, eu adorei e joguei algumas vezes as versões de Nintendo 64 e de PC na locadora, sempre escolhendo times que nunca foram e jamais irão a copa.

Tive contato com a versão do PC somente uns anos atrás e então tenho jogado por muitas vezes os confrontos entre times pequenos e o meu preferido, que é o futebol indoor com cinco jogadores por time e quadra fechada. Agora joguei as eliminatórias da Oceania e classifiquei a Austrália (a Austrália somente juntou-se à confederação asiática nas eliminatórias para a Copa 2006) pegando adversários fáceis. Na Copa caí em um grupo formado por Austrália (óbvio), Quirguistão (!?), Suíça e Guatemala (?) na qual ganhei todas por goleada e assim foi até a fase Semi-Final na qual ganhei da Espanha por um parco 1-0. Na final, comecei tomando o gol da Colômbia (que tinha eliminado o Brasil na semi-final) , consegui virar para 2-1 e fazer 3-1. No final, a Colômbia diminuiu. Eu acabei por me sentir tão feliz com isso que penso em jogar outras eliminatórias ou mesmo a liga nacional  o que é dentro do próprio jogo é curioso, já que entre os FIFAs 96 e 98 o jogo tinha a liga da Malásia. e no 97 e 98 o jogo contava com alguns times pequenos do RJ na liga brasileira: América, Bangu, Barreira e Madureira. Bem que poderia ter a narração do Januário de Oliveira…

Carrier Airwing – Arcade (CPS1)

Por Rafael ’00Agent’ Fernandes

Quem me conhece bem sabe que ouço Game Music além da conta, acima de qualquer outro gênero e estilo musical. Não satisfeito em ouvir apenas as músicas dos games que já joguei, procuro também descobrir novos trabalhos e outros álbuns sem necessariamente jogar nenhum dos jogos para os quais a composição foi produzida em primeiro lugar. E a partir desse processo é que descubro jóias inacreditáveis que me levam a conhecer o jogo, ou seja, existem muitos games dos quais conheci primeiro a trilha sonora para depois me aventurar de fato neles. É uma inversão total do processo convencional! Loucura, não? Pois é.

Em uma dessas andanças pela minha “coleção” em mp3 de Game Music, resolvi jogar no Winamp o Street Fighter II -Capcom GSM IV-. Além da presença da trilha sonora do jogo que batiza esse lançamento em dois CDs de 1991, há também as músicas de outros Arcades da Capcom, como Chiki Chiki Boys (Mega Twins), Magic Sword e a grande surpresa: Carrier Airwing.

Depois do fascínio pelas composições espetaculares (que me parecem ter falhado em impressionar dois amigos aos quais enchi o saco para ouvir também; não é mesmo, Seu Cosmonal e Sr Alexei??), decidi conferir o jogo. Chamado no Japão de US Navy, o shooter lateral de 1990 é um sucessor espiritual de UN Squadron, do ano anterior, e não traz muitas inovações para o gênero. As batalhas são incessantes com uma dificuldade bem típica de um jogo de tiro, com gráficos medianos que se destacam por ótimos cenários de fundo, que retratam um espaço mais próximo à nossa realidade – o que pessoalmente, prefiro muito mais do que os ambientes mais fantasiosos que a gente costuma ver por aí. Me diverti bastante, e agora pretendo “treinar” mais um pouco, vendo até onde posso chegar com uma ficha apenas.

Ah, e voltando: O mais interessante foi a descoberta de que a trilha sonora é composta por Manami Matsumae, mais uma musa em meio ao verdadeiro harém que era o departamento sonoro da Capcom na época, com outras beldades como Tamayo Kawamoto, Yoko Shimomura, e muitas outras bravas guerreiras que se destacaram nesse tão vasto universo espacial de galáxias que… ops!

Taí um par de músicas do jogo, retiradas do álbum, que espero que gostem. Ah, essas batidas de latão…

Angry Birds – Android

Por Marcos “mcs” Valverde

Nunca fui muito fã de games casuais. Não por não considerá-los games de verdade, mas por achar que muitos deles se fecham num mundo à parte do restante do universo gamer, e por duvidar da capacidade de alguns desses jogos de trazer o mero casual gamer – aquele que nunca jogou na vida games complexos de consoles, PC ou portáteis – para o restante deste universo.

Como meu Dingoo comprado no final de 2010 está na UTI dos consoles (me ajuda aí Cosmonal!), com inúmeros problemas desde sempre, tive que dar um tempo à minha segunda tentativa de vencer Final Fantasy I do NES (rom traduzida pelo meu irmão, o Jackal da BR Games, olha só…) e como venho tendo muito pouco tempo para coisas mundanas como diversão, acabei comprando um celular Android e instalando o game (gratuito) Angry Birds.

Pra quem não conhece, Angry Birds consiste num contra-ataque furioso e kamikaze de alguns pássaros que tiveram seus ovos roubados por… porcos(!?). Os pássaros são lançados através de um estilingue e devem quebrar com o impacto as estruturas que alojam os porcos – sim, de alguma forma isso me lembra a fábula dos Três Porquinhos. Com direito a gritos histéricos dos pássaros e risadas sacanas dos porcos.  Olha só… não é que o jogo é mesmo excelente e extremamente viciante?

Estou numa fase de cavernas, depois de passar por mundos como Velho Oeste, neve, cidade e outros. Acho que vou demorar pra vencer este porque, apesar de ser um game simples, há muitas fases e algumas delas são muito difíceis, levando dias para conseguir passar por ela. Consegui destravar a maioria dos bônus do jogo e até descobri um easter egg, devidamente catalogado para futuro post aqui no Passagem Secreta. Ah sim, claro… já baixei e instalei as duas sequências de Angry Birds: Seasons e Rio. Se eu sumir nos próximos meses, talvez eu esteja tendo pesadelos com porcos chauvinistas rindo de galinhas em fúria.

E assim encerramos o 1º O Que Estamos Jogando do Passagem Secreta! E aí, gostaram da ideia? Acha ruim algum desses jogos citados? Está a fim de falar do jogo que está jogando atualmente? Então, os comentários são todos seus! Até a próxima – assim espeeero!

Jornalista de games, editor de vídeo e estudante de Audiovisual, escreve atualmente para a Revista OLD! Gamer. Além dos joguinhos, também dá pitacos sobre cinema, TV e tecnologia; sempre acreditando que a ironia é a melhor forma de sinceridade. Ouve Game Music e trilhas sonoras de filmes durante a maior parte do tempo, mas jura que é uma pessoa legal. Seguista, badernista e exorcista.

Twitter YouTube 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categories: O Que Estamos Jogando
  1. 15, agosto, 2011 em 00:08 | #1

    No momento eu estou jogando o Mirror's Edge e sofrendo em alguns trechos. Evito também jogar por muito tempo por conta do estilo do jogo (primeira pessoa).

  2. 15, agosto, 2011 em 00:39 | #2

    Desses quatro , só joguei o Angry birds e recentemente ainda, via Googleplus . Achei bem interessante os personagens (embora o estilo de arremessar não seja novidade) e pra quem tem um smartphone deve ser uma maravilha.
    Atualmente tô jogando Final Fantasy Crisis Core (PSP) , bem bacana, diferente dos FF's convencionais, mas repetitivo a lot.

  3. Felipe Silva
    15, agosto, 2011 em 01:32 | #3

    Excelente Post ! E Engraçado reparar que desta lista tem dois jogos que estou jogando no momento que é Plants VS Zombies e Angry Birds, excelentes jogos que realmente me supreenderam.

    Agora, o Fifa 98 é um jogo que mora no meu coração, comprei ele quando foi lançado para o Sega Saturn e este foi a versão que mais me divertiu. Tenho várias histórias de Copa Do mundo com este jogo, aliás adorava pegar a seleção do Brasil, convocar jogadores de menor expressão e com esta seleção tentar vencer uma copa.

    Aliás este foi o primeiro jogo de futebol que joguei que tinha a possibilidade de edição de jogadores e times, mesmo com a limitada memória do Saturn, dava para editar uma boa quantidade de times e consertar os uniformes errados dos times brasileiros.

    Parabéns pelo post, me trouxe várias memórias agradaveis =)

  4. 15, agosto, 2011 em 09:24 | #4

    Muito legal, o Marcos está no vício do Angry Birds hein? Aproveita que tá ocupado e manda seu Dingoo aqui pra Salvador que eu levo no Osires consertar e… *musiquinha* "Cosmic Fast! 😀

    Coisa de louco, a gente começa a QUERER enfrentar uma fila, QUERER ficar numa sala de espera… só pra matar uns porquinhos. Tem gente que diz que Angry Birds não tem estratégia nenhuma; deixa só o cara chegar numas fases mais distantes, como o Marcos chegou. Eu também já fiquei dias num único cenário, até conseguir! É bizarro. Já dizem que o cara que inventou o Angry Birds é o "Miyamoto do mobile".

    O Flávio no Plants vs Zombies (tem esse negócio de graça pro Android?) e o Talude no FIFA Road To World Cup — caramba, tem o original dele aqui, exatamente o 98 :)

    E Señor Rafael "Chang" Fernandes, foi mais uma ótima dica de trilha sem conhecer o jogo vinda de você o US Navy — ainda mais se tratando de um som megadraiviano/system16-ish como é o caso (mesmo sendo CPS1, I know I know… rs)! Aliás, me confundi ou nas duas que você colocou aí no post, não havia a música da 1a fase dele, que era a que tinha me apresentado — por sinal, lindíssima também.

    É pra dizer o que a gente tá jogando também? Bom, estava meio addicted com o Super Stardust HD, que é uma espécie de "Asteroids reloaded", isso no PS3. Como de costume nesses jogos de nave atuais, trilha sonora techno pouco inspirada, mas o jogo é fabuloso, é quase que um gameplay perfeito de um Pac-Man DX, só que no espaço. E devagarzinho no Vagrant Story no PS1, que tem as músicas daquele cara que compôs Radiant Silvergun. Aí rolam trechos dungeon crawler que eu lembro do jogo de nave do Saturn, sensação é bizarra, rs

  5. danielgfm
    15, agosto, 2011 em 09:35 | #5

    Atualmente estou jogando Batman Arkham Asylum, e me viciando muito nele, juntamente com Mass Effect, pois quero poder continuar o jogo, novamente, no Mass Effect 2 e já deixar o meu save guardadinho quando sair Mass Effect 3.

  6. 15, agosto, 2011 em 09:46 | #6

    E eu sempre jogando NEOGEO, SNES, kkkkk, não evoluo mesmo.

    Mas falando sério, ontem testei o Geometry Wars no Wii e adorei!

  7. 15, agosto, 2011 em 11:48 | #7

    Muito bacana o post, legal ver o Talude ainda curtindo um FIFA 98, um game que joguei muito na época também. Carrier Airwings é viciante também, mas nunca terminei. Já os jogos flash só experimentei uma vez o Angry Birds e não gostei.

  8. 15, agosto, 2011 em 14:20 | #8

    Um que eu tô morrendo de saudades de jogar é o Ikaruga de Dreamcast. Jogaço.Um que eu tô morrendo de saudades de jogar é o Ikaruga de Dreamcast. Jogaço.

    Ultimamente fiquei mais na fome de jogar os jogos antigões de PSX tipo CyberSled, Wipeout 2097 (Que, particularmente, prefiro esse ao Wip3out, apesar do último ser mais bonito), Sanvein, Skullmonkeys, além de ficar ouvindo direto a trilha sonora de Castlevania: Symphony of the Night, por sinal uma das melhores OST's de jogo que eu ouví so far…

    Acho que tá bem variado, mas é só coisa velha xDDDD

  9. Giulian Steel
    15, agosto, 2011 em 18:22 | #9

    Carrier Air Wing é um belo shmup, acho muito bom shmups com cenários urbanos, sobre oceanos, é simples, mais funciona.
    Estou sempre jogando games do Mega Drive, mas ultimamente eu tenho jogado Final Fantasy XII

  10. 15, agosto, 2011 em 18:43 | #10

    Andei jogando o Teenage Mutant Ninja Turtles IV do SNES e comecei ajogar o Caddilacs And Dinossaurs.
    :3

  11. Talude
    15, agosto, 2011 em 19:17 | #11

    Eu, sinceramente, não tenho muito interesse nas séries novas do WE (PES) e do FIFA. De futebol, além do FIFA (na qual comecei uma eliminatória com quatro times agora) tenho jogado o Sensible Soccer e raramente, o Elifoot 98. O interessante da lista que fizemos é que são dois títulos old school e dois jogos recentes com gráficos old school. No meu caso, vai ser impossível ver jogos pós Play 1 aqui.

  12. 16, agosto, 2011 em 00:13 | #12

    Da relação, Angry Birds jamais testei e o Plants VS Zombies também, apesar de já terem me recomendado. O FIFA 98 – Road to The World Cup joguei muito na época de lançamento a versão de PlayStation, especialmente o modo indoor que mais se assemelhava à categoria Show Ball, porque havia um gramado mesmo, não um piso de taco como no N64. Hoje, porém, lamento o excesso de horas gastas neste jogo; imagino o tanto de RPGs que deixei de conhecer naqueles tempos e hoje me fazem falta no currículo gamístico, como Suikoden I e II, Legend of Dragoon, Wild Arms, Alundra I e II, Breath of Fire III e IV.. fora outros que viria terminar depois como Grandia, Star Ocean e Valkyrie Profile.

    Agora isso de buscar trilhas de jogos que você não conhece… não vejo vantagem nenhuma nisso. Eu só ouço as músicas dos jogos que joguei e olhe lá. XD Falando sério, não que nós não gostemos… Talvez não tenha ficado tão extasiado, mas gostei para caramba da trilha do Carrier Airwing. Melhor: as composições. Só achei que a qualidade da timbragem da CPS-1 não faz por merecer a excelência das faixas.

  13. 17, agosto, 2011 em 21:59 | #13

    Nunca joguei nenhum desses jogos… –'

    Gostei da idéia… Quero ver os próximos se vocês tem algum jogo de RPG pra indicar Ú.u

    HEhehhe boa galera ^^

  14. 18, agosto, 2011 em 14:26 | #14

    Legal esse post, adorava acompanhar a Reader Roundtable do Sega 16, e agora vou acompanhar esta nova série de posts também! =)

    No momento to jogando Toki e Strider Hiryu, ambos do Genesis. O primeiro sempre foi um dos meus jogos prediletos na minha infância, achava muito legal a idéia do jogo. Já o Strider impressiona pelos gráficos e pela semelhança com o arcade, embora seja um rio de freezes e bugs, mas é um bom port.

    Abraços

  15. 5, setembro, 2011 em 14:34 | #15

    Jogo o Angry Birds pra Google Chrome, pois meu celular não roda esse jogo.
    É um bom jogo e viciante. Conseguir três estrelas em todas as fases se torna obsessão.

  16. joeycaruzo
    11, setembro, 2011 em 17:34 | #16

    E eu jogando megaman x2, snk vs capcom pro, knuckles chaotix

    __________________

    Não estou jogando muito, mas vou ficar "viciadão" quando comprar o zelda de 3ds

  17. joeycaruzo
    16, setembro, 2011 em 17:59 | #17

    Agora zerei o Megaman x2! estou jogando FFIII de DS no lugar, desta vez estou mais "paciente" ahshaushuashus

  18. Henrique
    12, março, 2012 em 18:38 | #18

    Plants x Zombies é viciante demais!
    Conheci esse jogo numa palestra. (por incrível que pareça, é verdade. O palestrante, professor em uma faculdade do interior de SP usou o telão para brincar um pouco. HUAHEA)
    Quando vi, achei uma merda. Mas resolvi baixar e experimentar.
    1 dia e eu não saia mais da frente do pc jogando isso. Jogo muito simples, sem nada de original ou estrondoso, mas perdi várias horas na frente do computador derrotando tudo que é tipo de zumbi. Não cheguei a zerar todos os mini-games, mas uma boa parte deles eu fiz.

    No geral, um jogo leve, interessante e muito bom pra quem tá de cabeça cheia pra resolver quebra-cabeças, dar tiros e esfaquear mobs. 😀

  1. Nenhum trackback ainda.
Você deve estar autenticado para enviar um coment´rio.
%d blogueiros gostam disto: