Night Trap – Parte 1 (Review)

Existem games que são  tão marcantes que acabam definindo o ciclo de vida inteiro de um console, trazendo uma associação imediata entre um e outro. Esses jogos podem representar perfeitamente o quanto a plataforma sucedeu em divertir seu público, ou então, de tão ruins que são, podem representar como o console falhou nessa tarefa. Esse é o caso de Night Trap.  O jogo, lançado em 1992, representou o “ápice” do estilo de jogo FMV (Full Motion Video) , gênero caracterizado pelo uso de vídeos digitalizados como forma de jogabilidade. Lançado primeiramente para o Sega CD, o jogo não serve apenas como uma lembrança de como o Add-on para o Mega Drive foi um mico, mas também como todo um conceito de revolução foi por água abaixo com games/filmes de qualidade duvidosa, e que custaram caro demais.

Neste especial de duas partes, falaremos do jogo e da polêmica em que esteve envolvido.

Confira o review de Night Trap!

Categories: Mega Drive, reviews

A Enciclopédia do Mega Drive

enciclopédia do mega drive

Clique na imagem

Quem é fã do famoso console de 16-Bits da Sega, o Mega Drive, não pode deixar de conhecer a Enciclopédia do Mega Drive (também conhecida como “Continue Japanese Info Book“). É um livro japonês muito bem acabado, com uma capa preta levando a inscrição “16-BIT” em dourado, remetendo diretamente ao design do Mega Drive japonês, feito sob medida para os saudosistas deste sistema.

.

.

>> Ler a matéria completa!! <<

Categories: curiosidades, Mega Drive

Campanha Imposto Justo para Videogames

Estava eu neste feriado, dia 02 de Abril, tentando criar um movimento pelo Twitter – o uso de tags, clamando pelo fim dos impostos abusivos sobre os games, em todo e qualquer tweet de nós, gamers, como uma assinatura – quando fiquei conhecendo um novo movimento, mostrado ao público no evento recente Game World e conhecido por “Campanha Imposto Justo para Videogames“.

Ao invés de incentivarmos o início do zero de um novo projeto em Brasília, porquê não clamamos pela aprovação de um que já existente e que já teve um bom caminho percorrido, além de carecer apenas de vontade e pressão popular para ser aprovado?

O projeto de lei 300/07, que foi apresentado em 2007 pelo então deputado Carlito Merrs (PT-SC), visa estender os benefícios de desoneração dos produtos de Informática aos videogames – fazendo cair radicalmente o preço dos mesmos.

Desde 2008 este projeto de lei está parado na Comissão de Finanças do Senado, sendo seu relator o deputado Antonio Palocci (PT-SP).

A campanha visa pressionar, de maneira organizada e consciente, a aprovação do projeto, fazendo com que os games neste país tenham um tratamento justo, beneficiando o mercado, os consumidores, os desenvolvedores nacionais e a própria economia do país.

Os blogs, sites e fóruns de games devem assumir sua importante representação neste momento, informando e conscientizando seu público para que atuem de maneira decisiva para que os atuais e absurdos impostos sobre os games acabem. Apenas reclamar pode não adiantar, mas a pressão do clamor popular pelos seus direitos sim.

Assine a campanha (nome, RG e e-mail) e divulgue:

>> Campanha Imposto Justo para Videogames <<

Categories: especiais, notícias

Trilha sonora de Sonic 4 vaza na Internet!

Há alguns posts atrás, havia confirmado para vocês que a trilha sonora do primeiro episódio de Sonic 4 seria composta por Jun Senoue, cuja intenção é a de reproduzir nos consoles Next-Gen toda a genialidade das músicas do Mega Drive, assim como suas limitações – como o uso apenas de sintetizadores limitados e os mesmos samples de bateria.

A princípio,  a receptividade foi boa, a partir das músicas disponibilizadas pela Sega no site oficial. Até o momento, só tínhamos as canções da tela título e da primeira fase.

E não é que a trilha sonora “vazou”? Não se sabe ainda se é um rip direto de alguma versão demonstrativa do game, mas cobre todas as fases do jogo e seus três atos, incluindo também os temas de invencibilidade, Special Stage, Chefes, entre outros.

Será que fez jus ao original? Confira você mesmo!

Clique aqui para baixar a trilha sonora

Miniaturas de Games

Por morarmos num país aonde os games são tratados oficialmente como lixo futilidade, ao contrário do Japão, basta a nós, pobre gamers brasileiros, ficar babando pelo que sai neste país.

Uma das várias e interessantes bugigangas baseadas nos games são as chamadas “gashapon” – ou miniaturas. Neste caso, são chaveiros ou miniaturas de alguma tela ou personagem dos games mais famosos, bem fiéis aos mesmos.

Veja as imagens abaixo (e clique para ampliar):

.

Chaveiros de Personagens de games:

Eu quero um chaveiro do Mario!

Leia mais…

Categories: Arcade, Nes, Nintendo DS, variedades

Papercraft de Silent Hill

Que tal ter um papercraft baseado no game Silent Hill, neste caso, o segundo da série? Olha só que legal:

Um monstro quadrado!

Basta salvar a imagem abaixo ampliada, imprimir, cortar e dobrar como é indicado:

Clique na imagem para ampliá-la

Este papercraft foi criado pelo blog Tubby Paws. Outros papercrafts bem legais estão disponíveis por lá, além de imagens de design interessante. Fica a dica.

Categories: variedades

Super Mario Bros. Especial (jogo raro)

Conheça uma das versões mais raras do game Super Mario Bros., para o PC-8801 da NEC, um computador que não chegou a dar as caras fora do Japão.

Veja também um pouco sobre este sistema, seus games e outras versões de games do Mario para o famoso (no Japão) computador da NEC. Clique na imagem abaixo ou no link:

Tela de apresentação

.

>> Leia a matéria completa <<

Categories: PC-8801, versões

A música de Sonic 4

A mais nova tentativa da Sega de trazer Sonic de volta aos tempos gloriosos do Mega Drive tem gerado certa discussão. Apesar do retorno ao 2D tenha sido visto com bons olhos pelos fãs, nem todos gostaram da animação que o personagem possui, como divulgado em um vídeo  que vazou na internet. Pessoalmente, eu também achei estranho um Sonic feito de massinha, mas vamos aguardar para ver

E a trilha sonora? A Sega revelou em seu blog que Jun Senoue está responsável por revitalizar a música de Sonic. O compositor teve como seu primeiro trabalho o game  Sonic 3, e, após a transição para o 3D, a trilha sonora da série se perdeu em várias besteiras eletrônicas ou músicas Heavy Metal cantadas cafonas – grande parte que ele mesmo havia produzido.

Por isso, antes que você pense que ele já começou a gritar e fazer solos de guitarra, por favor, reconsidere. Como uma amostra, a empresa divulgou em seu site oficial as músicas da tela principal do jogo, e também da primeira fase. De cara, dá pra ver que a intenção é de recuperar o estilo Pop-rock de Masato Nakamura, que compôs as trilhas de Sonic 1 e 2; tanto que são usados os mesmos samples de bateria das músicas de  Mega Drive.

E, como elas ficam no jogo? Bem, fiz uma edição mesclando com o Gameplay do Sonic 1. Confira as músicas aqui:

A música de Stage Clear eu peguei do Sonic R; apenas utilizei na edição para deixar mais coerente.

O que achei? A música não empolga muito, ainda falta uma introdução, mas ainda assim  é muito melhor que qualquer composição genérica inspirada em techno-rock.  Vamos ver se Jun Senoue mantém esse ritmo!

Categories: game music

Goldeneye 007 – All Bonds

Goldeneye 007, sem dúvida, é um dos jogos que mais definiu o ciclo de vida do Nintendo 64, sendo o terceiro game mais vendido de todos os lançamentos para o console. Grande parte de sua longevidade está, além da dificuldade perfeitamente balanceada e do multiplayer viciante, nos diversos itens, cheats e artefatos misteriosos que são encontrados ao acaso no jogo. O artigo trata da possibilidade de se jogar não somente com o 007 interpretado por Pierce Brosnan, mas também com os outros atores que interpretaram o personagem nas filmes mais antigos.

Somente para Seus Olhos.

Categories: N64, segredos

Em busca de Sheng Long

Em março de 1991 foi lançado o que para muitos foi o maior jogo de arcade de todos os tempos: Street Fighter 2. Nos meses a seguir, uma febre mundial tomou conta dos fliperamas do mundo inteiro, algo nunca visto nem antes nem depois do game. Em 1992, no auge da febre, um rumor se espalhou de forma espantosa no mundo todo: a lenda de um lutador secreto, mais poderoso que qualquer outro. Seu nome era Sheng Long.

Revistas especializadas garantiam que ele existiria, o seu nome aparecia no game, no manual do game, todo mundo conhecia alguém que dizia ter um primo ou amigo que viu ele. Para muitos foi apenas uma lenda, para outros, realidade, mas com certeza este foi um dos maiores rumores da história dos games de todos os tempos. Até que ponto tudo não passou de boato? O que havia de real? A lenda virou mesmo realidade? Qual a história real de Sheng Long? Descubra todas as respostas a seguir.

>>  Ler a matéria completa  <<

Categories: Arcade, segredos, Super Nes

Entrevista com mcs no EArena Games!

Se existe uma coisa que eu dou muito valor e respeito demais é a importância do reconhecimento, de premiar quem consegue despontar com trabalho e dedicação.

Se o cinema, a música, o jornalismo, a fotografia, etc. sempre reconhecem e premiam os melhores em sua área, às vezes com uma grande festa (como o Oscar), ou com um evento simples mas que eternizará um nome, porquê não dar valor e premiar os melhores da indústria do videogame?

E é exatamente isto que é feito aos blogs de games pelo EArena Games, com seu “Blogando o Brasil dos Games“, onde toda quarta-feira  é publicada uma entrevista com os criadores dos blogs mais interessantes do país. O EArena Games, pra quem não sabe, é uma empresa muito popular em eventos e feiras de games, e que promove campeonatos oficiais de jogos eletrônicos.

Pelo jeito, alguém feliz da vida porquê ganhou (com a nossa ajuda) uma aposta com o seu primo, sobre a existência de algum mito gamístico, nos indicou ao EArena Games (quem seria?!). Brincadeira! ^^

Vou ser sincero: não há nada melhor que o reconhecimento por um trabalho que fazemos apenas por paixão e prazer, para tornar não só a nossa vida, mas a de muitas pessoas mais leve e suportável, através do escapismo de um jogo de videogame. Todos que me acompanham a anos sabem como minha vida é corrida e como é difícil conciliar minha  vida pessoal e trabalho com minhas atividades no meio gamer.

Meu nome agora aparece ao lado de colegas como Sabat (RetroPlayers), as meninas do Girls of War, Orakio (Gagá Games), David Dolemes (Game Reporter), entre outros.

Gostaria de agradecer muito ao Marcio Filho – Editor Executivo do EArena Games, gente finíssima e do mais alto gabarito que um profissional possa ter, além de todo mundo que tornou o Passagem Secreta possível, em especial aos amigos de comunidade e blog Daniel Talude, que está com a gente desde o início do blog e das comunidades, e ao Rafael “00Agent” Fernandes, o mais novo membro do blog mas que já mostrou a que veio.

Clique na imagem abaixo para ler a entrevista. Comentem!!

Só faltou o cenário do Sonic ao fundo, o chão do Super Mario, o monitor e as interrogações sobre a cabeça.

.

Ps.: Andei sumido do blog estes dias por uma causa muito nobre: não percam, sábado de manhã, uma mega-ultra-matéria sobre um dos rumores mais conhecidos do mundo dos games, como você nunca viu!

Categories: entrevistas

Fantasy Zone II DX – Review

Após o lançamento de Fantasy Zone para o Arcade e suas milhares de conversões para todos os consoles da época, a Sega decidiu dar continuação à saga de Opa-Opa. No entanto, a decisão da plataforma que abrigaria o jogo foi um tanto questionável: Fantasy Zone II: The Tears of Opa Opa foi lançado para o Master System, considerado um retrocesso técnico em relação à placa System 16, que abrigava grande parte dos jogos de Arcade da Sega na época. Apesar do jogo possuir um dos melhores gráficos para o console, nem de longe chegava a todo o potencial que poderia ter sido alcançado caso o jogo tivesse sido concebido originalmente para os fliperamas. Assim, apesar da continuação ter sido um sucesso, os fãs da série encararam FZ II como uma oportunidade perdida de uma continuação que fizesse jus a seu predecessor no quesito técnico.

Acompanhe o review desta excelente continuação para Arcade/Playstation 2

 

Categories: Arcade, Playstation 2, reviews